-10790.html" />

Revista Moto

REVISTA MOTO.com.br - 49ª EDIÇÃO December de 2007

Motociclismo brasileiro exige um basta

“Roubo de motos nos grandes centros urbanos torna-se um pesadelo cada vez mais forte para os motociclistas do país”.

Liberdade e medo não combinam. Na verdade, são duas sensações completamente opostas, mas que estão se conflitando no segmento do motociclismo brasileiro por conta da falta de segurança a que os adoradores dos equipamentos de duas rodas são obrigados a se submeter ao andar pelas ruas, estradas e avenidas deste país.

Pilotar uma moto nos dias de hoje, lamentavelmente, significa estar sujeito a correr sérios riscos de assalto e até mesmo de morte, graças à marginalidade que nos cerca, nos enclausura. Chegamos a um ponto crítico de sermos obrigados a desistir de sonhos de consumo, uma motocicleta de grande porte, por exemplo, para evitar o incômodo de ser abordado por um bandido.

Aqueles que consideram absurda esta realidade acabam se auto-sentenciando como vítimas em potencial. Prova disso foi empresário motociclista Marco Antonio Velcofe, que morreu no mês passado ao bater na traseira de um carro quando era perseguido por ladrões na Marginal Pinheiros, em São Paulo. Até quando teremos de suportar tal cenário?

Uma boa notícia em meio a esse quadro caótico foi a de que investigadores da polícia prenderam, recentemente, seis homens de uma quadrilha especializada em roubo de motos de alta cilindrada nos bairros nobres da zona sul da capital paulista.

De acordo com os homens da lei, os bandidos autuados no bairro de Americanópolis roubaram cerca de 150 motocicletas num período de seis meses. Se colocarmos mais 30 equipamentos neste saldo, chegamos a um impressionante e inaceitável índice de uma moto roubada por dia.

Os modelos mais visados, segundo a polícia, custam aproximadamente R$ 70 mil nas lojas. Os receptadores — tão bandidos quanto os que efetuaram o crime —, no entanto, compram a mercadoria roubada por valores bem mais baixos, entre R$ 1 mil e R$ 4 mil.

Embora tenham conseguido prender esta quadrilha, sabemos que muitas outras seguem em atividade e precisam ser combatidas. Não podemos mais nos sujeitar ao domínio dos criminosos e deixarem que nos roubem o prazer da liberdade, umas das melhores sensações geradas por uma motocicleta.

Como uma revista especializada neste segmento, o “MOTO.com.br” se sente na obrigação de expressar o desabafo de uma nação, que não agüenta mais este ingrato sabor da impunidade. Queremos andar com nossas motos, queremos segurança.

Mas para isso, é importante também que tomemos cuidado para não alimentar a criminalidade. Atente, portanto, para a procedência do produto que for comprar, opte por lojas e marcas de confiança e sempre desconfie de preços muito abaixo da tabela. Às vezes, o que parece ser um bom negócio pode ter nascido de maneira ilícita e vitimado um motociclista como você.

Um abraço a todos!


Equipe Moto.com.br