-56735.html" />

Revista Moto

REVISTA MOTO.com.br - 110ª EDIÇÃO September de 2012

Amor pela velocidade acima de tudo

Valentino Rossi abre mão de um contrato milionário com a Ducati em nome da paixão pela motovelocidade e seu forte espírito esportivo

O casamento de grego, digo, italiano, entre o piloto Valentino Rossi e a equipe Ducati Racing Team não rendeu os frutos que as duas partes esperavam no Campeonato Mundial de Motovelocidade e por isso aconteceu a separação do casal. As tentativas de reconciliação até que foram muitas, mas a relação já estava desgastada dos dois lados.

O multicampeão da MotoGP lamentava por não poder brigar pelas primeiras posições nas corridas e o time de engenheiros da equipe italiana se desdobrava para conseguir melhorias na configuração da moto em busca de soluções e ajustes milagrosos que colocassem Valentino Rossi e a Ducati nas disputas do pódio no máximo possível de GPs.

Apesar de todo o esforço, tanto do piloto quanto dos membros da divisão de competição da lendária fabricante italiana, os resultados não vieram e as discussões, os constantes diz-que-me-disse, desabafos e insatisfações de ambos os lados, acabaram vindo à tona. Aos ouvidos do público estava claro que o relacionamento não ia nada bem.

Ciente do descontentamento de Valentino Rossi, a Ducati, apoiada pela Audi, tratou de oferecer um novo contrato milionário. Muito dinheiro, porém sem garantias de um equipamento competitivo. Com uma oferta bem mais humilde, mas com a promessa de uma moto veloz, a Yamaha Factory Racing recrutou o piloto para as temporadas de 2013 e 2014.

Na vaga da Ducati deve ficar outro italiano. O nome mais cotado é o de Andrea Dovizioso, que já correu de Honda. Agora resta esperar a nova configuração da MotoGP com Valentino Rossi e Jorge Lorenzo disputando as corridas na mesma equipe. E vale lembrar que em 2013 teremos GP aqui do lado, na Argentina, na pista de Termas de Rio Hondo.

Um grande abraço,

Aladim Lopes Gonçalves
aladim.goncalves@moto.com.br


Equipe Moto.com.br