Superliga de MX: Jorge Balbi é o grande campeão

Jorge Balbi, Adam Chatfield e Thiago Formehl confirmaram o favoritismo e levaram, respectivamente, o título das categorias MX Pró, MX2 e Júnior da temporada 2011 da Superliga Brasil de Motocross. A quinta e decisiva etapa foi realizada no ultimo fim de semana (9 e 10/6) na pista do Centro de Lazer Off-Road (anexa à Honda), em Indaiatuba (SP).

O evento, organizado pela Romagnolli Promoções e Eventos, chega ao fim como um grande exemplo de competição com com padrão internacional de organização e estrutura impecável nas provas realizadas em cinco cidades (Poços de Caldas-MG, Paulínia-SP, Chapecó-SC, Penha-SC no Beto Carrero World e Indaiatuba-SP) que receberam o maio evento na modalidade de motocross no país, além da realização da transmissão ao vivo das corridas na internet, pelo portal MOTO.com.br, e pela televisão.

1ª bateria MX Pró: Dependendo de suas próprias forças para ganhar o trófeu da categoria, o líder Jorge Balbi começou a primeira etapa de forma arrasadora. O competidor fez o holeshot e abriu uma boa distância para os demais colocados.

Já Roberto Castro se atrapalhou na largada e ao final da primeira volta era apenas o décimo. Em corrida de recuperação, o costa-riquenho superou seus limites ao ultrapassar oito adversários e alcançar a vice-liderança. A posição era incômoda ao piloto, que precisava chegar à frente de Balbi  para diminiur a diferença de pontos na classificação geral. O ímpeto de Castro não adiantou, já que Balbi caminhou livre para a vitória.

2ª bateria MX Pró: Na segunda prova foi a vez de Roberto Castro fazer uma ótima largada. O costa-riquenho brigou pelo primeiro lugar com Gabriel Gentil na volta inicial, conquistou a liderança e disparou na frente. Já Balbi, líder do campeonato, não teve um bom começo, mas mesmo assim ocupava o quinto lugar. Em uma volta, o mineiro ultrapassou três oponentes (Dudu Lima, Roosevelt Assunção e Luis Correa) e pulou para a segunda colocação, necessária para conquistar o título. Roberto Castro terminou o campeonato com a segunda colocação, seguido de João Paulino “Marronzinho”.

“Foi uma temporada difícil, cheia de lesões. Procurei não cometer o erro da etapa anterior, em Penha. Coloquei uma pressão em mim para ganhar este título e consegui”, explica Balbi, que ao final da bateria comemorou com a torcida realizando várias manobras.

Sem poder fazer nada, coube a Castro, que precisava tirar sete pontos do líder, correr para a vitória e torcer para um tropeço do adversário. O erro não aconteceu e Jorge Balbi, com 200 pontos, consagrou-se campeão da Superliga Brasil de Motocross 2011.

1ª bateria MX2: Sem tirar o mão do acelerador, o líder do campeonato, Adam Chatfield, fez o holeshot e caminhou para a liderança ainda na primeira curva. Sem ninguém pela frente, o inglês tinha pista livre para a vitória. Os concorrentes do piloto pelo título da categoria, Jean Ramos e Hector Assunção, tentavam permanecer vivos na disputa.

Jean perdeu um pouco de tempo ao tentar ultrapassar Hugo Amaral e Humberto Martin. Conseguiu, mas já era tarde para alcançar Adam. Já Hector teve dificuldades na largada e demorou para encostar no pelotão de frente. Mesmo assim, não se intimidou com o fato de estar em posições intermediárias e partiu para cima dos oponentes. Ao final da bateria, terminou em terceiro e viu a diferença para Adam Chatfield crescer para doze pontos. Jean Ramos foi o segundo na corrida. "Com a vitória na primeira bateria, entre mais mais tranquilo na segunda. Sabia que poderia ficar entre os cinco primeiros. Estou muito feliz ser campeão", destaca o vitorioso Adam Chatfield.

2ª bateria MX2: Quando o gate caiu para os 25 pilotos que disputaram a bateria, Jean Ramos logo pulou para a primeira posição e Rafael Faria era o segundo. Enquanto Hector encostava no líder da prova, Adam Chatfield não teve um bom início e ocupava o segundo pelotão. “Voando” na pista, Hector ultrapassou Jean na terceira volta.

Rafael Faria, em quarto, e Adam, em quinto, proporcionaram um grande duelo durante algumas voltas. Melhor para o inglês, que ultrapassou o brasileiro e ficou a um passo do título. Hector chegou a primeira colocação, mas para vencer o campeonato, precisava que Adam terminasse a corrida em oitavo. Porém o inglês já era terceiro. Hector recebeu a bandeira quadriculada em primeiro, mas Adam, na terceira posição da prova, conquistou o inédito título, com 194 pontos.

Bateria Júnior: Com a vantagem de chegar entre os noves primeiros para garantir o título, o líder da categoria, Thiago Formehl, fez uma boa largada, no entanto não conseguiu manter a ponta. Logo nas primeiras voltas, o mato-grossense cedeu o primeiro lugar para o adversário na briga pelo troféu, Gustavo Henn, após uma querda. O catarinense chegou a andar na frente, porém Pedro Bueno, em ritmo forte, o ultrapassou e assumiu a liderança.

Apesar de duas quedas, Formehl cruzou a linha de chegada na quinta colocação e conquistou o título da classe, com 88 pontos. A prova foi vencida por Pedro Bueno. "Foi muita adrenalina durante toda a prova. Comecei bem, mas cai duas vezes. Felizmente garanti o campeonato", comemora Formehl.

Confira o vídeo da Equipe Honda Mobil na etapa final de Indaiatuba (SP).

Classificação final (MX Pró)
1) JORGE BALBI, 200 pontos
2) ROBERTO CASTRO, 196
3) JOÃO MARRONZINHO, 137
4) EDUARDO LIMA, 135
5) JOÃO FELTZ, 115

Classificação final (MX2)
1) ADAM CHATFIELD, 194 pontos
2) HECTOR ASSUNÇÃO, 187
3) JEAN RAMOS, 180
4) RAFAEL FARIA, 149
5) HUMBERTO MARTIN, 148

Classificação final (Júnior)
1) THIAGO FORMEHL 88, pontos
2) GUSTAVO HENN, 79
3) KAIO MIRANDA, 75
4) GUSTAVO SOUZA, 59
5) FÁBIO SANTOS, 54



Fonte:
Equipe MOTO.com.br




Compartilhe:

Receba notícias de moto.com.br