WSBK: O que Spies disse a Fabrizio

Max Biaggi, ou “Mad Max” como é carinhosamente chamado por seus faz, pode se considerar novamente um vencedor após levar sua Aprilia ao lugar mais alto do pódio na última etapa do Campeonato Mundial de Superbike, em Brno.

O italiano, que é somente o quinto piloto diferente que ganhou uma prova nesta temporada, aproveitou um acidente que envolveu os líderes da prova, Michel Fabrizio e Ben Spies.

A vitória foi importante para ambos, piloto e fábrica, já que Biaggi não vencia desde Vallelunga em 2007 e a Aprilia não ganhava uma corrida desde 2001, com Regis Laconi pilotando a máquina. Além disso, é a primeira vitória de Biaggi na Aprilia desde 1996, quando competiram juntos na 250cc.

Biaggi não considera sua vitória menos merecida pelo abandono dos líderes. “É muito bom. O que posso dizer. Quando cruzei a linha de chegada fiquei muito feliz em vencer a corrida. Brno é um de meus circuitos prediletos” disse o italiano.

“É claro que não quero tirar nada de Spies e Fabrizio, os dois estavam muito rápidos, mas me lembro que Barry Sheene costumava a dizer ‘Para ser o primeiro, você deve acabar em primeiro’ e isso faz parte. Me concentrei e não cometi erros, por isso quero agradecer à toda minha equipe e principalmente para Gigi Dall’Igna, o criador de nossa moto” completou.

E realmente, a conquista da primeira corrida por Biaggi não podia ser considerada como sorte, já que na segunda ele, brilhantemente, levou novamente sua Aprilia ao pódio, na segunda posição. “Estou feliz com meus resultados. Na segunda bateria, mesmo não vencendo, nós mostramos que temos força para brigar na frente e que a partir de agora é lá que queremos estar” concluiu Biaggi.

A décima primeira vitória de Spies o colocou muito próximo na briga pelo título, mesmo pilotando com o joelho enfraquecido após o choque com Fabrizio. Spies poderia ter passado à frente da tabela pela primeira vez na temporada se o italiano não o tivesse tirado da prova.

“Não foi a melhor manobra do mundo, mas isso acontece. Fabrizio tentou se desculpar depois da queda, mas eu não queria ouvi-lo. Eu tentava dizer à ele para usar a cabeça. Obviamente, eu não estava nada contente com aquela situação” disse o americano.

Mesmo tendo que fazer uma visita rápida ao centro médico para avaliar seu joelho, Spies voltou com tudo na segunda prova e resistiu às tentativas de Biaggi até a última volta.

“O pessoal do centro médico colocou gelo, massageou e deram um jeito no meu joelho. A dor era grande, mas agüentá-la por 20 voltas era tarefa fácil. Na pista, olhei para trás e vi Biaggi e pensei que minha posição estava correndo perigo. Ele é muito bom neste circuito e chegou em mim com rapidez. Eu sabia que não poderia cometer nenhum erro até a bandeirada. Biaggi e sua Aprilia estavam muito fortes e por isso eu tinha que frear muito depois e fazer as curvas quadradas para permanecer em sua frente” concluiu Spies.

Já Fabrizio, considerou que tem que permanecer mais calmo sob pressão, após ser apontado como o responsável por tirar ele e Spies da primeira prova no circuito Tcheco.

Fabrizo estava buscando a primeira posição e tentou fazer uma ultrapassagem por dentro da curva, quando perdeu a frente e caiu na quarta volta. “Estou muito chateado com o que aconteceu na corrida um. Foi minha culpa, precisava ter mais calma, o que mais posso dizer? Antes do choque, eu vi que Spies freava antes e pensei que podia passá-lo. Nós estamos lutando pelo título mundial, por isso estou bravo comigo mesmo, mas pelo menos, nenhum de nós saiu machucado seriamente”.

Fabrizio deu um jeito de se dar melhor na segunda prova, e finalizou em terceiro lugar. Contudo, seu abandono na primeira corrida significa que ele está agora 53 pontos atrás da briga pelo campeonato, faltando oito corridas, num total de quatro etapas.

“Nos recuperamos na segunda corrida. Spies mais do que eu. Fiz tudo que podia para ficar junto com Spies e Biaggi, mas eles estavam muito rápidos. Na verdade, o ritmo da Aprilia, ainda em fase de desenvolvimento, assusta para a próxima temporada. De todo jeito, eu estou na terceira posição na tabela e depois das férias de verão vou voltar com tudo na briga pelo título” concluiu Fabrizio.

Já o líder do campeonato, Noriyuki Haga, fez talvez suas duas provas mais corajosas de sua carreira. Na primeira prova o japonês conseguiu três posições na primeira volta. Com vários pilotos abandonando a prova, o piloto já estava na oitava posição na volta sete e permaneceu assim até o fim da prova, abrindo 22 pontos de vantagem para Spies.

O doutor Corbascio, da Clínica Móvel, continuou administrando os analgésicos e injeções no ombro em recuperação durante o dia, fazendo o possível para Nori completar a corrida. Na segunda prova, “Nitro-Nori” largou muito bem e pulou para a sexta posição passando Shane Byrne e Troy Corser. O japonês voador ficou na sexta posição até o fim da prova.

“Não estou muito satisfeito, mas nós trabalhamos muito neste fim de semana apesar das dificuldades. A fratura na escápula não permitiu que pilotasse do jeito que queria. Tendo dito isso, ganhei pontos importantíssimos e ainda estou na liderança, sete pontos a frente de Spies. Quero agradecer ao Doutor Corbascio e à todos da Clínica Móvel. Quero agradecer também a todos da minha equipe e a Ducati, que tem me apoiado de todas as formas possíveis. Vou aproveitar esse tempo de folga para me recuperar e voltar 100% para Nurburgring, uma pista que adoro pilotar” disse Nori.

O companheiro de equipe de Corser, Ruben Xaus, sofreu um acidente na primeira volta da corrida um e quebrou a perna.

Xaus estava na sétima colocação quando foi catapultado por sua BMW saindo de uma curva para a direita. O piloto espanhol precisou dar uma passada no centro médico, o que revelou uma fratura no fêmur direito.

A próxima etapa do campeonato Mundial de Superbike, acontecerá no dia seis de setembro, no circuito de Nurburgring, na Alemanha.



Fonte:
Equipe MOTO.com.br




Compartilhe essa notícia

Receba notícias de moto.com.br