Motocross: Seguindo a tradição

Indaiatuba (SP), que é uma das mais tradicionais etapas, abre temporada do Brasileiro.

Por André Jordão

A etapa de Indaiatuba (SP), é uma das mais tradicionais do Motocross Brasileiro. Ano a ano, tem batido recorde de pilotos. Em 2008, 428 competidores fizeram a prova.

Recorde de inscritos em uma prova de circuito fechado na América Latina. No próximo fim de semana, a cidade recebe, pelo 11º ano consecutivo, a abertura da competição. A corrida acontece mais uma vez no Centro Educacional de Trânsito Honda (C.E.T.H.).

Espaço tradicional do motocross nacional, o C.E.T.H. é um Centro de Treinamento com a melhor estrutura para receber a competição.

Ano passado, a cidade recebeu também uma etapa do Latino-Americano. Comissários da União Latino-Americana de Motociclismo (ULM) estiveram presentes e fizeram muitos elogios ao local.

“A pista é muito boa. Existe muita segurança tanto para os pilotos quanto para o público. Aqui, com certeza, podem ser sediadas grandes provas”, comentou o presidente da ULM, Pedro Venturo.
 
Este ano o campeonato terá muitas novidades. A principal delas é a integração da 50cc à competição. Agora, os pilotos mirins terão a chance de competir junto aos seus ídolos e acompanhar as disputas dos principais nomes do país.

O sistema de pontuação também sofreu alterações. A CBM adotou o critério internacional e passa a pontuar os vinte primeiros. A premiação também será recorde: a Honda, patrocinadora do evento, aumentou para 50 mil o valor a ser dividido entre os competidores.
 
Repetindo a estrutura do ano passado, a etapa de abertura terá provas tanto no sábado quanto no domingo. No sábado, irão competir as categorias 50cc, 65cc, MX 3 e MX Jr.

No domingo, entram na pista os pilotos da MX2, CRF 230, 85cc e MX1. “Nesta etapa de abertura sempre temos um número muito grande de pilotos e muitas baterias classificatórias. Assim, o formato de dois dias é o ideal. Nas outras etapas, vamos avaliar se serão um ou dois dias, dependendo do número de inscritos”, explicou Alexandre Guelman, presidente da CBM.
 
Campeã de 2008 nas categorias 85cc e MXJr, o Team Honda vem ainda mais forte para a temporada 2009. A equipe manteve Leandro Silva, Wellington Garcia e todos os outros integrantes do ano passado.

Ainda contratou reforços, que serão anunciados em breve. Já a Pro Tork reduziu o número de pilotos, mas manteve João “Marronzinho” e Milton “Chumbinho” Becker, campeões da MX 1 e MX 3, respectivamente.
 
O Campeonato Brasileiro de Motocross será realizado em oito etapas. A realização é da Federação Paulista de Motociclismo. Supervisão Confederação Brasileira de Motociclismo.


Fonte:
Equipe MOTO.com.br

Compartilhe:

Receba notícias de moto.com.br