Nas trilhas de aventuras dos Pisteiros

1) Perfil pessoal / profissional (Idade, formação profissional, estado civil e cidade que reside)

Meu nome é Evandro Dalben. nascido em Campinas, SP, tenho 31 anos, sou solteiro, formado em Engenharia Mecatrônica. Trabalhei por quase 6 anos com Programação web na UNICAMP, e 7 anos com Telecom pela Motorola. Atualmente tenho me dedicado 100% ao motociclismo de aventura pelo Pisteiros.com.br, incluindo treinamentos offroad para viagens de longas distâncias.

Após finalizar meu MBA com ênfase em Gestão de Pessoas, Marketing e Empreendedorismo, descobri uma grande paixão: Viagens Longas de Motocicleta. Então comecei a me dedicar 100% à viagens de motocicleta, treinamentos offroad e condução de grupos de motociclistas.

2) Seu currículo motociclístico resumido (como começou a rodar de moto, quais motos já pilotou, se é membro de algum grupo de motociclistas…)

No meio motociclístico sou conhecido pelo apelido Fox, apelido adquirido na faculdade em 2001 quando eu ainda nem praticava motociclismo. Eu era roterista e navegador em provas de rallye de regularidade com meu irmão e usava uma Camiseta da Fox Racing que gostava muito. Então, em uma sala com 100 engenheiros onde ninguém sabia o nome de ninguém, começaram a me chamar de Fox. Não teve jeito: o apelido pegou. 
 
Comecei a me interessar pelo motociclismo, em especial por Trilhas e Offroad.

Em 2003 meus amigos da faculdade praticavam motocross e trilhas e me convidaram para fazer uma trilha básica. Convite aceito! Peguei capacete emprestado de um, joelheira de outro, equipamentos e a Moto: uma DT180 emprestada também. Foi super engraçado: os caras eram todos profissionais e eu, um novato querendo aprender  a andar de motocicleta. Na minha família ninguém teve motocicleta, eu nem tinha carta na época, morria de medo de moto e do asfalto, mas gostava de aventuras, principalmente ligadas à natureza, pois sempre fiz rallye de regularidade e trilhas de jeep.

Fui dar uma volta na pista de motocross e no segundo dia já cai na trilha, literalmente, pois meu primeiro capote de moto foi no meio de um milharal. Os caras racharam de dar risada... diversão pura e eu não desistia; caí várias vezes no começo e então ví que o segredo era pular da moto e não me machucar … Foi quando realmente que comecei andar de moto e fazer trilha.

Em toda trilha quebrava alguma coisa da moto; Então levei a moto pra casa, desmontei a moto inteira como todo bom mecatrônico e fui aprendendo a fazer as manutenções necessárias para não ficar na trilha. Passei 5 anos praticando trilhas todos finais de semana com meus amigos da faculdade… adquirindo experiência.

Em 2008 comprei minha primeira motocicleta Trail (mista), uma Honda Falcon NX4 para ir trabalhar. Tirei carta e comecei a rodar 50 km por dia em estradas e, aos finais de semana, a procurar novas trilhas, passear com a namorada nas cidades vizinhas, procurar por bons restaurantes e pousadas. Aos poucos fui ampliando meus horizontes, fazendo viagens de finais de semana de 200 a 400 km de distância. Fiquei 1 ano fazendo isso até comprar a minha primeira XT660r e começar a praticar offroad na Serra da Canastra.

… montei um vídeo resumindo essa etapa de aprendizagem e experiência...

Em Julho de 2008 estava em Boston / EUA finalizando meu curso de empreendedorismo e MBA.

Estar em outro país com tudo diferente, sua percepção muda, você repara mais nas coisas... Algo dentro de mim estava me chamando para realizar minha primera aventura solo em terras internacionais.

Durante o curso ouvia muito a seguinte frase: "O Segredo do negócio está na paixão pelo que se faz" e comecei a me questionar e muitas dúvidas vinham à minha mente.

Eu e um amigo no curso estavámos com um carro alugado e ambos adorávamos motocicletas. Fomos a uma loja ver equipamentos e tive a grande idéia de alugar uma FAT BOY (comum no EUA) e visitar minha noiva (na época) em NYC. Rodei 1500 km em um final de semana!

... visão do site dos Pisteiros e primeira viagem longa internacional....

Foi aí que tive a idéia de ir para o Chile de motocicleta e criar o site dos Pisteiros.
 
