RALLY DAKAR 2006

Organização da prova determina percurso de ligação na décima especial das motos.

Por Fredy

Em respeito e homenagem ao australiano Andy Caldecott, morto ontem em um acidente na especial entre as cidades de Nouakchott e Kiffa, na Mauritânia, os organizadores do Rali Dakar anunciaram o cancelamento da décima etapa da categoria motos, que seria disputada nesta terça-feira. A medida teve aceitação não apenas dos dirigentes, mas também dos competidores das duas rodas.

O percurso do dia, desta forma, torna-se apenas de deslocamento para Kayes, no Mali. Antes de partirem, porém, os pilotos participam de um briefing no acampamento de Kiffa.

A trajetória, de 333 km, marca a mudança da paisagem das dunas de areia do deserto por uma vegetação rasteira, a savana africana. Segundo os representantes do Brasil na prova, o novo cenário se assemelha ao sertão brasileiro.


No trecho fatal do Dakar 2006, a vitória ficou com o francês Cyril Després, vice-líder na classificação geral, que tenta se manter na briga pela vitória mesmo com a clavícula esquerda deslocada. Marc Comá, o primeiro da tabela, segue na frente com mais de 22 minutos de vantagem sobre o segundo colocado.

Além do acidente fatídico de Caldecott, o trecho de segunda-feira também registrou dois acidentes de Isidre Esteve Pujol, que ocupava o segundo lugar. O espanhol se machucou na segunda queda e precisou ser socorrido de helicóptero pela organização.

O Brasil, depois de receber uma punição na especial de sábado - por não ter passado por um dos pontos demarcados pelo Dakar -, voltou a subir na classificação. Jean Azevedo foi o oitavo mais veloz do percurso e ganhou uma posição na tabela, ocupando agora o décimo lugar.

Amanhã, na retomada das atividades, os pilotos disputarão uma especial de 231 km cronometrados em direção à cidade de Bamako. O caminho será marcado pela reserva de fauna de Badinko além da biosfera do Arco do Baoulé e, ainda, as estradas estreitas, onde a prudência torna-se a recomendação primordial.

Nota e aviso

A KTM, hegemônica na categoria motos do Dakar, expressou suas condolências à morte de Caldecott, um de seus pilotos no perigoso rali. Em nota oficial, a montadora ressaltou o consentimento para a eventual desistência de qualquer um de seus demais competidores.

"Nós garantimos a todos os participantes a possibilidade de decidirem deixar ou continuar no rali, mas a KTM, nesta altura dos fatos, não tem nenhum interesse pelo resultado esportivo deste Dakar", disse a marca no informativo.

Quem também se pronunciou sobre a fatalidade foi o espanhol Jordi Arcorons, chefe de equipe da KTM. O dirigente lembrou da escalação de última hora de Caldecott, que só foi chamado para o Dakar por conta de um acidente com Jordi Durán, quem deveria ocupar a moto de número 10.

"Não dá para mudar o destino, ele é como é, embora seja difícil de aceitar. O risco existe sempre, mas temos de trabalhar para encontrar formas para aumentar a proteção dos pilotos, embora agora seja um pouco tarde para o Andy", lamentou.


Confira a classificação:
1) Marc Comá (ESP/KTM), 38h49min15s
2) Cyril Després (FRA/KTM), a 22min47s
3) Giovanni Sala (ITA/KTM), a 53min04s
4) Pal Anders Ullevalseter (NOR/KTM), a 1h27min42s
5) Carlo de Gavardo (CHI/KTM), a 1h35min15s
10) Jean Azevedo (BRA/KTM), a 3h57min35s


Fonte:
Equipe MOTO.com.br

Compartilhe:

Receba notícias de moto.com.br