Novo Honda PCX é apresentado nos EUA, Europa e Sudeste Asiático

Líder de vendas do segmento no Brasil, o scooter Honda PCX 150 recebeu mudanças em seu design e ciclística em todo o mundo – e deve chegar em breve ao nosso mercado. O modelo 2018 já foi apresentado na Europa, nos Estados Unidos e também no Sudeste Asiático, com um novo quadro, rodas e pneus, além de contar com a opção de freios ABS.

Lançado em 2013 no País, o PCX está em sua segunda geração e já vendeu mais de 110 mil unidades – 30 mil delas só no ano passado. Conheça todas mudanças no novo modelo do scooter de 150cc da Honda.

Mais seguro e confortável
As grandes mudanças começam pelo quadro que passa a ser do tipo berço duplo e permitiu fixar os amortecedores traseiros em uma posição mais recuada. Segundo o fabricante, a nova fixação ajuda na absorção e evita as pancadas de final de curso – que causam tanta reclamação entre os consumidores. Os amortecedores também ganharam molas de constante tripla (ao invés de dupla) para proporcionar um funcionamento mais progressivo.

Confira os equipamentos disponíveis no Shopping.MOTO.com.br!



Com o novo quadro, a distância entre-eixos foi reduzida em apenas 2 mm. Já as rodas de liga-leve aro 14 ganharam novo desenho (com oito raios, no lugar de cinco) e agora são calçadas com pneus mais largos: 100/80 no lugar do 90/90, na dianteira; e 120/70 substituindo o antigo 100/90, na traseira. 

Embora o PCX no Brasil tenha o sistema de freios combinados, a ausência do ABS sempre foi uma desvantagem. Principalmente quando o consumidor o compara com o Yamaha NMax que oferece o sistema. Exatamente por isso, o novo PCX conta com ABS no disco dianteiro de 220 mm. Na traseira, um tambor de 130 mm na Europa e nos Estados Unidos.

Entretanto, em alguns mercados, como Indonésia, por exemplo, a marca japonesa apresentou um modelo com disco e sistema ABS nas duas rodas. Ainda não há informações sobre qual será a configuração do novo PCX 2018 no Brasil.

O certo é que o PCX fabricado em Manaus (AM) não usará o motor de 125cc, que equipa o scooter nos mercados europeus. Por aqui, a motorização vai continuar a ser o monocilíndrico de 150 cc com câmbio CVT (automático), que também é vendido nos Estados Unidos e na Ásia. 

Quer vender sua moto? Anuncie no MOTO.com.br! 

Mais prático e moderno
As demais mudanças procuram tornar o PCX ainda mais prático. O banco está 3 mm mais alto (764 mm) e o compartimento sob o assento ganhou mais um litro de capacidade. Além disso, ficou mais fácil guardar os objetos, pois agora há uma mola que mantém o assento levantado. O porta-objetos atrás do escudo frontal também aumentou, o que permite alcançar os objetos com mais facilidade. A Honda ainda insistiu em uma tomada 12V ao invés de uma entrada USB para carregar o smartphone.



O painel mudou radicalmente, abandonando o ponteiro e o clássico mostrador redondo. A nova instrumentação tem apenas informações digitais e luzes de aviso. Envolvido por uma máscara negra permite rápida visualização da tela LCD e remete aos painéis dos automóveis da marca.

O novo PCX também ganhou um design bem diferente do atual, com linhas mais afiladas e um inédito conjunto óptico. Suas luzes de presença, em LED, acompanham as linhas da carenagem frontal e incorporam as setas. Na traseira, a grande lanterna em forma de “X” traz os piscas integrados.

Outra novidade para alguns mercados do sudeste asiático é a Smart Key (chave de presença), como nos scooters mais sofisticados da marca, SH 150 e 300.

É inegável que o PCX mudou para melhor e agora resta saber qual a configuração que estará disponível no Brasil. Seja qual for a opção, o novo modelo do scooter está bem interessante e tem tudo para continuar sendo o mais vendido do País. Claro que isso vai depender dos equipamentos que o novo PCX “brasileiro” trouxer e o aumento de preço que as novidades podem acarretar.



Fonte:
Agência Infomoto




Compartilhe essa notícia

Receba notícias de moto.com.br