Confira a programação do Rally Dakar

Segundo a ASO (Amaury Sport Organisation), empresa que promove e organiza o Rally Dakar, a prova em 2012 terá um percurso de 9 mil quilômetros, com largada em Mar del Plata, na Argentina, no dia 1º de janeiro, e chegada em Lima, no Peru, no dia 15.

Os números do Rally Dakar impressionam e mostram toda a sua força no mundo das competições off road, com a participação de cerca de 470 veículos inscritos. A última prévia revela um número de 170 carros, 193 motos, 76 caminhões e 25 quadriciclos na lista de competidores.

Do total de 13 participantes do Brasil que disputam o Rally Dakar, sete pilotos brasileiros estão inscritos na disputa entre motos. Além das motocicletas, disputam a competição carros, caminhões e quadriciclos.

Pilotos brasileiros (motos)
Nº   Piloto       Marca    Equipe
26  José Helio Rodrigues  Huqsvarna   Husqvarna Rallye Team by Speedbrain
28  Felipe Zanol     KTM     KTM Brasil
37  Ike Klaumann     Huqsvarna   Husqvarna Rallye Team by Speedbrain
62  Dimas Mattos     KTM     Brasil Moto Tour
89  Denisio do Nascimento   Honda    Petrobras Lubrax
104 Vicente De Benedictis   KTM
109 Arndt Budweg     KTM     Brasil Moto Tour

Programação do Rally Dakar 2012
 
29 a 31 de dezembro
Verificações técnicas e administrativas em Mar Del Plata
 
1º de janeiro – domingo
 Etapa 1: Mar Del Plata/Santa Rosa de la Pampa (Argentina)
 Deslocamento: 796 km
 Especial: 60 km
 
O balneário de Mar del Plata será palco para a cerimônia de apresentação ao público do rali em 31 de dezembro de 2011. Durante a curta especial do dia seguinte os competidores terão direito a uma paisagem de praia, quando as dunas servirão como um primeiro teste para a competição. Depois deste trecho cronometrado, os participantes do rali realizarão um grande deslocamento até a cidade de Santa Rosa de la Pampa.
 
2 de janeiro – segunda-feira
 Etapa 2: Santa Rosa de la Pampa/San Rafael (Argentina)
 Motos – quadriciclos - caminhões
 Deslocamento: 486 km
 Especial: 295 km
 
Carros
 Deslocamento: 486 km
 Especial: 290 km
 
A largada da segunda etapa acontecerá bem cedo e um grande deslocamento fará parte do dia até a chegada do trecho cronometrado. Na primeira metade da especial os competidores percorrerão pistas rápidas, exigindo bastante concentração. Em seguida eles passarão por uma série de dunas, diminuindo sensivelmente a velocidade. Em Nihuil, a pista mudará a sua coloração para tons de cinza, já que a região tem como herança uma intensa atividade vulcânica.
 
3 de janeiro – terça-feira
 Etapa 3: San Rafael/San Juan (Argentina)
 Motos – quadriciclos
 Deslocamento: 293 km
 Especial: 270 km
 
Carros - caminhões
 Deslocamento: 293 km
 Especial: 208 km
 
A Cordilheira dos Andes, presente em todo o Dakar 2012, irá impor todas as suas dificuldades aos pilotos. Na especial do dia muitas passagens por rios e pedras deverão ser evitadas. Sem dúvida, será um dia de bastante trabalho aos mecânicos após a especial. Já a altura e os relevos do trajeto oferecem paisagens suntuosas aos competidores, com variados tons de vermelho.
 
4 de janeiro – quarta-feira
 Etapa 4: San Juan/Chilecito (Argentina)
 Deslocamento: 388 km
 Especial: 326 km
 
Rios secos no caminho e muita atenção. A navegação deverá ser precisa, pois terão muitas armadilhas no decorrer do trajeto. Segundo os organizadores, muitos participantes poderão ser eliminados na etapa de hoje.
 
5 de janeiro – quinta-feira
 Etapa 5: Chilecito/Fiambalá (Argentina)
 Motos - quadriciclos
 Deslocamento: 151 km
 Especial: 265 km
 
Carros – caminhões
 Deslocamento: 246 km
 Especial: 177 km
 
Nesta edição do rali, o percurso foi diferenciado para cada categoria. Entre os competidores de motos, estes deverão redobrar a atenção na planilha, a fim de evitarem erros. Também terão calafrios ao passarem por uma estreita pista na lateral de uma montanha, pouco antes de chegarem às dunas. Já o percurso para carros e caminhões será bem diferente, com mais areia.
 
