CONQUISTAS E AVENTURA

Filhos da Trilha seguem o caminho do sucesso em clima de lazer nas competições off road.

Por Fredy

Correr por diversão foi lema determinante para o surgimento de um grupo de amigos aventureiros, apaixonados pela adrenalina sobre duas rodas e que aos poucos se viram imersos no mundo de competições das motocicletas. Os Filhos da Trilha nasceram em 2003 e, apesar do curto período de vida, já conquistaram o respeito e reconhecimento dos adversários nas pistas off roads de diversos campeonatos de prestígio.

Fundado por Marcelo Ramos e Marcio Pazinazo, o "Grandão", os Filhos foram incorporando novos integrantes na medida em que apareciam em passeios e trilhas. "Conheci o pessoal num desses encontros de motociclistas. Desde então não nos separamos mais, e o Grandão me chamou para correr", conta Júlio Cezar Pereira, de 35 anos. 

Dono de uma oficina de funilaria e pintura, Pereira passou a viver intensamente o espírito criado pelos Filhos da Trilha, que optaram por se arriscarem nas disputas de Enduro e, de repente, despontaram como os "papa-tudos" de resultados. "Fomos Campeões Paulistas do Cross Country em 2004, o título mais expressivo alcançado por nós", destaca o competidor.

A temporada 2005, embora não tenha selado uma nova vitória no Paulista, representou o ano das conquistas para os Filhos, grupo que também conta com a participação de Marcio Zan, Marcos Roberto, Marcelo Sales Vieira, Marcelo Silva, Marcelão, Mauro Gomes, Sérgio e Léo. "Participamos de quatro campeonatos regionais, sendo mais de 20 provas disputadas. Foi um ano intenso para nós, já que quando não estávamos competindo, concentrávamos nossas atenções em treinos", ressalta Pereira. 

As consagrações, no entanto, também fizeram se presentes no ano. "Levantamos a taça de campeão por equipes na Copa Pacato, vencemos a categoria Tornado da Copa Cesp de Enduro, também brilhamos no Rally Point, no Bike in Box, o Grandão foi campeão no Rally dos Amigos...Por essas razões consideramos 2005 o ano das realizações", explica o piloto, que neste fim de semana luta pelo vice da Tornado, na final da Cesp. "O palco da decisão é a cidade de Morungaba. Queremos mais esse feito".

Com faixa etária variando de 30 a 37 anos, os Filhos da Trilha chamam a atenção por qualquer lugar onde passam. No início do ano, o grupo conheceu um dos chefes do MOTO.com.br, Marcio Viana, uma das poucas pessoas que se sensibilizou em ajudá-los. "Nós sempre lutamos para conseguir algum patrocínio, já que os gastos por prova são bastante consideráveis. E o Márcio foi o primeiro a nos dar uma força", afirma Pereira. 

A relação MOTO.com.br e Filhos da Trilha resultou na confecção de uma nova camisa para os pilotos, os quais passaram a correr com a estampa de um dos sites e revistas de maior prestígio no mercado das motos.

Quanto ao desembolso financeiro ao longo de cada ano, Pereira prefere desviar do assunto, mas aponta um valor em torno de 300 a 500 reais por prova. "Se fizermos uma média de quanto gastamos, paramos de correr", brinca. "Eu chego a ficar alguns dias até mais tarde na oficina para compensar os gastos dos fins de semana. Ninguém vive desse esporte, temos nossas vidas normais de segunda a sexta-feira", lembra.

A união das famílias 

Os Filhos da Trilha representam muito mais do que um grupo. São, na verdade, um conjunto de famílias, que se dedica o ano todo ao mundo da velocidade das motos de competições de Enduro. "Os grandes vitoriosos são nossos familiares, presentes onde quer que estejamos. Mesmo em finais de semana de treinos, nunca estamos sozinhos. No meu caso, minha mulher e dois filhos sempre me apóiam", revela Júlio Cezar Pereira.

"Nosso principal objetivo sempre foi a diversão, e é por isso que eu acho que alcançamos ótimos resultados nas competições e cultivamos uma espécie de grande família no grupo", acrescenta o aventureiro, que teve uma lição de vida durante o Rally dos Amigos, disputado no início de dezembro. 

"Tive uma pane seca quando faltavam menos de 50 km para o final e, por isso, fiquei no meio do mato aguardando o Limpa Trilha, veículo responsável por resgatar os que ficaram pelo caminho. O único porém foi que ele não apareceu onde eu estava e só fui encontrado graças à minha equipe de amigos, responsável por informar os organizadores sobre minha ausência. Fiquei das 14h30 até às 20h sozinho, com sede e fome. Quando eles me acharam tive duas certezas: da existência de Deus e a constatação de que tenho amigos", relata Pereira.

Até mesmo nos dias de descanso dos Filhos, a enorme família se reúne para outros tipos de diversões. "Se não corremos, nos encontramos para comer pizza, ir à churrascarias, mas nosso verdadeiro lazer é assistir aos DVD's das provas das quais participamos. A farra é dar muita risada vendo os rolas de cada um de nós", conta o piloto aventureiro.

O sonho dos Filhos da Trilha 

Para 2006, a meta do grupo é superar os resultados alcançados no ano que se finda. O grande desafio, segundo Pereira, será o Campeonato Brasileiro de Cross Country. "Pretendemos fazer todas as provas e brigar pelo título", adianta.

O que nenhum dos aventureiros esconde é o sonho traçado para a história dos Filhos: "Queremos, um dia, participar do Rally dos Sertões, a tradicional e mais charmosa competição do Brasil. Quando realizarmos isso, estaremos satisfeitos", diz Pereira. 

Até a conquista do desejo coletivo, os Filhos da Trilha seguirão fazendo sua história pelos campeonatos, sempre seguindo o lema e foco criado. "Correr de moto implica treino, esforço e apoio para se chegar aos resultados. Aos poucos estamos alcançando nossos objetivos, sempre no ritmo da diversão e alegria", finaliza um dos Filhos, grupo que seguirá com o apoio e torcida do MOTO.com.br em 2006 e nos próximos anos.

Fonte:
Equipe MOTO.com.br

Compartilhe:

Receba notícias de moto.com.br