moto.com.br
Publicidade:

Testes

Teste: Honda Biz 110i segue receita de mercado

Modelo compacto com vocação urbana da marca japonesa oferece muitas vantagens no trânsito das grandes cidades

14 de March de 2016
Compartilhe este conteúdo:

Agilidade e economia são palavras-chave para não perder tempo e dinheiro nos congestionamentos dos grandes centros urbanos ou esperando o ônibus nas cidades do interior. Na expectativa de atender a esse consumidor, a Honda atualizou o modelo de entrada da família Biz. A principal mudança foi a adoção de um motor com 110 cm³, alimentado por injeção eletrônica.

Mas a Biz 110i, como agora é chamada, conta ainda com novo painel de instrumentos, mais completo, e mais espaço no compartimento sob o assento - capacidade para 10 litros. O modelo, que substituiu a Biz 100, tem garantia de três anos e seu preço sugerido é de R$ 7.090. 

A categoria CUB (Cheap Urban Bike) foi inaugurada no final da década de 1950, com a Honda Super CUB considerada a avó da Biz. De lá para cá, este tipo de veículo se tornou sucesso de vendas em todo o mundo, inclusive no Brasil. Só no ano passado foram emplacadas pouco mais de 184 mil unidades da família Biz (100 e 125cc).

Robustez, baixa manutenção, facilidade na pilotagem – a embreagem centrífuga é automática – e porta-objetos são bons argumentos de vendas, principalmente para o público feminino.

Motor maior e injetado
A Biz 110i está equipada com um pequeno motor de um cilindro, OHC (Comando Simples no Cabeçote), quatro tempos, com 109,1 cm³ de capacidade e arrefecimento a ar. Sua grande novidade é o uso da injeção eletrônica no lugar do carburador, além da maior capacidade volumétrica.

Os ganhos para o consumidor são economia de combustível e baixa manutenção. É praticamente o mesmo propulsor que equipa a Pop 110i, só que um pouco mais potente (0,4 cv a mais). O novo modelo faz mais de 40 Km/l em perímetro urbano, o que lhe confere autonomia próxima dos 200 quilômetros.

Ela só pode ser abastecida com gasolina e atinge a potência máxima de 8,3 cv a 7.250 rpm e torque de 0,89 kgf.m a 5.500 rpm. E é no quesito força que a nova Biz apresenta também bom desempenho. Já que o torque (em médios regimes de rotação) chega mais cedo, ajudando nas largadas e retomada de velocidade.

Neste caso é só diminuir uma marcha (acionar o pedal para cima) e acelerar. Outro destaque fica para a precisão do câmbio rotativo de quatro marchas e embreagem centrífuga automática que dispensa o manete de embreagem.

Na prática, a moto consegue largar na frente dos carros quando a luz verde do semáforo acende. Além disso, a Biz 110i enfrenta os corredores com bastante desenvoltura e com força suficiente para ultrapassar os outros veículos, já que a velocidade média, com transito carregado, não passa dos 40 km/h.
Ligeira e esguia, o condutor deve ter bastante cuidado para não raspar a ponta das manoplas nos espelhos retrovisores dos carros. Parece que a Honda e as montadoras dos automóveis combinaram este alinhamento perfeito entre as peças.

Ciclística e espaço para objetos
A ciclística da nova Honda Biz 110i segue uma receita clássica. O conjunto é formado por garfo telescópico com curso de 100mm na dianteira e duplo amortecimento traseiro com 86mm de curso. O sistema de freios é a tambor nas duas rodas.

Simples e eficiente, o conjunto dá conta do recado. Porém, o fabricante poderia ter equipado o modelo com disco pelo menos na dianteira, já que o sistema se mostra mais eficaz em frenagens de emergência. Na absorção de impactos, o banco – grande, largo e com espuma de boa densidade – ajuda nesta missão, quase impossível, de amortecer os impactos de nossas mal acabadas ruas e avenidas.

A marca da asa também fez alterações no porta-objetos, que fica sob o assento. Agora com capacidade para transportar 10 litros, o espaço é suficiente para guardar um capacete fechado. Coloque-o de cabeça para baixo, com a viseira voltada para a parte de trás da moto. Dentro do casco ainda é possível acomodar pequenos objetos, como, por exemplo, carteira, celular ou até um óculos.

O novo painel de instrumentos da Biz 110i 2016 ganhou hodômetro e marcador de combustível. O modelo já está disponível na rede Honda em duas cores: preta ou vermelha. O preço público sugerido é de R$ 7.090.

Conclusão
A proposta da Biz 110i é solucionar problemas de mobilidade, servindo também de ferramenta de trabalho ou lazer. Leve e fácil de pilotar tem espírito jovem sendo indicada para quem está no começo de carreira profissional ou no motociclismo.

A facilidade de pilotagem, em função da “ausência da embreagem”, e a praticidade do porta-objetos também atrai os entrantes no mundo moto. Esses fatores aliados ao baixo consumo de combustível são a receita de sucesso das CUBs em todo o mundo.

Ficha Técnica
Honda Biz110i
Motor OHC, um cilindro, arrefecimento a ar, 109,1 cm³
Diâmetro x curso 50,0 x 55,6 mm
Taxa de compressão 9.3 : 1
Potência máxima 8,3 cv a 7.250 rpm
Torque máximo 0,89 kgf.m a 5.500 rpm
Câmbio Rotativo de quatro marchas
Embreagem Centrífuga semi-automática
Transmissão final Corrente
Alimentação Injeção eletrônica
Partida Elétrica
Quadro Monobloco em aço
Suspensão dianteira Garfo telescópico convencional com 100 mm de curso
Suspensão traseira Balança com dois amortecedores e 86 mm de curso
Freio dianteiro A tambor 130 mm
Freio traseiro A tambor 110 mm
Pneus 60 / 100 – 17 (diant.) e 80 / 100 – 14 (tras.)
Comprimento 1.891 mm
Largura 730 mm
Altura 1.087 mm
Distância entre-eixos 1.261mm
Distância do solo 130 mm
Altura do assento 753 mm
Peso a seco 99 kg
Tanque de combustível 5,1 litros
Cores Preto e Vermelho
Preço R$ 7.090

Fotos: Mario Villaescusa/Infomoto



Fonte:
Agência Infomoto
Compartilhe este conteúdo:

Nova Ducati Multistrada 950 é confortável, divertida e valente

Nova Versys-X 300 inaugura segmento de pequenas aventureiras

Super Ténéré sente o peso da idade, mas é boa opção para aventuras

Kawasaki lança nova Z900 no Brasil em versão única com ABS

BMW G 310R vai bem na cidade, mas perde força na estrada

Triumph Street Triple 765 RS é explosiva, empolgante e ágil

Honda NC 750X entra na briga com preço mais baixo

Honda NC 750X entra na briga com preço mais baixo

Triumph Street Triple 765 RS é explosiva, empolgante e ágil

BMW G 310R vai bem na cidade, mas perde força na estrada

Nova Yamaha Factor 150 UBS traz freios mais eficientes

Teste: Yamaha Neo mostra agilidade e economia no trânsito

BMW F 700 GS é versátil e ótima opção para viagens

Teste da Falcon NX4 por um usuário


Comente

Para comentar é necessário autenticar, clique aqui!


Busca Rápida

Busca avançada

Comprar ou vender

Cadastre-se | Anuncie agora!

Anúncios em Super Destaque

Montadoras