''Garra'' e polêmica na final do Brasileiro de MX

Campeonato segue equilibrado nas 85cc e na MXJr. Na MX1 continua a dúvida.

Por André Jordão

Está tudo pronto para a final do Campeonato Brasileiro de Motocross, marcada para  este final de semana em Nova Friburgo, região serrana do Rio de Janeiro. O piloto paulista  Rodrigo Rodrigues está muito perto do título da categoria MXJr. Ainda no páreo da 85cc, o goiano Everaldo Filho, está em segundo lugar na tabela, atrás de Endrews Armstrong.

A briga na  MXJr está entre os competidores do Team Honda. Rodrigo Rodrigues possui  152 pontos, na frente dos companheiros de equipe Gustavo Takahashi (138  pontos), Hector Assunção (137) e Rodrigo “Lama” (119). “Até a última  bandeirada nada está resolvido. Vou andar sem arriscar, sempre pensando no  título”, explicou Rodrigo, que tem usado uma importante arma na  competição. “Eu tenho sido o piloto mais constante, por isso estou na  liderança. O nível dos adversários está bastante parecido e pretendo  descansar bastante e me alimentar bem até o dia da prova”, continuou o  paulista.

Já na 85cc, a  situação é mais difícil. Everaldo Filho possui 121 pontos, 13 atrás de  Endrews Armstrong, que está em primeiro lugar. “Enquanto houver chance vou  me esforçar ao máximo para levar este título”, disse o goiano.

O goiano Wellington Garcia tem sido o grande nome da temporada 2009. Assim como em 2007, o piloto assegurou os títulos  da MX1 e da MX2 – mas, desta vez, por antecipação. Porém, a definição da  principal classe envolve uma disputa fora das pistas que influenciou neste resultado. João Paulino “Marronzinho”, que estava na briga direta pelo  título da MX1, foi punido pela organização do evento por não utilizar os  pneus oficiais da competição e perdeu os pontos conquistados na temporada.

“Tenho ótimas expectativas para a final do Brasileiro. O meu principal objetivo é vencer  a categoria MX1, pois quero ser lembrado como o campeão por competência, e não por conta desta briga judicial que não tem nada a ver”, explicou Wellington Garcia. “Estou tranquilo, sem sentir pressão alguma. Quero largar bem, não cair e ser o mais rápido na bateria”, continuou.

Ao contrário  das etapas anteriores, nas quais teve de dividir as atenções entre as  classes MX1 e MX2, Wellington está focado na principal categoria. “Posso até alinhar no gate da MX2, mais para sentir a pista e descarregar a adrenalina, mas não tenho compromisso com resultado”, concluiu o goiano.


Fonte:
Equipe MOTO.com.br

Compartilhe:

Receba notícias de moto.com.br