Pequena notável no motocross brasileiro

Stefany Serrão, de apenas 12 anos, sonha em ser campeã das principais categorias off-road.

Por Leandro Alvares

Leandro Alvares

Sua paixão é correr de motocross. O sonho, participar um dia de um dos mais acirrados campeonatos do planeta, realizado nos Estados Unidos. Na pista, já acelera forte com motos de 85cc e defende a importante bandeira de ser uma menina de apenas 12 anos em meio ao círculo do esporte a motor sobre duas rodas predominantemente masculino. Esta é, simplesmente, Stefany Serrão.

A jovem paulista começou bem cedo a se interessar pelo fascinante mundo do motociclismo, tendo boa parte da influência vinda de seu pai, Dener, dono de uma loja de motos no centro de São Paulo. E foi em 2002, com sete aninhos, que a pequena despertou o desejo de competir.

“Fui com meu pai assistir a uma etapa do Campeonato Brasileiro de Motocross. Gostei tanto que pedi para ele me deixar correr”, relembra a adolescente. “Foi então que comecei a pilotar, com uma PW 50, e fiz a minha primeira corrida no Paulista. O resultado não foi muito bom, caí diversas vezes, mas em nenhum momento pensei em desistir”, destaca.

Em 2003, na primeira temporada da precoce carreira, Stefany chamou a atenção de muita gente ao brigar pelas primeiras posições dos torneios Paulista e Brasileiro, nos quais surpreendeu ao se sagrar vice-campeã na categoria infantil para equipamentos de 50cc. Além disso, conquistou seu primeiro título, de forma invicta, no Paulista de Enduro de Velocidade.

Nos dois anos seguintes, a piloto manteve-se na condição de protagonista dos certames off-road mirins, dando muito trabalho para os meninos. “Fui campeã do Paulista e do Arena Cross em 2005 e saltei para a categoria das 65cc no ano passado. Foi uma nova experiência, difícil, mas fiquei satisfeita com o meu desempenho”, analisa Stefany.

O reconhecimento do talento veio neste ano, ao ser contratada pela equipe oficial da Yamaha. Como preço, um desafio ainda maior: competir entre as feras juvenis das 85 cilindradas. “Foi uma aposta que fizemos ao antecipar minha estréia nesta categoria. A moto mudou muito, por ter motor mais forte e uma melhor suspensão, mas eu logo me adaptei a ela e estou treinando bastante para evoluir cada dia mais”, conta a menina, que em 2007 disputa o Paulista, o Brasileiro e o Arena Cross.

“Fiquei de fora das duas primeiras rodadas do Brasileiro de Motocross. Não fosse isso, talvez estivesse melhor posicionada na classificação”, ressalta a corredora, que fechou o ano no 11º lugar da tabela com 29 pontos.

Já de olho em 2008, em que continuará pilotando um modelo de 85cc, Stefany está confiante na evolução para retomar a luta pelos primeiros lugares. “Quero aprender o máximo possível e, no ano que vem, minha meta será ficar entre os cinco melhores do Paulista e os oito primeiros do Brasileiro. Vitória? Acho um pouco difícil, mas sempre entro na pista pensando no primeiro lugar. E um dia chegarei lá, várias vezes”, avisa.

Aceleradas com Stefany Serrão

Fora das pistas de terra, Stefany é uma menina como outra qualquer. “Estou na 6ª série, estudo bastante, faço natação, gosto de jogar futebol, ouvir música, jogar videogame (os jogos de motocross são meus prediletos), usar o computador. Em relação a namoro... prefiro pensar nisso mais para frente”, diz entre risos.

MOTO.com.br: Fale mais um pouco então sobre sua vida fora da moto, sem o macacão:

Stefany Serrão: Gosto de ficar em casa, com meus pais e minha irmã, já que na maior parte do tempo estou viajando para as corridas. Minha banda favorita hoje é a “Black Eyed Peas”, meus filmes preferidos são os de comédia e terror, adoro strogonoff de carne e macarrão com nuggets. Ah, e quando posso, vou para a praia.

M: Qual o seu grande sonho?

SS: Disputar o WMA Motocross nos Estados Unidos, uma das mais conceituadas competições off-road para mulheres. Quero seguir os passos da Mariana Balbi, que foi a primeira brasileira a disputar esse campeonato. Mas por enquanto prefiro ter os pés no chão e me dedicar ao máximo para ser campeã nas principais categorias do Brasileiro de Motocross.

M: Como é o seu relacionamento com os meninos no motocross? Eles não ficam incomodados por andar atrás de você?

SS: (Risos). Tenho muitos amigos e eles me respeitam muito. Na pista, não interessa se você é menino ou menina, e eles sabem disso assim como eu. Engraçados mesmo, às vezes, são os pais de alguns pilotos, que ficam indignados por ver o filho sendo superado por mim.

M: Você não sente medo em correr?

SS: Sinceramente não. Acho que se eu pensasse nisso deixaria de pilotar. Quem tem medo é a minha mãe, que sempre pede para eu tomar cuidado, fica apavorada quando me vê cair — o que acontece de vez em quando. Até meu pai também se preocupa, mas tanto ele como minha mãe me incentivam muito. Tenho um forte apoio em casa.

M: Revele-nos os seus ídolos no motocross?

SS: Aqui no Brasil é o Ratinho (Marcello Ferreira). Fora do país, o Ricky Carmichael. Ele é demais. Também gosto do James Stewart, mas meu favorito é o Ricky. Quero ver como ele vai se sair no ano que vem correndo de carro, na Nascar. Vou torcer muito para fazer sucesso!

M: Como você se sente ao ser uma das poucas mulheres a se destacar no motociclismo?

SS: Ao mesmo tempo em que me sinto feliz fico triste, pois há muitas meninas correndo de moto por aí. Falta mais incentivo por parte de patrocinadores para que elas se destaquem. Eu torço muito para ter mais meninas como adversárias. Os meninos que se cuidem quando esse dia chegar (risos).
 
Currículo respeitável

2007 (Categoria 85cc)

- 11ª posição no Campeonato Brasileiro de Motocross
- 8ª posição no Campeonato Paulista de Motocross (em andamento)
- 9ª posição no Arena Cross (em andamento)

2006 (Categoria 65cc)
- 6ª posição no Campeonato Paulista de Motocross
- 12ª posição no Campeonato Brasileiro de Motocross

2005 (Categoria 50cc)
- Campeã Paulista de Motocross
- Campeã do Arena Cross
- Vice-campeã Brasileira de Motocross (Minicross 50cc)

2004 (Categoria 50cc)
- Vice-campeã Paulista de Motocross
- Vice-campeã do Arena Cross
- Vice-campeã do Campeonato Amador de Motocross

2003 (Categoria 50cc)
- Campeã Paulista de Enduro de Velocidade (cat. infantil A) - Invicta
- Vice-campeã Paulista de Motocross (cat. infantil A)
- Vice-campeã Brasileira de Motocross 50cc (cat. infantil B - Minicross 50cc)

Fotos: Divulgação.

Fonte:
Equipe MOTO.com.br

Compartilhe:

Receba notícias de moto.com.br