Salão Duas Rodas: Novas marcas aparecem no mercado

Carlos Bazela

Quem visitou o Salão Duas Rodas 2011 certamente não viu apenas os lançamentos de empresas conhecidas como Honda, Yamaha e Kawasaki. A quantidade de marcas novas também impressionou. Com o mercado aquecido, as fabricantes, em sua maioria de origem chinesa, usam o evento como “termômetro” para medir a aceitação de seus produtos pelo público brasileiro e captar parceiros para iniciarem suas exportações para cá.

É o caso de companhias como a Keeway, que pertence ao conglomerado chinês Qianjiang, também proprietário da italiana Benelli, e a indiana Hero, que atingiu a marca de 5,4 milhões de motocicletas vendidas em seu país natal entre os meses de abril de 2010 e março de 2011. Com grandes estandes no Pavilhão do Anhembi, as empresas estão aqui em busca de parceiros locais para atuarem no Brasil.

Investimentos acelerados
Um exemplo de debutante que revela planos ambiciosos é a Jonny Motorcycles que, por meio da sua assessoria de imprensa, revelou investimento na ordem dos R$ 15 milhões. Todo esse dinheiro será empregado em uma fábrica própria de 80 mil metros quadrados em Camaçari (BA) que, segundo a marca, começará a produzir no segundo semestre de 2012.

Parceiros da empresa chinesa Bashan, a Jonny Motorcycles iniciou suas atividades em 2006, firmando parcerias com lojas que fornecem peças para o mercado de reposição. Entretanto, as primeiras motos só foram vendidas na região Nordeste, em 2009, onde a empresa soma 30 pontos de venda, a maioria instalada nos grandes magazines. Hoje, a marca já vendeu mais de 30 mil motos do seu line-up que conta com sete modelos.

Um dos principais produtos apresentados no Salão, já da linha 2012, é a street Quick. Com motor quatro tempos refrigerado a ar de 150cc, a Quick desenvolve 11 cv de potência máxima. O câmbio é semi-automático de 5 marchas e a partida é elétrica. Seu preço público sugerido é de R$ 4.980.

Também é destaque do estande da marca a trail Texas, com motor monocilíndrico de 150cc e torque máximo de 13,4 kgf.m a 7000 rpm. Os freios são a disco ventilado em ambas as rodas. O preço público sugerido é de R$ 5.990.

A partir do próximo ano, a Jonny entra também no mercado das esportivas de baixa cilindrada com duas motos de 150cc: a Naked e a Racer, que traz carenagem integral e faróis divididos em dois conjuntos ópticos. As motos partilham o mesmo motor monocilíndrico que gera 10,5 cv a 7000 rpm. Ambas estão equipadas com freios a disco nas duas rodas e partida elétrica. O preço público sugerido das duas é de R$ 5.990.

Só para trilhas
Outra fabricante que faz a sua estreia no Salão Duas Rodas com modelos próprios é X-Motos. Mas no caso da empresa paranaense os planos são outros. Focada em motos off road, a marca já comercializa no país modelos de 50 e 125cc e agora testa o mercado de motos de enduro com modelos de 250 e 450cc.

Fornecedora de peças para reposição, a empresa é mais uma que aproveita o bom momento do mercado brasileiro de motocicletas para conquistar o seu espaço, ainda que seja em um nicho mais exclusivo.

Com um pé atrás
O ingresso de marcas chinesas no mercado brasileiro não é nenhuma novidade. Entretanto, elas parecem decididas a não repetir erros do passado, como fechar concessionárias e deixar seus consumidores a ver navios no quesito pós-venda. Resta ver se todas essas promessas serão cumpridas e a origem chinesa deixará de ser duvidosa quando falamos em motocicletas.

Fotos: Doni Castilho



Fonte:
Agência Infomoto




Compartilhe:

Receba notícias de moto.com.br