Até essa época, o único site de motociclismo do qual eu participava era o ADVrider.com.
 
Voltando dessa viagem, comecei a elaborar o site e planejamento para a primeira grande aventura.
 
Nunca participei de motoclube.
 
Durante minhas viagens fui conhecendo cada um dos grupos com os quais fiz parceria. Primeiro foi o Brazil Riders e LAMA Uruguay, prestando ajuda a viajantes de longas distâncias. Depois, o Grupo de Trilheiros ADV Riders e HU (viagens de aventura incluindo offroad e camping), Clube Big Trail, Clube da XT e XT660, Rockriders, Motoa2, MotoXplorers, BMW maníacos (Rotaway) e recentemente fundei o Grupo KTManiacos para testar nossos limites.
 
3) Para quais destinos (Países ou regiões - Exemplo: Deserto de Atacama) já foi de moto?
 
Em 2009 partí para as viagens longas e comecei a equipar a XT660r e a desenvolver minhas próprias melhorias para as viagens, como por exemplo suporte para GPS, pedaleiras de apoio, meus próprios alforges em alumínio, suporte para câmeras e filmadoras, etc... Em questão de 6 meses desenvolví todas as melhorias que achava necessárias e comecei a treinar viagens de 500km por dia. Rodei de XT660r aproximadamente 120mil km em 2 anos, mapeando todos lugares por onde passei.
 
Fiz todo o planejamento da minha primeira viagem longa e em principio íamos em 3 motocicletas. Faltando 1 mês para viagem, os meus 2 amigos desistiram e tomei a decisão que faria sozinho a aventura toda. Na mesma semana dessa decisão, um amigo de Faculdade (Peterson) me procurou, tinha acabado de sair da Motorola e gostaria de ir comigo para o Chile, porém nunca tinha feito offroad, só tinha andado de moto custom.  Em uma semana comprei uma XT660r pra ele, equipei a moto e fomos para Serra da Canastra no que seria meu primeiro treinamento offroad para longas viagens. Convidei 2 amigos trilheiros para darem um suporte, fomos com as motos preparadas para a viagem do Chile e ficamos 3 dias acampando na Serra da Canastra e treinando o Peterson, primeiro parceiro em viagens longas.

Em Janeiro 2009 partimos para o Uruguay, Argentina e Chile.  No caminho conhecemos um Polonês chamado Roman Zdeb, 38 anos, ADV Rider que já estava viajando de moto pela América Latina tinha 2 anos. Convidamos ele para viajar conosco. Ficamos o resto da viagem juntos trocando experiencias de viagem e em determinada situação difícil que passamos convidei o Polonês para vir para o Brasil, onde faria minha segunda viagem longa pelo interior do país. Viajamos 4 meses juntos no melhor estilo ADV e digo que isso foi um treinamento intensivo pra mim.
 
Em 2010 passei o ano inteiro viajando, mapeando, adquirindo experiência e conduzindo grupos de viagens.
 
Em Novembro de 2010 realizei a primeira viagem comercial pelo Pisteiros, incluindo o meu trabalho de guia, planejamento, fotografia, filmagem e apoio 4x4. Fiz questão em fazer essa viagem de Caminhonete para ver todas necessidades e dificuldades da minha equipe.
 
... Confira o trailler dessa aventura:... 

Em 2011 passei o ano criando a estrutura física da Sede Social dos Pisteiros e desenvolvendo e treinando a equipe Pisteiros Motoaventura para poder dar suporte à viagens longas de aventura.
 
4) Aos 30 anos já fez várias viagens de moto. Ao que associa esse seu prazer em viajar sobre duas rodas? (comente porque viaja tanto de moto!)
 
Com o tempo percebí que viajar de moto em longas distâncias era um estilo de vida. Com todas as experiências que já havia passado nos últimos 2 anos rodando, aos meus 30 anos posso dizer que parece que viví intensamente minha vida inteira nesses 2 últimos anos em cima de uma motocicleta.

Fiz do prazer minha profissão. Juntei várias paixões e coloquei um grande projeto em prática!
 
Descobrí que não consigo ficar sozinho por muito tempo: falo com meu celular gravando os relatos de viagem, adoro pegar minha câmera e gravar o que está acontecendo e sempre estou pensando nas próximas viagens. Sou super alto astral e vivo intensamente cada momento.
 
