-10787.html" />

Revista Moto

REVISTA MOTO.com.br - 46ª EDIÇÃO December de 2007

Segurança no trânsito: tema de eterna discussão

De acordo com a CET, número de acidentes fatais envolvendo motociclistas aumentou 10% em 2006. O que fazer para mudar este quadro?

Sempre antes de escrever o editorial do “MOTO.com.br”, este jornalista costuma relembrar o assunto que foi discutido na edição do ano anterior. E, durante este breve momento de túnel do tempo, divagar sobre o que mudou e o que ainda permanece em pauta no mundo das duas rodas.

Neste mês de maio não foi diferente: há um ano, falamos sobre a segurança no trânsito, tema que curiosamente e felizmente voltou a ser debatido com maior ênfase nos últimos dias, em função do balanço divulgado pela CET (Companhia de Engenharia de Tráfego) sobre o número de mortes de motociclistas.

Em São Paulo, segundo dados apresentados pela empresa, houve crescimento de 10% no ano passado, passando de 345 em 2005 para 380 óbitos em 2006, o que significa mais de uma vítima fatal por dia.

Nos últimos cinco anos, o falecimento de condutores de motos cresceu 66%, segundo pesquisa da Secretaria Municipal de Saúde. No mesmo período, o cômputo geral de mortes no trânsito caiu 10%, de 1.681 para 1.520.

Se pararmos para analisar os fatores que contribuíram para a formação deste lamentável cenário, chegaremos a diversas respostas, entre as quais “o aumento constante e acelerado do número de motocicletas”, “a falta de respeito e atenção reservados aos motociclistas”, “a imprudência dos motoboys pelas ruas e avenidas”... Enfim, várias justificativas.

Mas ao invés de esperar uma solução dos problemas por parte do Estado ou buscar um culpado para esta situação, trabalhemos inicialmente nossa consciência pessoal. Se você, motociclista, tiver em mente os riscos que pode ter a bordo de seu equipamento motorizado — e isso vale para todos os tipos de veículos —, certamente tomará mais cuidado consigo e, automaticamente, com o próximo.

As palavras educação e respeito surgiram em seu pensamento? Ótimo, pois são elas as que devemos transferir para o trânsito. Façamos, nós, a lição de casa, que é simples e pode salvar muitas vidas. E também lutemos (por que não?) por nossos benefícios, como o de não pagar pedágio nas estradas, o que, aliás, deixou de valer na Rodovia Nova Dutra...

Além deste momento de reflexão, preparamos como de costume uma edição recheada de belíssimas novidades e ofertas do mercado das duas rodas. Afinal de contas, nós respeitamos os motociclistas. E muito!

Um grande abraço a todos!


Equipe Moto.com.br