Apostas reforçadas

Equipe Petrobras Lubrax apresenta seus pilotos para 2008.

Por Bruno Rocco

Murillo Ghigonetto

A grande novidade da categoria motos da equipe brasileira da Petrobras Lubrax que irá participar da 30ª Rally Dakar 2008 é a chegada de um jovem reforço. Isso porque Jean Azevedo estará acompanhado de Rodolpho Mattheis, de 25 anos.

O piloto, que estreou no Rally dos Sertões em 2005, já participou de provas importantes em 2007, como o Rally de Las Pampas, que percorreu mais de 4 mil quilômetros entre Bariloche, na Argentina, e Iquique, no Chile.

Na competição off-road mais perigosa do planeta, Mattheis competirá na categoria Maratona com uma KTM 450.

A largada da competição está marcada para o dia 5 de janeiro, em Portugal, com término previsto para o dia 20 do mesmo mês na chegada a Dakar, no Senegal.

Ao todo serão 15 etapas distribuídas por pouco mais de 9 mil quilômetros percorrendo Portugal, Marrocos, Mauritânia e Senegal. Só na categoria motos estão inscritos 245 pilotos.

Nesta entrevista, realizada em São Paulo antes do embarque para a Europa, o piloto Rodolpho Mattheis conta suas expectativas para a estréia na competição e dá mais detalhes de sua participação pela equipe Petrobras Lubrax.

INFOMOTO - Como começaram as negociações com a equipe Petrobras Lubrax?
Rodolpho Mattheis - Eu já conhecia o Jean Azevedo desde 2005, quando comecei a fazer alguns treinamentos junto com ele. Em 2006 me dediquei integralmente ao motociclismo para poder me preparar melhor para o campeonato brasileiro, também ao lado de Jean. Com a amizade, em 2007 veio o convite para fazer parte da equipe Petrobras Lubrax, primeiramente como “mochileiro”, ou seja, para ajudar em uma assistência rápida. Com toda essa proximidade, no decorrer da história fui convidado a fazer parte da equipe para competir no Dakar 2008 como piloto oficial ao lado do Jean e representar o Brasil na categoria Maratona.

INFOMOTO - Qual moto você irá pilotar?
Mattheis - A equipe optou por um modelo mais leve e menor que a moto a ser utilizada pelo Jean, que competirá com uma KTM 690. Dessa forma, na minha estréia, vou usar uma KTM 450, um modelo ideal para adquirir maior experiência às difíceis condições do Dakar.
 
INFOMOTO - Por falar em Dakar, como está a expectativa em estrear na competição?
Mattheis - Estou bastante ansioso, o coração não pára! Cada vez que vai chegando mais próximo ao dia da largada o “friozinho” na barriga cresce. Pela grandeza da competição está sendo um grande sonho poder estrear no maior rali do mundo.

INFOMOTO - Em sua opinião, qual o maior desafio a enfrentar?
Mattheis - O maior desafio vai ser administrar bem os problemas que surgirem, tanto no que diz respeito à moto, como na parte física. Tenho consciência que terei que poupar ao máximo o equipamento e minhas emoções, sem entrar naquela empolgação de um competidor me passar e eu querer ir atrás para passá-lo de volta. Não! O desafio vai ser adquirir experiência para conseguir chegar ao final com segurança e, claro, se possível, em uma boa colocação. Não tenho muita experiência em desertos, então pretendo ter muita cautela durante a prova para terminar bem a competição.

INFOMOTO - Qual seu principal objetivo na estréia do Dakar?
Mattheis - O Dakar tem aquela tradição de ser uma competição difícil e ameaçadora para muitos pilotos. E nesta 30ª edição não vai ser diferente. Lógico que meu principal objetivo numa competição é a vitória, no entanto, sei que estou estreando e também sei que não se pode almejar muito logo na primeira participação. Dessa forma, meu principal objetivo é dar o máximo de mim e ajudar a equipe a fazer um bom trabalho. Acho que assim uma boa colocação acaba sendo a conseqüência de tudo.

INFOMOTO - Como foi sua rotina de treinamentos e preparação para enfrentar o Dakar?
Mattheis - Nossa rotina de treinamentos está sendo realizada em São José dos Campos (SP) e Cabo Frio (RJ) e está dividida em três partes. Em primeiro lugar temos a preparação física, onde fazemos quase quatro horas de exercícios musculares todos os dias. A outra parte inclui aulas de mecânica para que possamos solucionar problemas básicos que venham a acontecer durante a competição. E por último temos os treinamentos de pilotagem, realizados na região de Cabo Frio (RJ) e no deserto de Atacama, no Chile, lugares que simulam bem as condições enfrentadas no Dakar.

INFOMOTO - Como é trabalhar ao lado de Jean Azevedo?
Mattheis - Além de ser um grande sonho, está sendo uma oportunidade única poder trabalhar ao lado dele. Estou aprendendo muito e espero poder colocar todo esse aprendizado em prática para conseguir estrear bem. Considero o Jean um verdadeiro mestre das motos!

Fonte:
Agência Infomoto

Compartilhe:

Receba notícias de moto.com.br