Dakar tenta se livrar de infeliz adjetivo

Em 30 anos de existência, 'Rali da Morte' fez 50 vítimas fatais; duas na última edição.

Por Leandro Alvares

Leandro Alvares

No próximo sábado (5), cerca de 3.500 competidores darão início em Portugal ao mais famoso evento off-road do planeta, também conhecido por ser uma das provas mais perigosas existentes, intitulada por muitos como “Rali da Morte”.

Em 30 anos, o Rally Dakar fez 50 vítimas fatais. Somente nesta década morreram sete participantes, sendo dois na última edição: o sul-africano Elmer Symons e o francês Eric Aubijoux, ambos corredores da categoria motos.

Críticas sobre este triste índice da competição são freqüentes. No ano passado, o “L’Osservatore Romano”, jornal do Vaticano, publicou um editorial no qual classificava a disputa como “corrida sangrenta e irresponsável”.

“Muitos classificam o rali como um evento esportivo, mas ele pouco tem a ver com uma competição saudável. O rastro de sangue que cresce de ano a ano demonstra o inegável componente de violência que existe em todas as tentativas de exportar modelos ocidentais para ambientes humanos e ecossistemas diferentes do Ocidente”, dizia a publicação.

A organização e os patrocinadores do evento também foram alvo de ataque do jornal na ocasião. “Com uma postura cínica, todos eles ignoram as realidades locais do continente africano. Os carros, caminhões e motocicletas abandonados no deserto são ‘monumentos enferrujados de irresponsabilidade’”.

Para a edição 2008 do Rally Dakar, foram inscritos 580 veículos entre carros, motos, caminhões e quadriciclos. A prova será disputada do dia 5 ao 20 deste mês, passando por Portugal, Marrocos, Mauritânia e Senegal e totalizando quase 10 mil quilômetros. Esperamos que, neste ano, sem vítimas fatais.

Confira as principais tragédias do Dakar:

2007: Eric Aubijoux, de 42 anos, sofre parada cardíaca e morre após a especial entre Tambacunda (Mali) e Dakar (Senegal).

2007: Elmer Symons, de 29 anos, sofre um acidente com a KTM 660 na etapa entre Er Rachidia e Ouarzazate, no Marrocos. O helicóptero médico leva aproximadamente oito minutos para chegar ao local, mas encontra o competidor da moto 107 sem vida.
 
2006: Andy Caldecott, de 41 anos, sofre um acidente fatal na etapa entre as cidades de Nouakchott e Kiffa, na Mauritânia. Nesta mesma edição, três crianças são atropeladas e falecem com a passagem do rali pela África.

2005: O italiano Fabrizio Meoni, bicampeão do Dakar em 2001 e 2002, morre aos 47 anos de parada cardíaca depois de sofrer uma queda com sua KTM.

2005: O motociclista espanhol Jose Manuel Pérez sofre uma queda na sétima etapa da prova e morre no hospital de Alicante, na Espanha, aos 41 anos.

2003: O estreante navegador Bruno Cauvy morre após um acidente nas dunas da última etapa, disputada na Líbia.

2002: Daniel Vergnes, preparador de carros da escuderia Toyota Trophy, morre durante a 11ª etapa, na Mauritânia.

1997: O motociclista Jean-Pierre Leduc morre quando o Dakar passava por Mali.

1996: Entre as cidades de Foum El Hassan e Smara, Laurent Gueguen morre depois da explosão de seu caminhão.

1994: O motociclista belga Michel Sansen morre após um grave acidente.

1992: Entre Syrte e Sabham, na Líbia, Jean-Marie Sounillac e Laurent Le Bourgeois, em um carro de assistência, capotam e morrem. No mesmo ano, o Dakar faz o motociclista Gilles Lalay outra vítima fatal.

1991: Charles Cabannes, piloto francês de caminhão, é atingido por uma bala perdida em Mali.

1988: Kees Van Loevezijn, navegador holandês do piloto Daf de Van de Rijt, morre por causa de ferimentos depois de ser lançado para fora da cabine de seu caminhão. O co-piloto Patrick Canado morre depois de seu carro se chocar contra outro.

1986: O motociclista japonês Yasuo Kaneko sofre acidente e morre. No dia 14 de janeiro, um acidente de helicóptero ao sul de Níger tira a vida do criador do Dakar, Thierry Sabine, assim como outras quatro pessoas que o acompanhavam: o cantor Daniel Balavoine, a jornalista Nathaly Odent, o piloto François-Xavier Bagnoud e o técnico de rádio Jean-Paul Lefur.

1983: Jean-Noul Pineau, com uma Yamaha, morre em acidente em Ouagadugu.

1982: O holandês Bert Oosterhuis morre depois de uma queda com sua Yamaha.

1979: O motociclista Patrick Dodin sofre acidente fatal em Agadez-Tahoua.

Fonte:
Equipe MOTO.com.br

Compartilhe:

Receba notícias de moto.com.br