Sertões planeja conclusão da Ação Social

Trabalho de inclusão parte para a 3ª fase nas escolas que fizeram parte do percurso da prova.

Por Adilson

O Rally Internacional dos Sertões já terminou, mas as ações sociais que envolvem a competição ainda não.

A equipe responsável pelo Programa de Desenvolvimento Sustentável da Escola, promovido pela competição, cumpriu com sucesso seu objetivo na segunda etapa dos trabalhos, realizada durante a maior prova off-road das Américas e agora, parte para a terceira e última fase com o desejo de concluir o programa com um saldo mais do que positivo.

Desenvolvida em parceria com o Instituto Brasil Solidário, a ação teve início em abril e será concluída em outubro, com a terceira fase. Desde o início, nove cidades incluídas no percurso foram visitadas. Para concluir, uma série de trabalhos em estão na lista da equipe que desenvolve o projetos.

As escolas e as comunidades participantes irão receber ações nas áreas de saúde, inclusão digital, educação, psicologia, consciência ambiental, cultura e artes. Tudo foi planejado para que eles chegassem à conclusão do que era mais necessário para as comunidades.

Uma das áreas que mais despertou a atenção nesse período foi a de inclusão digital. Nesta última fase, os alunos que desenvolveram trabalhos de fotografia e vídeo terão seus trabalhos apresentados em uma exposição.

“Além disso, os cinco melhores alunos de cada cidade receberão equipamentos digitais para que possam dar continuidade ao que aprenderam”, explicou o diretor de projetos do Instituto Brasil Solidário, Luis Salvatore.

Na parte de saúde, outro ponto que ganhou destaque durante as visitas da equipe, os trabalhos serão bastante diversificados. Óculos serão distribuídos para as pessoas que realizaram exames oftalmológicos e palestras em diversas áreas da saúde, incluindo sexualidade, serão realizadas. “Iremos inaugurar também o escovódromo nas escolas para que os alunos possam cuidar melhor da saúde bucal”, completou Salvatore.

Como o objetivo do projeto é que com os ensinamentos passados, elas andem com as próprias pernas, nesta terceira etapa as escolas terão de apresentar resultados. “Entre as ações previstas, elas terão de apresentar teatros de marionetes, uma feira com produtos desenvolvidos com materiais reciclados e torneios esportivos”, contou o direitor. “Esta será a certificação de que eles tocaram sozinhos os projetos”.

Os alunos poderão participar também de oficinas de edição de vídeo, desenvolvimento de instrumentos musicais e aproveitamento de alimentos nas refeições.

A segunda etapa foi realizada durante o Rally dos Sertões, no mês de junho. O destaque foi o número de visitas médicas realizadas e a grande quantidade de pessoas atendidas.

No total, 7509 atendimentos foram realizados durante o período e 1033 consultas oftalmológicas. Além disso, a etapa contou com atendimentos odontológicos e farmácias foram montadas por onde o projeto passou.

As ações foram realizadas por 24 pessoas que formaram a equipe do programa. “O retorno foi muito bom. Sentimos um grande amadurecimento da ação. Preparamos melhor as pessoas para executar os trabalhos. Observamos que alguns lugares estavam dando continuidade às ações iniciadas na primeira fase de forma independente e trocando os conhecimentos adquiridos com outras comunidades através do blog criado para o programa”, contou Salvatore.

O trabalho de inclusão digital também tem surtido grande efeito. Segundo o organizador, alguns alunos que iniciaram as oficinas de imagem no início dos trabalhos já estão colhendo os frutos. Eles juntaram as economias que tinham e investiram na compra de máquinas digitais. “As comunidades já estão andando com as próprias pernas. Cada vez, estamos vendo o retorno mais rápido”.

Fonte:
Equipe MOTO.com.br

Compartilhe:

Receba notícias de moto.com.br