Toseland já se sente à vontade com a M1

Estreante na MotoGP, inglês da Tech 3 Yamaha quer agora melhores resultados.

Por Adilson

Desde o primeiro contato com a Yamaha M1 nos testes de Inverno na Malásia, ano passado, James Toseland tem dado os primeiros passos no processo de aprendizagem na MotoGP.

Adaptando-se a um protótipo de Grande Prêmio e conhecendo várias pistas novas ao mesmo tempo desde que se juntou à Tech3 no final de 2007, a verdade é que o inglês de 27 anos está fazendo um ótimo trabalho até o momento.

A sólida apresentação rumo ao sexto lugar no GP da Catalunha no domingo, igualando o seu melhor resultado de MotoGP uma vez mais foi outra demonstração da sua consistente preparação para a competição em palcos onde nunca tinha corrido antes, isto apesar de Toseland agora se sentir pronto para elevar seus rendimentos.

Depois de cinco horas de testes na Catalunha, na segunda-feira à tarde, em que assinou o quinto tempo num ensaio onde esteve presente a maior parte dos pilotos do grid da categoria rainha, Toseland revelou:

“Hoje foi a primeira vez em que andei na moto de forma muito confortável. Agora sinto que somos uma coisa só. Sempre me senti como se estivesse lutando com ela, mas agora estamos nos tornando grandes amigos”.

“Fizemos tempos similares aos do Daniel Pedrosa na corrida, o que é incrível. Só fiz oito voltas seguidas no segundo 42, por isso sei que estou a fazendo bons progressos”, declarou.

Agora prestes a rumar para casa para correr em Donington Park, e também seguindo mais uma viagem a Assen, na Holanda, onde também já correu no passado, Toseland está muito otimista.

“Sabia que este período de novas pistas ia ser muito frustrante porque ia ter de aprender muito. Com esta desvantagem de não conhecer os traçados e contra estes pilotos é muito duro, mas agora estou muito motivado. O moto está funcionando muito bem e é bom estar frustrado por um sexto lugar agora”, disse.

“No início da temporada terminar em sexto era muito bom porque era tudo o que conseguia fazer dando o meu máximo, mas agora sinto que posso fazer ainda mais”, concluiu o talentoso piloto satélite da Yamaha.

Fonte:
Equipe MOTO.com.br

Compartilhe:

Receba notícias de moto.com.br