COPA NACIONAL DE MOTOCROSS

Capital brasileira comemora sucesso do evento.

Por Thiago Fuganti

A Copa Nacional de Motocross 2006 foi realizada no último fim de semana no circuito do Tagua Parque, localizado no Pistão Norte de Taguatinga, em Brasília. O evento, o primeiro dedicado exclusivamente a motos de fabricação nacional, superou as expectativas dos organizadores da Federação Brasiliense de Motociclismo (FMDF) e dos supervisores da Confederação Brasileira de Motociclismo (CBM), reunindo pilotos de Goiás, Minas Gerais e Mato Grosso, além do Distrito Federal.
 
Foram disputadas quatro baterias, duas no sábado e duas no domingo. Depois de muita chuva no primeiro dia, os competidores foram presenteados pelo sol no domingo, o que contribuiu para atrair ainda mais o interesse do público.
 
O presidente da FMDF, Carlos Senise, fez um balanço positivo das provas. “Sofremos muito com a chuva, mas a batalha foi recompensada com a presença do público. No ano que vem a previsão é de que a Copa Nacional cresça e receba ainda mais pilotos”, apostou.

A competição foi dividida em três categorias: NX1 (preparação livre com peças nacionais), NX2 (motos com cilindrada original) e NX3 (preparação livre com peças nacionais para competidores acima de 35 anos).

No sábado, a primeira bateria da NX1 ficou decidida logo nas voltas iniciais. Rafael Fonseca, com uma DT 200, largou na ponta e não a deixou até o final da prova, acumulando 25 pontos. Para a segunda corrida, o competidor não teve a mesma sorte; sua moto quebrou quando faltavam apenas duas voltas. Vatutin Pereira Maia Filho, de Goiás, foi o vencedor e assumiu a liderança da classificação do primeiro dia de campeonato, com 45 pontos.

A NX2 assustou a todos na primeira bateria. Davison Andrade arrancou na frente e lutou pela liderança, mas caiu nas voltas finais, perdendo a consciência. O jovem de 16 anos, atendido imediatamente pela brigada de socorro, passa bem.

Rhamon Leite, de 15 anos, mostrou que todo piloto tem que ter determinação e garra. Caiu algumas vezes, atolou na subida, mas não desistiu. Na classificação final, o mais novo piloto da categoria garantiu o quinto lugar. Alex Fabiano Pires Silva ganhou as duas baterias e atingiu 50 pontos.

A categoria NX3 foi disputada juntamente com a NX1. Josué Lucio e Marcelo Vitor de Araújo sustentaram as mesmas posições dos treinos cronometrados, fechando a disputa em primeiro e segundo lugares, respectivamente. Ao final da primeira bateria, Luciano Bernardes foi desclassificado.

No domingo, com a melhora climática, Fernando Teixeira Melo e Carlos Eduardo Oliveira Martins faturaram as etapas do dia na NX1. As conquistas, contudo, não foram suficientes para tirar o título de Vatutin Pereira Maia Filho, campeão com 65 pontos.

A NX2, enquanto isso, assistiu a mais um show de Alex Fabiano Pires da Silva, que levantou a taça da Copa Nacional de maneira invicta. Na NX3 a cena foi quase semelhante; José Lúcio venceu três das quatro baterias, sendo superado apenas na última por Marcelo Vitor de Araújo.

Confira a lista de vencedores:

1ª Etapa

NX1: Rafael Fonseca
NX2: Alex Fabiano Pires Silva
NX3: Josué Lúcio

2ª Etapa
NX1: Vatutin Pereira Maia Filho
NX2: Alex Fabiano Pires Silva
NX3: Josué Lúcio

3ª Etapa
NX1: Fernando Teixeira Melo
NX2: Alex Fabiano Pires da Silva
NX3: Josué Lúcio

4ª Etapa
NX1: Carlos Eduardo Oliveira Martins
NX2: Alex Fabiano Pires da Silva
NX3: Marcelo Vitor de Araújo


Classificação Final:

NX1
1) Vatutin Pereira Maia Filho, 65 pontos
2) Carlos Eduardo Oliveira Martins, 63
3) Fernando Teixeira Melo, 57
4) Jean Márcio Vianna, 45
5) Breno Silva, 39

NX2
1) Alex Fabiano Pires da Silva, 75 pontos
2) Elton Mangabeira, 60
3) Allan Luiz Nogueira da Cruz, 45
4) Carlos Eduardo Silva Neiva, 35
5) Rhamon Leite, 33

NX3
1) Josué Lúcio, 91 pontos
2) Lúcio Bernardes, 60
3) Marcelo Vitor de Araújo, 58
4) Luciano Bernardes, 29


Fonte:
Equipe MOTO.com.br

Compartilhe:

Receba notícias de moto.com.br