BALBI DISPUTA O AMA MOTOCROSS

Brasileiro e sua irmã, Mariana, não participarão da terceira etapa do Brasileiro de Cross.

Por Thiago Fuganti

Grandes astros do motocross internacional darão início, neste fim de semana, à nova temporada do AMA Motocross, uma das principais competições do cenário off-road. Entre nomes como Ricky Carmichael, James Stewart, Andrew McFarlane e Chad Reed — que prometem lutar pelas primeiras posições —, também estará um piloto do Brasil, o mineiro Antônio Jorge Balbi.

O jovem de 24 anos já conseguiu resultados expressivos no exterior em 2006, e vem sendo apontado pela mídia especializada como um forte candidato à vitória na corrida de abertura do AMA, que acontece em um circuito outdoor de Sacramento, na Califórnia.

“Queria agradecer demais aos meus patrocinadores que me proporcionaram a oportunidade de correr não só a estréia, mas outras provas do AMA Motocross”, disse o piloto, que mesmo correndo nos EUA, não abdicou de participar do Campeonato Brasileiro de Motocross deste ano.

Em casa, Balbi venceu as duas primeiras etapas do certame, na categoria MX1. Mas com a confirmação para o AMA, o piloto não poderá disputar a terceira prova do torneio, também agendada para este fim de semana, em Canelinha, Santa Catarina. “Infelizmente esta etapa do brasileiro bateu com a abertura do AMA, que é um dos meus focos. Mas estarei de volta na próxima etapa do nacional e continuo na briga pelo título”, avisou.
 
Balbi tem feito toda a sua preparação para os campeonatos de 2006 nos EUA. Dentre outros resultados o piloto foi o primeiro estrangeiro da história a vencer uma etapa do 4-Stroke Nationals e ficou na terceira colocação em outra, depois de rivalizar com o vice-campeão mundial Andrew McFarlane. Ele também foi segundo lugar no Prequel de Glen Helen, uma das provas mais tradicionais de preparação para o AMA.

O atual campeão do torneio é o norte-americano Ricky Carmichael. O piloto, que neste ano já faturou o pentacampeonato no AMA Supercross, tentará o seu sétimo título no outdoor.

Mariana Balbi também encara maratona estrangeira

Assim como o irmão, Mariana Balbi não vai disputar a terceira etapa do Campeonato Brasileiro. Depois de conseguir um terceiro lugar na classificação geral da abertura do WMA Motocross Feminino, considerada uma das competições mais difíceis do mundo, ela se prepara para a segunda corrida, que também na Califórnia.
 
“Eu nunca vi uma novata que me impressionasse tanto”, afirmou Mikki Thompson, uma das organizadoras do evento. “A abertura do WMA foi uma das provas mais disputadas que a gente já organizou e o desempenho da Mariana foi excepcional. Eu não tenho dúvidas de que ela já pode ser considerada como uma das principais estrelas do motociclismo feminino mundial”, apostou Mikki.

No blog de Jorge Balbi, Mariana comentou as sensações da estréia no evento. “Eu estava muito nervosa para largada da primeira bateria, mas mantive a calma e o apoio do meu irmão, que estava ao meu lado no gate. Ele já tem bastante experiência e pôde me passar mais confiança”, comentou.

“Fiz uma boa largada e logo na primeira volta disputei algumas posições. Essa volta foi decisiva para a minha corrida, pois eu fiquei no páreo da Jéssica Petterson, atual campeã americana! Conseguimos fazer várias ultrapassagens e ao mesmo tempo alternando posições, até que no final de uma das descidas do circuito chegamos junto à curva e tivemos que disputar o espaço de uma única canaleta”, destacou a piloto brasileira.

“Graças a Deus acabei levando a melhor, seguindo na terceira colocação. Continuei lutando por posições, mas perdi muito tempo para ultrapassar a segunda colocada, Aubriana Dunn. Quando consegui passar, cheguei com facilidade até a Katherine Prumm, a primeira colocada, mas não tive tempo para tentar a ultrapassagem”.

Na segunda bateria, a situação foi mais difícil para Mariana. “Larguei em sexto, fiz algumas ultrapassagens e, quando já estava na terceira colocação, acabei perdendo a freada de uma curva e caí. Perdi algumas colocações fui para sétimo. Levantei o mais rápido possível, pois sabia que um mal resultado na segunda bateria poderia me prejudicar no overall. Tentei acelerar o máximo que pude, fiz duas ultrapassagens e terminei na quinta colocação e fiquei muito feliz”, completou.

A prova do motocross feminino será disputada neste sábado. Já os marmanjos, brigarão pela vitória no domingo.



Fonte:
Equipe MOTO.com.br

Compartilhe:

Receba notícias de moto.com.br