Spies e Rea venceram em Misano

Ben Spies conseguiu sua oitava vitória dessa temporada do WSBK, no circuito de Misano, neste fim de semana, na Itália. Jonathan Rea, venceu a segunda corrida, e marcou sua primeira vitória no campeonato de Superbike.

No começo da primeira corrida Spies não estava muito contente, as condições climáticas não eram boas e Shane Byrne já estava 15s na frente. 

Entretanto, o circuito secou rapidamente e Spies igualou o ritmo de Byrne e, eventualmente, o passou abrindo uma diferença de oito segundos.
 
Numa corrida marcada pelo clima, todos os pilotos começaram com calçados de chuva, mas com a chegada do sol, a maioria mudou de motos quase na metade da prova. Troy Corser não conseguiu nem largar, após cair na volta de aquecimento e ficou fora da corrida, junto com John Hopkins.

O pole position Jakub Smrz não se saiu tão bem na largada, e foi logo ultrapassado por Byrne, que tomou a posição na primeira curva e ficou também na frente de Spies, Carlos Checa e Michel Fabrizio.

Numa temporada apagada, Byrne não perdeu tempo tentando abrir caminho a sua frente e conseguiu fazer uma volta um segundo mais rápida que qualquer piloto.

Enquanto isso, Rea, que largaria em segundo, foi forçado a sair do Box, e se viu novamente dentro do pit lane após receber uma punição.  

Lá na frente, Byrne continuou abrindo vantagem, e já na sexta volta estava há 8s6 de diferença para Smrz, o então segundo colocado. Smrz também se viu numa boa posição ao se distanciar de Fabrizio, Spies e Checa.  
 
Noriyuki Haga, por sua vez, estava ficando para trás ao brigar com sua Ducati Xerox nas curvas que já estavam secando. Caindo de sexto para décimo lugar em apenas uma volta, aparentemente, o circuito já estava seco o suficiente para trocar por motos preparadas para o seco.

O primeiro a tomar atitude foi Shinya Nakano, que decidiu trocar de Aprilia ao final da nona volta. O japonês virou o bode expiatório para as outras equipes.

Ao ver a melhora de Nakano, Haga seguiu o exemplo de seu compatriota e foi aos Box. Nesse momento já se via uma grande movimentação das equipes dentro do pit lane. Spies foi o primeiro dos pilotos da frente que foi ao Box.

Naquele momento, Spies estava na quinta colocação, atrás de Checa, Fabrizio e Smrz.

Na décima terceira volta, Fabrizio foi ao Box e saiu da frente de Spies. Checa e Smrz também foram ao final da décima quarta volta. Porém, as chances de Checa acabaram quando sua Honda se recusou a ligar, levando o espanhol, muito frustrado, a perder vários segundos ao tentar pegar a moto no tranco. Um problema similar aconteceu com Rea, um pouco antes.

Byrne foi ao pit na volta de número 15, e voltou à pista num provisório segundo lugar com apenas Ruben Xaus, que ainda não havia parado, em sua frente.
 
No entanto, nessa altura, Spies estava em um ritmo muito mais forte que os pilotos a sua frente, e rapidamente dispachou Fabrizio e Smrz para chegar em Byrne.
 
Byrne, com sua Sterilgarda Ducati, não conseguiu continuar no mesmo ritmo que estava no molhado, deixando fácil a ultrapassagem de Spies.
Apenas alguns segundos na frente, Xaus estava liderando com sua BMW, a primeira vez que a marca alemã liderou uma prova no WSBK. O espanhol se mostrou muito bom em condições molhadas, subindo da décima oitava posição para o primeiro lugar.
 
Não demorou muito para Spies, andando aproximadamente 10s mais rápido que Xaus, tirar a BMW da liderança na décima nona volta, e sumir na frente nas últimas cinco voltas para garantir mais uma ótima vitória, num circuito que ainda não conhecia.  

Os pneus de Xaus só agüentaram até a décima nona volta, quando ele foi aos Box, e caiu para a décima posição. Porém, uma penalidade o levou ainda mais pra baixo, ele cruzou a linha de chegada na décima quarta colocação.

A vitória na primeira corrida foi de Spies, levando a bandeirada para continuar diminuindo a diferença entre ele e o líder do campeonato, Haga.

Mesmo desapontado, Byrne conseguiu segurar Fabrizio e Smrz, e garantiu a segunda colocação marcando a volta mais rápida nos estágios finais, sendo o melhor colocado entre os pilotos da Ducati. Esse foi, facilmente, seu melhor resultado pela Sterilgarda Ducati. 

Haga ficou com a quinta colocação, e atrás dele, Kagayama consguiu ficar em sexto ligar, logo na frente de Rea, que merece muitos aplausos por terminar em sétimo mesmo com todos os problemas durante a corrida.