Abaixo os extras da última viagem no qual vc pode tentar entender um pouco porque não conseguí mais parar de viajar e porquê me dedico 100% ao motociclismo de aventura.
 
...Saiba o que acontece nos bastidores...

5) Qual sua moto preferida para realizar longas viagens? Por que?
 
Minha moto preferida é a XT660r, apelidada de Valente e a outra de Valentina (tenho 2 motocicletas dessas). Com elas rodei praticamente 120 mil km e metade disso praticamente em offroad. Sempre incluí trechos offroad nas minhas viagens longas, pois queria chegar a lugares poucos acessados e fotografar tudo. Para mim é a moto ideal para realizar viagens incluindo offroad, uma moto leve e de fácil manutenção na America Latina como um todo. Recentemente comecei a me interessar pela robustez da KTM990r, essa motocicleta sempre foi um sonho pra mim e que pretendo adquirir um dia.
 
Ja rodei também com F800 da BMW em diversas viagens e considero uma excelente motocicleta, número perfeito para quem gosta do bom off road, práticidade e assistência mais fácil, para quem  já tem experiência, número ideal para nosso mercado atualmente.

6) Conte-nos sobre sua experiência de estar cruzando o Chile e ter ocorrido o terremoto e quando ocorreu.

Em 25 de Fevereiro de 2009 estávamos passando pelo Chile, entre Santiago e Val Paraiso, quando senti um pouco de frio nas cordilheiras e parei a moto para me agasalhar. O Polonês e Peterson resolveram seguir viagem e eu disse que os alcançaria em breve. Ao subir na moto, verifiquei no GPS que em 5 km teríamos que mudar de rota, foi quando acelerei aValente a 150km/h subindo a cordilheira e tive a grata surpresa de ter a corrente estourada ... rsss...  Digo que foi uma benção e que São Miguel Arcanjo estava do meu lado...  Por sorte a corrente saiu toda da moto e parei no acostamento. Eu tinha uma corrente reserva e rapidamente coloquei na moto e fiz os ajustes. O problema foi que me separei dos 2 parceiros e fiquei esperando por 2 horas até eles voltarem. Bom, como já estava escuro, o Polonês sugeriu que dormíssemos no deserto(faltavam apenas 20 km para chegarmos a praia). Eu e Peterson concordamos, pois nossa idéia era acampar na praia de Val Paraiso, perto da maior piscina do mundo.
 
Às 2hs da manhã senti amolecer minhas pernas, ouvi um forte barulho de trovão, porém não tinha uma nuvem no céu e a noite era de lua cheia e estava clara. Foi aí que o Perterson perguntou se estava acontecendo algo. Olhei para o Polonês e também fiz a mesma pergunta. Ele disse assim: "Eu acho que é o Vinho que tomamos, tá dando essa leseira na suas pernas" ... rs....  e de repente começou a balançar tudo, era possível ver ondas de areia de 20 a 40 cm no reflexo da lua no chão, foi quando percebemos que tratava-se de um terremoto, na ocasião e de magnitude 8.1.
 
Um filme passou na minha cabeça naqueles 2,5 minutos. Desde quando eu era pequeno até aquele momento da minha vida ... eu realmente pensava que o mundo estava acabando e que íamos morrer. Depois de um tempo e já mais calmos, nos demos conta que estávamos no melhor lugar possível, longe das cidades e de qualquer perigo, inclusive longe da Praia, que horas depois foi devastada por uma onda gigante (Tsunami).
 
Acredito que esse foi o divisor de águas na minha vida e que me fez mudar completamente a minha concepção de vida! Perguntei naquela noite para o Polonês qual era o seu maior sonho e ele me disse que era passar a Amazônia de moto. O meu era passar pelo Jalapão e o convidei a voltar para o Brasil e fazer essa segunda etapa comigo. Eu prestaria todo o suporte necessáario a ele para passar a Amazônia e ficaríamos viajando pelo Brasil pelo menos uns 4 meses, passando pela Serra da Canastra, Chapada dos Veadeiros, Salto do Itiquira em Formosa, Jalapão, Chapada Diamantina, Lençóis Maranhenses, Alter do Chão, Belém e Amazônia.
 
7) Tem fotos das suas viagens que são maravilhosas, parece que tiradas por um profissional. Você é fotógrafo? Aborde a respeito...
 
