KTM 1290 Super Adventure S é tecnológica e super aventureira

O prefixo “super” significa excesso; posição superior, de acordo com o Dicionário Caldas Aulete. Ambos descrevem bem a nova bigtrail da KTM que, não por acaso, recebe o nome de 1290 Super Adventure S. A aventureira traz muita tecnologia, motor potente e ciclística robusta, que a colocam em um patamar acima das concorrentes do segmento. Até mesmo no preço: importado, o modelo custa R$ 92.500.

O valor elevado também se justifica pelo completo pacote tecnológico, que inclui praticamente todos os dispositivos eletrônicos disponíveis atualmente. A começar pelo controle de estabilidade da Bosch, que engloba o sensor de medição inercial, freios ABS otimizados para curvas, controle de tração (ambos com modo off-road), mas não é só isso. 

Sensor de monitoramento da pressão dos pneus, chave de presença, imobilizador, modos de pilotagem e até cruise control (piloto automático) também são itens de série. O conjunto óptico tem iluminação diurna e farol de LED direcional, que acompanha a inclinação da moto em curvas. Sem esquecer do grande painel digital com tela TFT e conexão Bluetooth com o celular.

Poderia gastar muitos parágrafos para explicar o funcionamento de cada um desses sistemas, mas, na prática, todos esses nomes estranhos resultam em uma das motocicletas mais seguras e “à prova de erro” da atualidade



Bruta e leve
A bigtrail austríaca “exagera” também no motor: um V2 de 1.301 cm³ que produz 160 cv de potência máxima – cavalaria que rivaliza somente com a Ducati Multistrada 1200. E, apesar do torque máximo de 14,3 kgf.m surgir apenas a 6.750 giros, boa parte disso (11 kgf.m) já está disponível a apenas 3.000 giros. Para domar essa super aventureira o piloto conta com todo o pacote eletrônico.

A KTM 1290 Super Adventure “S”, avaliada, é a versão indicada para viagens longas por asfalto, mas sem perder a versatilidade de percorrer estradas de terra. Equipada com rodas de liga-leve (aro 19 na dianteira; e 17, na traseira) com pneus de uso misto, ela tem suspensões WP semi-ativas, ou seja, que se ajustam eletronicamente de acordo com o terreno em milissegundos. O curso de 200 mm em ambas (garfo invertido na frente; e monoamortecedor atrás) é suficiente para superar lombadas, buracos e até alguns obstáculos off-road. 

E apesar do excesso em outras áreas, a KTM controlou o peso: 215 kg a seco, um dos menores entre as aventureiras. Para chegar a esse número os engenheiros utilizaram materiais leves, como a balança traseira de alumínio, e adotaram um quadro do tipo treliça moldado em aço cromo molibdênio.

Apesar do baixo peso, a bigtrail austríaca intimida no primeiro contato. O assento fica a 860 mm do solo e exige certa perícia para montar na moto. Mas, uma vez sobre ela, a sensação é de total controle. 



Para rodar o mundo
Desde as primeiras voltas na pista, já se tem a impressão de que a super aventureira está na “mão”. O acelerador ride-by-wire e a eletrônica proporcionam acelerações impressionantes, mas controláveis. A roda de 19 polegadas na dianteira e o chassi bem equilibrado proporcionam agilidade nas mudanças de direção e também boa inclinação nas curvas.

Protegido pelo grande para-brisa (com um prático ajuste manual), pude acelerar tudo confiando na estabilidade da suspensão eletrônica, acertada para o modo Sport, mais rígido. Há quatro parâmetros de fábrica: do mais macio “Comfort” ao específico “Off-road”. 

Ao final da reta, a mais de 200 km/h, era hora de confiar nos freios Brembo, com disco duplo e pinças radiais na dianteira, além, é claro, da segurança do ABS. Como era de se esperar eles foram eficientes, permitiram entrar na curva de forma equilibrada e reacelerar com muita segurança.

Construída com o que há de mais moderno na parte ciclística e eletrônica, a KTM também oferece boa ergonomia, além da autonomia de um tanque de 23 litros e bom desempenho para uma super aventura. Mas cobra por isso. 

Importada e vendida nas cinco concessionárias da marca no Brasil por R$ 92.500, a 1290 Super Adventure S tem de enfrentar a forte concorrência de outra grande bigtrail, a BMW R 1200 GS Adventure. A moto alemã também abusa da eletrônica, conforto e autonomia (tanque de 30 litros), mas custa menos, R$ 85.900. Porém, pesa mais (260 kg em ordem de marcha) e tem menos potência (125 cv).



Ficha Técnica
KTM 1290 Super Adventure S
Motor dois cilindros em “V” a 75°, 8 válvulas, DOHC, refrigeração líquida
Diâmetro x Curso 108,0 X 71,0 mm
Taxa de compressão 13,1:1
Capacidade 1.301 cm³
Potência Máxima 160 cv a 8.750 rpm
Torque Máximo 14,3 kgf.m a 6.750 rpm
Sistema de Alimentação Injeção Eletrônica 
Partida Elétrica
Câmbio 6 velocidades
Embreagem Deslizante com acionamento hidráulico
Transmissão final por corrente
Suspensão 
Dianteira Garfo telescópico invertido (upside-down) WP com tubos de 48 mm e 200 mm de curso semiativa 
Traseira Amortecedor WP fixado diretamente à balança, com 200 mm de curso e semiativa
Freios
Dianteiro Disco duplo flutuante de 320 mm, com pinça radial de quatro pistões Brembo e Combined-ABS 
Traseiro Disco simples de 267 mm com pinça de dois pistões Brembo e Combined-ABS
Rodas Raiadas de liga-leve com pneus sem câmara - 3.50 x 19’’ (D); 5.00 x 17’’ (T)
Pneus
Dianteiro 120/70- ZR19
Traseiro 170/60- ZR17
Quadro Treliça em aço cromo-molibdênio
Altura do Assento 860 mm (875 mm)
Distância Mínima do Solo 220 mm
Dimensões (C x L x A) 2.293 mm x 899 mm x 1.427 mm
Distância entre-eixos 1.560 mm
Tanque de Combustível 23 litros
Peso (a seco) 215 kg
Cores Branca e cinza
Preço R$ 92.500

TEXTO: Arthur Caldeira / Agência INFOMOTO 
FOTOS: Mario Villaescusa e Divulgação



Fonte:
Agência Infomoto




Compartilhe essa notícia

Receba notícias de moto.com.br