Tom Sykes e Nakano brigaram pela oitava posição. O japonês levou a pior em nono, mais ainda assim ficou a frente de seu companheiro de equipe, Max Biaggi, que terminou décimo terceiro.

O estreiante Matthieu Lagrive, da equipe Althea Honda, conseguiu ficar entre os dez melhores em sua primeira aparição no WSBK.

Na segunda corrida, Rea venceu sua primeira prova no WSBK, e espera que esse resultado o ajude a ganhar confiança para mais vitórias e uma possível regularidade no resto da temporada. "Vencer minha primeira corrida na Itália foi realmente muito especial, já que antecede a prova da próxima rodada que será em casa (na Inglaterra). Quero agra decer toda a equipe que trabalhou muito bem", disse Rea.

O Norte-irlandês se tornou apenas o quarto piloto diferente a ganhar uma corrida nesta temporada, após uma bela disputa com Fabrizio e Haga pela primeira posição. Rea fez uma grande ultrapassagem em Fabrizio na última volta para consagrar-se vencedor. “A segunda corrida foi ótima. Assim que percebi que tinha o mesmo ritmo das Ducatis, me senti muito confortável. Tentei fazer linhas diferentes nas últimas voltas e felizmente consegui uma boa ultrapassagem pra cima de Fabrizio”, adicionou.

No fim de semana em que a equipe Ten Kate Honda assumiu alguns riscos e decidiu mudar de fornecedor de suspensões, Rea trilhou um caminho que o deixou ser regularmente um dos pilotos da frente. “Nós estavamos ditando o ritmo este fim de semana, mas a primeira corrida não foi muito boa. Mas com todos os problemas, sétimo é uma ótima colocação”, concluiu o piloto.

Com o resultado destas duas corridas, primeiro e sétimo lugar, Rea assume a quarta posição na classificação geral com 167 pontos.

Resultado corrida 1:
1) Ben Spies (EUA/Yamaha), 45min02s773
2) Shane Byrne (ING/Sterilgarda Ducati), +7s931
3) Michel Fabrizio (ITA/Ducati Xerox), +11s836
4) Jakub Smrz (CZE/Guandalini Ducati) +11s886
5) Noriyuki Haga (JAP/Ducati Xerox), +31s670
6) Yukio Kagayama (JAP/Alstare Suzuki), +33s241
7) Jonathan Rea (ING/Ten Kate Honda), +35s772
8) Tom Sykes (ING/Yamaha), +41s931
9) Shinya Nakano (JAP/Aprilia), +51s507
10) Matthieu Lagrive (FRA/Althea Honda), +59s921
11) Carlos Checa (ESP/Ten Kate Honda), +1min04s285
12) Leon Haslam (ING/Stiggy Honda), +1min04s313
13) Max Biaggi (ITA/Aprilia), +1min19s822
14) Ruben Xaus (ESP/BMW), +1min22s412
15) Alessandro Polita (ITA/Celani Suzuki), +1min31s635

Resultado corrida 2:
1) Jonathan Rea (ING/Ten Kate Honda), 39min11s204
2) Michel Fabrizio (ITA/Ducati Xerox), +0s063
3) Noriyuki Haga (JAP/Ducati Xerox), +0s457
4) Jakub Smrz (CZE/Guandalini Ducati), +3s635
5) Carlos Checa (ESP/Ten Kate Honda), +4s460
6) Shane Byrne (ING/Sterilgarda Ducati), +4s538
7) Tom Sykes (ING/Yamaha), +12s679
8) Leon Haslam (ING/Stiggy Honda), +12s763
9) Ben Spies (EUA/Yamaha), +13s237
10) Max Biaggi (ITA/Aprilia), +14s412
11) Yukio Kagayama (JAP/Alstare Suzuki), +20s073
12) Fonsi Nieto (ESP/Alstare Suzuki), +20s239
13) Shinya Nakano (JAP/Aprilia), +22s351
14) Ryuichi Kiyonari (JAP/Ten Kate Honda), +24s547
15) Gregorio Lavilla (ESP/Guandalini Ducati), +24s696

Classificação:
1) Noriyuki Haga, 292 pontos
2) Ben Spies, 244
3) Michel Fabrizio, 237
4) Jonathan Rea, 167
5) Max Biaggi, 135
6) Leon Haslam, 134
7) Tom Sykes, 130
8) Carlos Checa, 109
9) Jakub Smrz, 108
10) Ryuichi Kiyonari, 98
11) Yukio Kagayama, 91
12) Shane Byrne, 89
13) Règis Laconi, 77
14) Max Neukirchner, 75
15) Shinya Nakano, 71



Fonte:
Equipe MOTO.com.br




Compartilhe essa notícia

Receba notícias de moto.com.br