FZ6N: Versatilidade é seu grande trunfo

Aldo Tizzani e Arthur Caldeira

Versatilidade. Esta é a palavra que melhor define a FZ6N, a naked da Yamaha. Fácil de pilotar, o modelo conta com um motor bastante elástico e um chassi dupla trave superior injetado em alumínio, além do design arrojado – marcado pela dupla ponteira de escape sob a rabeta e pelo farol facetado que lembra o desenho de um diamante.

O sucesso da FZ6N, assim como de outras nakeds, vem do fato do estilo reunir o melhor de vários mundos do motociclismo. No dia-a-dia, a moto é bastante funcional, porém não chega a ter a agilidade de uma street de baixa cilindrada. Na estrada, a FZ6N não é uma touring, mas oferece bom nível de conforto e transmite muita segurança.

Para quem gosta de acelerar na pista, esta Yamaha não é uma superbike, porém não fica devendo nada pra ninguém, já que seu motor é derivado da YZF R6, esportiva de média cilindrada da marca dos três diapasões.

Sucesso de vendas na Europa e fabricada no Brasil, a Yamaha FZ 6N é vendida por cerca de R$ 35 mil. Em relação às concorrentes do segmento, o modelo Yamaha está no meio termo. A Suzuki Bandit 650 N custa R$ 32.000 e a Honda CB 600F Hornet custa entre R$ 34.100 (standard) e R$ 36.600 (equipada com freios ABS). Já a recém-chegada Kawasaki Z 750 sai por cerca de R$ 40 mil.

Motor com bom rendimento

Exposto como manda a receita naked e com quatro cilindros em linha, o motor de comando duplo no cabeçote (DOHC) da FZ6N tem 600 cm³ de capacidade. Alimentado por injeção eletrônica, o propulsor tem refrigeração líquida e desenvolve 98 cv de potência máxima a 12.000 rpm e torque de 6,44 kgf.m a 10.000 rpm.

Apesar de os números de desempenho não sugerirem, o motor oferece torque desde as baixas rotações. A engenharia da marca retrabalhou esse motor oriundo de uma superesportiva para torná-lo mais civilizado. Porém, quando se gira o acelerador, o caráter esportivo volta a falar alto e os ponteiros do conta-giros sobem rapidamente. Em ultrapassagens, nem é necessário reduzir uma marcha.
O motor responde vigorosamente.

O câmbio, aliás, é outro ponto positivo dessa FZ6N. Preciso e de acionamento suave, está bem escalonado para o uso urbano. A cidade é o ambiente dessa naked. Seu guidão elevado sobre a mesa proporciona bastante esterço e agilidade para driblar os congestionamentos.

Agora, se a idéia é usar o modelo para viajar, o motociclista - solo ou com garupa - contará com o conforto do banco em dois níveis e também com posição de pilotagem bem natural, que não cansa o piloto em longas viagens.  Pode-se manter velocidade de cruzeiro de 120 km/h com bastante tranqüilidade, sem forçar e com economia de combustível. Além disso, a moto oferece boa autonomia, já que o tanque tem capacidade para quase 20 litros. Na estrada, a única coisa que incomoda é o vento acima dos 140 Km/h.

Suspensão e freios

Com motor fixado ao quadro, a FZ6N oferece uma boa centralização de massa, o que contribui para maior equilíbrio e estabilidade da moto. Para ajudar neste trabalho, a FZ6N conta com o tradicional garfo telescópico na dianteira e uma balança monoamortecida na traseira.

Ambas com 130 mm de curso. Com este conjunto bem calibrado, o resultado não poderia ser outro: conforto e esportividade na medida certo para o uso diário, já que copia com muita propriedade os pisos irregulares.

Neste modelo devemos destacar também a eficiência do sistema de freios. A naked da Yamaha conta com dois discos ventilados de 298 mm de diâmetro na frente, equipados com pinças monobloco de dois pistões. Na traseira, disco simples de 245 mm e pinça de um pistão. Com este conjunto, a frenagem é bastante progressiva. Quando exigida ao extremo, dá conta do recado.

Para transmitir mais segurança e estabilidade, as rodas de liga leve são calçadas com pneus, sem câmara, 120/70 R17 na dianteira e 180/55 R17 na traseira.

Estilo e funcionalidade

No projeto da FZ6N a grande preocupação dos engenheiros da Yamaha foi unir estética à funcionalidade. Prova disso está no desenho do painel que tem a finalidade de reduzir a turbulência e ruído do vento, além do assento da garupa com alças laterais e pedaleiras mais elevadas em alumínio e compartimento sob o banco para acomodar as ferramentas e trava de roda.

Não podemos deixar de citar o quadro de alumínio, que “abraça” o tanque e o motor. Belo e resistente, o chassi da moto é moldado por um processo que dispensa soldas e elimina 30% do ar encontrado na liga de alumínio. Assim, o quadro da FZ6N é mais rígido e leve, se comparado ao processo tradicional de produção.

Para completar esta “autêntica” naked, o painel de instrumentos é completo e semelhante ao da irmã maior, a Yamaha FZ1. Conta com tela de cristal líquido, que traz várias informações como, por exemplo, velocímetro, hodômetro total e dois parciais, nível de combustível, relógio e temperatura. Já no mostrador analógico o piloto pode conferir as rotações do motor, além das luzes indicadoras de combustível na reserva, neutro, picas, farol alto e ativação do sistema de imobilização.

Acesse também o link com o motovídeo desta máquina: http://www.youtube.com/watch?v=PbXj_1B5j3Y

Ficha Técnica:
Motor: Dohc, 4 Tempos, 4 Cilindros paralelos, refrigerado a água
Cilindrada: 600 cm3
Potência: Máxima 98 Cv A 12.000 Rpm
Torque Máximo: 6,44 Kgf.M A 10.000 Rpm
Diâmetro X Curso: 65,5 mm X 44,5 mm
Sistema De Alimentação: Injeção Eletrônica
Taxa De Compressão: 12,2:1
Sistema De Partida: Elétrica
Câmbio: 6 Velocidades
Transmissão: Final corrente
Capacidade Do Tanque: 19,4 Litros
Quadro: Dupla trave superior em alumínio
Suspensão Dianteira: Garfo telescópico, com 130 mm de curso
Traseira: Balança de amortecimento hidráulico, com 130 mm de curso
Freio Dianteiro: Duplo Disco Ventilado de 298 mm de diâmetro
Traseiro: Disco ventilado de 245 mm de diâmetro
Pneu Dianteiro: 120/70 Zr17m/C (58w)
Traseiro: 180/55 Zr17m/C (73w)
Dimensões: (C X L X A) 2.095 mm X 755 mm X 1.085 mm
Distância Entre-Eixos: 1.440 mm
Altura Mínima Do Solo: 145 mm
Altura Do Assento: 795 mm
Peso Seco: 180 Kg
Cores: Preta e prata
Preço: R$ 34.504,00

FOTOS: Gustavo Epifanio



Fonte:
Equipe MOTO.com.br / Agência Infomoto




Compartilhe essa notícia

Receba notícias de moto.com.br