6 de janeiro - sexta-feira
 Etapa 6: Fiambalá (Argentina)/Copiapó (Chile)
 Deslocamento: 394 km
 Especial: 247 km
 
O verão austral reservará algumas surpresas. Por exemplo, as temperaturas negativas complicarão a vida dos pilotos que chegarão à noite na subida até o Paso de San Francisco, onde cruzarão a fronteira a mais de 4700 metros de altura. No Chile, a especial acontecerá em solo duro, com a brutal aridez do Deserto de Atacama.
 
7 de janeiro – sábado
 Etapa 7: Copiapó/Copiapó (Chile)
 Deslocamento: 154 km
 Especial: 444 km
 
O peso dos quilômetros acumulados desde Mar Del Plata começará a ser sentido pelos competidores, principalmente no momento em que cruzarão uma grande cadeia de dunas. O começo da especial terá pistas em meio a colinas e cactos, que parecem inofensivos. Felizmente, o regulamento autoriza que os veículos podem se apresentar no acampamento até às 18h do dia de descanso.
 
8 de janeiro – domingo
 Descanso
 
9 de janeiro – segunda-feira
 Etapa 8: Copiapó/Antofagasta (Chile)
 Deslocamento: 209 km
 Especial: 477 km
 
Nesta altura da competição o número de competidores terá sido drasticamente reduzido. Neste dia acontecerá a maior especial do rali com pistas cheias de pedras que levarão os participantes até Antofagasta.
 
10 de janeiro – terça-feira
 Etapa 9: Antofagasta/Iquique (Chile)
 Deslocamento: 9 km
 Especial: 557 km
 
Uma etapa com duas paisagens que seguem ao norte do continente, entre oceanos e montanhas. A programação do dia está separada por um trecho neutralizado. No início da especial os competidores passarão por canyons e as pistas terão a vegetação do tipo fesh-fesh. Já na segunda parte o talento dos navegadores será exigido, com poucas referências na planilha e desta forma manterem mais atenção aos dados do GPS.
 
11 de janeiro – quarta-feira
 Etapa 10: Iquique/Arica (Chile)
 Deslocamento: 317 km
 Especial: 377 km
 
Logo cedo os pilotos terão fortes emoções. No começo da especial contarão com uma vista espetacular, que mesclará areia e ondas durante vários quilômetros. No final do dia, mais uma vez os competidores passarão por regiões de fesh-fesh.
 
12 de janeiro – quinta-feira
 Etapa 11: Arica (Chile)/Arequipa (Peru)
 Motos-quadriciclos
 Deslocamento: 171 km
 Especial: 538 km
 
Carros
 Deslocamento: 120 km
 Especial: 478 km
 
Caminhões
 Deslocamento: 120 km
 Especial: 432 km
 
No primeiro dia de Dakar no Peru, alternância de trechos de terra e zonas entrecortadas por rios. Etapa sem assistência para motos e quadriciclos, dificultando a vida destes competidores.
 
13 de janeiro – sexta-feira
 Etapa 12: Arequipa/Nasca (Peru)
 Motos – quadriciclos
 Deslocamentos: 259 km
 Especial: 246 km
 
Carros – caminhões
 Deslocamentos: 440 km
 Especial: 246 km
 
Somente um voo na região para admirar as belas linhas de Nasca, figuras enigmáticas construídas no solo há mais de 2000 anos. As zonas de dunas foram repartidas de forma igualitária, mas uma em especial será lembrada pelos competidores, pois marcou também a equipe de levantamento da planilha do rali. São cerca de 20 quilômetros de dunas, sem interrupção, transportando os competidores a uma nova “dimensão”.
 
14 de janeiro – sábado
 Etapa 13: Nasca/Pisco (Peru)
 Deslocamento: 76 km
 Especial: 276 km
 
Muitas dunas nesta parte do país. Elas irão garantir a decisão do rali até o final da prova. Travessia de dunas aliada ao cansaço dos dias do rali recordarão aos competidores o que significa resistência extrema.
 
15 de janeiro – domingo
 Etapa 14: Pisco/Lima (Peru)
 Deslocamento: 254km
 Especial: 29 km

Na curta especial até a chegada, as pistas e dunas irão divertir os competidores, que não devem se descuidar. No centro da capital peruana, os herois da edição 2012 serão conhecidos e recebidos com uma grande festa. O desafio foi cumprido: ficam imagens, sensações e a marca da experiência inigualável.



Fonte:
Equipe MOTO.com.br




Compartilhe:

Receba notícias de moto.com.br