KTM investe na segurança dos pilotos

Marca austríaca adotou um colar de proteção cervical como item obrigatório para o Dakar.

Por Leandro Alvares

Falar sobre segurança é mais do que obrigatório para todos os envolvidos com a realização do Rally Dakar. Na categoria motos, este importante tema levou a KTM a adotar um acessório extra para cada um de seus pilotos, o leatt brace.

Desenvolvido nos últimos cinco anos por uma equipe de sul-africanos, o colar feito em carbono assenta nos ombros e tem como missão proteger a coluna cervical dos motociclistas, caso venham a sofrer uma queda ao longo do percurso pelo deserto africano.

“O médico Chris Leatt, um apaixonado por enduro, foi o principal responsável pelo projeto”, disse Karl Eber, diretor de marketing da Leatt Force, empresa que fabrica o dispositivo.

“Ele observou a necessidade de existir um produto de proteção ao piloto de motocicleta, que está sempre sujeito a lesões em caso de queda, por mais simples que seja. Por isso criou o colar”, acrescentou.

Esta é a primeira vez que o leatt brace é utilizado no Dakar. “Trata-se de uma das provas mais exigentes do mundo e, por tal motivo, o palco ideal para comprovar a qualidade e os benefícios do aparelho”, completou Eber.

O interesse da KTM pelo acessório não foi por acaso. A marca austríaca perdeu nomes importantes nas últimas edições da competição off-road, como Fabrizio Meoni, Richard Sainct e Andy Caldecott.

A expectativa da montadora é que o investimento seja eficaz e faça com que o infeliz adjetivo de "Rally da Morte" não seja mais condizente com a prova.

Fonte:
Equipe MOTO.com.br

Compartilhe:

Receba notícias de moto.com.br