-89.html" />

Revista Moto

REVISTA MOTO.com.br - 23ª EDIÇÃO January de 2006

Encontrar sua moto já não é uma dificuldade, nem pela internet. Mas e para encontrar um bom seguro de motos?

Quem anda de moto quer ter o prazer máximo de pilotar, isso inclui ter a melhor moto possível no estilo desejado e poder rodar com tranqüilidade. Encontrar a melhor moto podemos dizer que já não é uma dificuldade, existem diversas ofertas no mercado (só no Site e Revista MOTO.com.br são mais de 3700!!) e a cada dia novos lojistas surgem ou ampliam suas estruturas para poder oferecer mais aos motociclistas.

Por outro lado, ainda existem aqueles que tem medo de ter uma moto devido à dificuldade em se ter um seguro. Já recebemos através dos nossos canais de comunicação, diversos pedidos de informações sobre seguros para motocicletas.

Em geral a dificuldade começa na tentativa de encontrar uma seguradora. Em pesquisa recente realizada pelo MOTO.com.br, três renomadas seguradoras líderes no mercado de seguros em geral, e portanto que tem capital e experiência para oferecer o serviço, não querem "se arriscar" neste mercado alegando, em geral, que é de extrema facilidade o roubo de uma moto, além da difícil recuperação.

Outras oferecem o serviço, mas restringem as motos acima de 250 cc, num claro objetivo de excluir o perfil dos motoboys. A diferença de preços entre as menores e maiores que 250 cc também é significativo. Enquanto nas motos de baixa cilindrada o seguro custa em geral mais de 20% do valor, aquelas acima desta faixa podem custar em torno de 10% a 15%, mesmo assim muito acima do que vemos no mercado de automóveis que excluindo os mais visados o valor gira na faixa de 5%.

O fato de muitas motos serem importadas colabora com os altos preços. Peças caras podem fazer o concerto de uma moto chegar facilmente aos 50% do valor ser for considerado a colocação de todas as peças originais. Como em muitas vezes o problema é causado por tentativas de manobras radicais aliadas a pouca experiência, o risco aumenta um pouco. Outra reclamação comum das seguradoras é o tamanho do mercado. Aqui observamos o típico efeito "tostines", é caro porque vende pouco ou vende pouco porque é caro? Ora, se as seguradoras donas de altos caixas e poder de investimento não podem apostar no mercado para criar o volume necessário, quem o fará?

É mais do que tempo de as seguradoras abrirem os olhos para este mercado. Criar mais faixas de preços relacionadas ao perfil do usuário e da moto, tipo de uso e bons serviço de assistência 24hs certamente iriam melhorar muito as condições de contratação do seguro, e quem sabe, os donos de motos de passeio e lazer poderiam desfrutar com um pouco mais de tranqüilidade o prazer de pilotar uma moto.

Esperamos que encontre a sua nova moto aqui!


Aquele abraço,


Equipe Moto.com.br