Bate papo histórico

Saiba como surgiu a maior competição de enduro de regularidade do Brasil.

Por Leandro Alvares

Tudo começou em abril de 1987, num bate papo informal entre Ehrlich Cordão e Galdino Gabriel, os atuais diretores do Piocerá. No primeiro momento, o enduro era para ser chamado de Enduro da Integração, na idéia de unir pilotos do Ceará e do Piauí, os Estados pioneiros na prática de enduro de regularidade na região norte e nordeste do país.

A conversa dos amigos amadureceu e dela surgiu a função que cada um exerceria: Ehrlich Cordão cuidaria da parte de marketing e divulgação, enquanto  Galdino Gabriel ficaria com a parte técnica do evento.
 
O primeiro levantamento aconteceu no feriado de 7 de Setembro de 1987, feito por Gabriel e Alfio, um italiano recém chegado a Fortaleza e proprietário até hoje de uma pizzaria tradicional da cidade, chamada de “La Trattoria”. A conferência da planilha foi realizada no feriado do dia de finados, por Cordão, Gabriel e Franz George.

Durante o levante, os três desbravadores descobriram uma área de terra em litígio entre os Estados do Ceará e Piauí. Na ocasião, encontraram um caboclo, a quem questionaram sobre o nome do lugar onde estavam.

Segundo o informante, aquele era o Cerapió-Piocerá. Na verdade, ninguém sabia a quem a área pertencia e não sabiam onde estavam; se era no Piauí ou no Ceará. Foi então que a prova passou a ser chamada de Cerapió (quando sai do Ceará para o Piauí) e Piocerá (quando o roteiro é inverso).

Ao longo de 20 anos, o evento cresceu e evoluiu juntamente com as motos. No início, participavam DT 180 Yamaha, XLX 250 Honda e as Agrales 27.5, motos importadas. Computadores de bordo nem pensar! A navegação era feita por máquinas de calcular adaptadas e tabelas pregadas nos tanques das motocicletas, que auxiliavam os pilotos.

Fonte:
Equipe MOTO.com.br

Compartilhe:

Receba notícias de moto.com.br