SATISFAÇÃO COM O SEGUNDO LUGAR

Barros comemora os resultados do fim de semana em Misano.

Por Leandro Alvares

Pela terceira vez no ano, Alexandre Barros conseguiu subir no segundo degrau mais alto do pódio. O feito desta vez foi alcançado na etapa de Misano do Mundial de Superbike, neste domingo. As vitórias da rodada italiana ficaram com os australianos Troy Bayliss e Andrew Pitt.

“Eu ainda estou bastante eufórico com as corridas de hoje porque eu realmente me diverti e consegui bons resultados”, afirmou o brasileiro da Klaffi Honda. “Acredito que a torcida italiana também gostou do show, e pude perceber a alegria de todos quando subi ao pódio e me senti muito feliz por estar lá”, acrescentou o ex-piloto da MotoGP.

Barros largou em 11º em ambas as provas do dia. Na primeira, conseguiu uma largada decente — como ele próprio descreveu — e conseguiu boas ultrapassagens para confirmar o quarto lugar. “Não perdi posições no início e imediatamente comecei a atacar os adversários. Quando assumi a quarta posição fiquei limitado por um pequeno problema em meu motor, que começou a cortar. Cheguei a perder o quarto posto para o Noriyuki Haga, mas me adaptei às condições do momento e consegui devolver a ultrapassagem”, contou o único representante do Brasil na categoria.

Para a segunda corrida, Barros e a equipe optaram por trocar de motocicleta, além de fazer mudanças no acerto das suspensões e a escolha por pneus mais duros. A melhora no rendimento foi confirmada pelo pódio, o quarto de 2006 — foram três segundos e um terceiro, em seis rodadas duplas.

“A temperatura da pista estava muito elevada, por isso optamos por um composto mais duro, que prejudicaria o conjunto no início da prova, mas compensaria no final. O plano deu certo, e eu aproveito o espaço para agradecer ao pessoal da Pirelli pelo ótimo trabalho que fizeram durante o fim de semana”, destacou Alex.

Mas quem achou que os problemas de largada finalmente abandonaram o competidor, enganou-se. “Simulei uma largada no warm-up e percebi que o controle de tração da moto reserva não estava muito bom. Pensei comigo mesmo ‘de novo não’, e fiz o possível para não despencar no grid após o sinal verde. Perdi poucas posições e tive de lutar para acompanhar o ritmo dos demais corredores. Ao poucos as coisas foram melhorando, fui passando algumas motos e contando com a ajuda de outras que ficaram pelo caminho”, lembrou Barros, em referência aos pilotos que cometeram erros, incluindo nesta lista os astros Troy Bayliss e Troy Corser.

Apesar de satisfeito com o segundo lugar alcançado, Barros acreditou que teve reais condições de conquistar a primeira vitória. “Tenho certeza de que se tivéssemos pelo menos mais cinco voltas pela frente eu teria encostado no Andrew. Mas os ‘se’ não nos levam a lugar algum. Sendo assim, estou feliz com o resultado, com o trabalho do meu time e com o apoio recebido dos torcedores”, finalizou o piloto, quinto colocado na classificação do certame, com 146 pontos.

Fonte:
Equipe MOTO.com.br

Compartilhe:

Receba notícias de moto.com.br