Meu pai sempre foi apaixonado por fotografia, hobby que herdei dele. Cresci vendo-o fotografar, revelar fotos, contar suas aventuras por fotos ... eu ficava literalmente viajando!
 
Em 2000 comprei minha primeira máquina fotográfica digital. Sempre fui fissurado por imagem e fotografias, além de conhecer e gostar muito de eletrônicos. Fiquei uns 2 anos aprendendo a mexer na minha primeira máquina Fuji digital.
 
Em 2005, em uma viagem para China a trabalho, comprei uma câmera da Fuji 12 megapixel semi profissional (lançamento em Taiwan). O hobby começou a falar mais alto e comecei a estudar fotografia por conta própria. Acredito que tirei umas 30 mil fotos com essa câmera, incluindo umas 10 mil fotos de viagens de moto ...  foi quando que passei a me profissionalizarnisso.
 
Em 2010 conheci o Eduardo Wermerling, motociclista apaixonado por fotografia. Fiquei uma semana no RJ e trocamos muitas informações sobre fotografia e filmagem. Nessa época ele estava adquirindo uma nova máquina profissional e me ofereceu a sua máquina anterior. Peguei-a emprestada por uns dias para aprender a mexer nela e posteriormente comprei a maquina dele. A máquina já veio com a lente profissional Laica panorâmica 140mm e começei a fotografar mais profissionalmente, passei a levá-la em todas minhas viagens, eventos etc ... 

Nessa ocasião, o Eduardo e a Claudia (sua esposa) gentilmente se prontificaram a me ajudar a fazer um filme de alguns minutos para ser passado no cruzeiro da BMW no Brasil. Como eu estava com viagem confirmada, resolvi fazer o video e convidar todos a acompanharem essa aventura.
 
Confira essa apresentação:

8) Se você tivesse que dar 5 conselhos para aqueles motociclistas que ainda não fizeram uma grande viagem, quais seriam?
 
Falei um pouquinho sobre isso nos vídeos, mas tentarei resumir:
 
- "Sempre haverá novas fronteiras quando não limitarmos nossos sonhos."
 
- "Quanto mais você compartilhar suas historias mais informações vai receber."
 
- "Experiência se adquire com o tempo. Converse com quem já foi para os destinos que você quer ir."
 
- "Viva intensamente como se fosse seu último dia. Viagens longas proporcionam estar mais proximo de si."
 
- "Escreva sua história e deixe registrado para ser inspiração para outros!"
 
9) Nas suas viagens você sempre vai acompanhado de parceiros, né? São motociclistas da sua faixa etária ou mais velhos?
 
Sim, vou sempre acompanhado de parceiros e tenho amigos motociclistas de 30 a 70 anos que me acompanham nas viagens.
 
Viajar solo é uma experiência ótima para se conhecer melhor e viajar com amigos é sensacional. Adoro registrar tudo e compartilhar com os familiares e com os amigos o dia a dia das nossas aventuras! Considero esse parceiros e amigos como Membros Premium do site Pisteiros.
 
10) Aborde sobre o site pisteiros.com.br, quais seus objetivos, o que o site tem lhe propiciado no motociclismo, etc.
 
No link como funciona, comento um pouco sobre os benefícios e experiências que o site tem proporcionado nos últimos anos. Atualmente temos aproximadamente 1.200 membros e 7.000 motociclistas nas redes sociais acompanhando nossas aventuras e estamos virando referência na América Latina em Viagens Longas.
 
Em 2011 lançamos a versão do site em inglês (Multilanguage) no qual colocamos em vídeo nossas aventuras pós editadas...
 
11) Quais seus próximos planos em viagens de moto?
 
Em 2012 pretendo trocar de motocicleta. Estarei trabalhando na parte comercial da empresa e como guia nas viagens longas, portanto, teremos praticamente uma viagem por mês para ser acompanhada por mim e pelo site.
 
Convido vc a conhecer esse projeto chamado Pisteiros e meu trabalho em prol ao motociclismo de aventura.

FOX - ADV Rider
Evandro Dalben
www.pisteiros.tv
www.pisteiros.com.br 

Rede Socias que participo: Linkedin CV profissional | Facebook | Twitter | Google Plus | MSN
Pagina Pessoal: FOX - ADV Rider | Email: evandro.dalben@gmail.com.br | Fone: (19) 93113070



Fonte:
Equipe MOTO.com.br




Compartilhe:

Receba notícias de moto.com.br