BRASIL CONFIRMADO NO DAKAR 2007

Inscrições para o rali se esgotaram em apenas duas semanas.

Por Thiago Fuganti

Os brasileiros já têm garantida a vigésima participação consecutiva no rali mais famoso do mundo, o Dakar. Na última segunda-feira, a equipe Petrobras Lubrax foi informada por um representante da prova de que estava confirmada para a edição de 2007.

Para a disputa do próximo ano, os organizadores limitaram as vagas das três categorias: apenas 240 para as motos, 185 para carros e 80 para caminhões. Por conta dessa novidade, em apenas duas semanas a entidade já havia recebido 330 inscrições para motos, 240 para carros e mais de 100 para caminhões.

De acordo com André Azevedo, piloto de caminhão, os dirigentes chegam a esses números máximos pela logística necessária para a segurança, alimentação, combustível e o tempo gasto na largada com tantos competidores. “No inicio do rali, quando todos corredores ainda estão na prova, só de largada às vezes demora mais de cinco horas entre a primeira moto e o último caminhão”, destacou o vice-campeão do Dakar 2003.
 
Outro elemento importante na conta é o fato de que algumas federações internacionais de automobilismo e de motociclismo impõem regras na quantidade de horas que não se pode competir sem a luz do sol nas provas de cross-country. Por isso, em algumas etapas da última edição do Dakar os organizadores resolveram inovar na largada das motos: os últimos largaram primeiro dando mais chance de luz aos mais lentos da categoria. O normal para a largada é a ordem de chegada no dia anterior.

O representante do Brasil na categoria motos é Jean Azevedo, com uma motocicleta de fábrica da KTM. Nos carros, a Petrobras conta com Klever Kolberg no volante da Pajero Full e Eduardo Bampi na navegação.

A rota do rali começará mais uma vez em Lisboa (Portugal), onde será dada a largada no dia 06 de janeiro para a 28ª edição do Dakar. Depois de saírem da capital portuguesa, os pilotos passarão por especiais na Espanha, Marrocos, Mauritânia e Mali e finalizarão a prova na cidade de Dakar — capital do Senegal — no dia 21 de janeiro.

Entre as motos, a edição 2006 registrou o primeiro título do espanhol Marc Comá, da KTM. Para o Brasil, com dois representantes, o único “sobrevivente” foi Bernardo Bonjean, 90º na classificação, em sua primeira participação no evento.

Jean Azevedo, apontado pelos organizadores como um dos nove favoritos ao título, despediu-se da prova na antepenúltima etapa, ao sofrer um acidente quando ocupava o oitavo lugar na tabela geral. Na queda, o competidor sofreu uma fratura do osso sacro, que fica no final da coluna vertebral. A contusão não foi grave, mas a calcificação do osso tirou o piloto das atividades por algumas semanas.

Também conhecido como o rali da morte, neste ano a sina não foi diferente, com o registro de três vítimas fatais: uma criança e um adolescente foram atropelados, durante as especiais africanas, e o piloto australiano Andy Caldecott, nas motos.


Fonte:
Equipe MOTO.com.br

Compartilhe:

Receba notícias de moto.com.br