Pirelli nas motocicletas do Dakar em 2010

Nas motos, a marca disputa pelo 2º ano o Rally, calçando a equipe KTM com o modelo Scorpion.

Por André Jordão

A partir do dia 1º de janeiro de 2010, pilotos de carros, caminhões e motos do mundo inteiro irão percorrer 9.000 quilômetros pelas estradas e desertos da Argentina e do Chile durante 17 dias. Será a segunda edição do Rally Dakar realizada na América Latina. Para superar os mais diversos tipos de terrenos em condições extremas, como desertos e lama, alguns desses competidores escolheram pneus de alta performance desenvolvidos pela Pirelli especialmente para provas off-road.

A participação em campeonatos auxilia no desenvolvimento de novos produtos, pois as pistas são verdadeiros laboratórios a céu aberto. Muitos dos avanços tecnológicos obtidos nas competições são transferidos para os pneus utilizados nas ruas. No universo das competições, a parceria mais longa da Pirelli é com a Equipe Petrobras Lubrax, que completou 23 anos. Ela teve início dois anos antes do time brasileiro estrear no Rally Paris-Dakar, em 1988. Desde então, os pilotos do time colaboram ativamente com a equipe de engenharia da Pirelli, que leva em consideração as observações feitas por eles após as provas. Até mesmo os pneus usados são analisados pelo Centro de Pesquisa e Desenvolvimento da empresa.

Motos

Este é o segundo ano em que a Pirelli é fornecedora oficial das equipes KTM no Rally Dakar com o modelo Scorpion Rally desenvolvido para motocicletas.

Ao contrário da linha irmã para carros, este pneu off-road de competição é recente, fez a sua estreia oficial na edição de 2009. Em seu batismo, o Scorpion Rally para motos superou os diferentes tipos de terrenos na Argentina e Chile, passando pela Terra do Fogo, as montanhas da Cordilheira dos Andes e o Deserto do Atacama, o mais seco do mundo, e já conquistou o primeiro e o segundo lugares entre as motos, com os pilotos Marc Coma e Cyril Despres, respectivamente.

A estrutura funcional do pneu ajudou a garantir o desempenho extraordinário e a alta resistência contra fadiga e perfurações. Além disso, o composto e o desenho do produto são projetados para proporcionar mais tração e aderência em terrenos difíceis, encontrados nos mais árduos rallies, como o Dakar.

Na categoria Motos Production, até 450 cilindradas, a equipe Petrobras Lubrax compete com uma KTM pilotada por Rodolpho Mattheis.    


Fonte:
Equipe MOTO.com.br

Compartilhe:

Receba notícias de moto.com.br