ROSSI TESTA CARRO DE TURISMO

Italiano recebeu convite para guiar um Maserati do FIA GT.

Por Thiago Fuganti

Valentino Rossi foi visto novamente a bordo de um carro de corrida. Em vez de um Fórmula 1, o heptacampeão da MotoGP deu as caras em um Maserati MC12, utilizado no FIA GT/ALMS.

A sessão “secreta” foi realizada na última sexta-feira, no circuito italiano de Misano, a convite da equipe Racing Box. De acordo com o site “Motograndprix.it”, Rossi precisou de apenas 15 voltas para registrar tempos muito próximos aos de Marco Cioci, piloto oficial do time.

As especulações sobre a possível mudança de ares do “Doutor” a partir de 2007 não param de crescer. No fim de semana, o “La Gazzetta dello Sport” afirmou que a ida de Rossi para a F-1 depende da permanência de Michael Schumacher na Ferrari. “A equipe de Maranello só está preparada para um risco. Portanto, se o Kimi Raikkonen (atualmente na McLaren) assumir o lugar do Michael, dificilmente a Ferrari irá apostar em outro novo piloto”, afirmou o jornal italiano.

Outro problema para Rossi, conforme levantou o jornal, encontra-se no desempenho do brasileiro Felipe Massa. “Se ele mantiver o bom ritmo da pré-temporada durante o mundial, dificilmente haverá um espaço para o Valentino”.

O contrato de Rossi com a Yamaha, na MotoGP, se expira no final deste ano. O aparente interesse na troca de categoria, iniciado no ano passado, tende a aumentar com o passar do tempo, já que o italiano deverá realizar novos testes com a Ferrari — há duas semanas, o piloto participou de uma sessão coletiva no circuito de Valência, na Espanha, e mostrou um desempenho satisfatório diante dos demais competidores de monopostos.

Único campeão de F-1 e Motovelocidade da história, John Surtees é outro que vem dando corda ao futuro de Rossi. Em entrevista à rádio “BBC”, o ex-piloto disse que, ao contrário do que muitos corredores já falaram, há semelhanças entre carros e motos.

“Claramente há diferenças, mas motos e carros têm sim muito em comum. O conhecimento básico do que você sabe fazer com as duas rodas é aplicável às quatro: de maneira simples de entender, em um carro você tem o controle com o pé direito, e com a moto com a mão direita. Resta, então, adaptar seus conhecimentos a cada veículo, acostumando-se à sensação de ser ultrapassado em um carro e não poder movê-lo com o corpo, como se faz com as motos”, explicou o inglês.

No referente aos comentários de como seria a experiência de Rossi na F-1, até mesmo o atual campeão da categoria “top” do automobilismo fez sua previsão. Negativa, por sinal. “Eu acho que ele não venceria”, afirmou Fernando Alonso. “É como se eu tentasse correr nas motos. Eu poderia participar, me divertir, mas jamais poderia superar alguém como o Pedrosa”, acrescentou, utilizando o compatriota Daniel Pedrosa, piloto da Repsol Honda, como exemplo.

A única certeza de Rossi, no momento, é que sua nova moto da Yamaha precisa de alguns acertos antes da abertura do mundial, no dia 26 de março. Apesar de veloz e resistente, a YZR-M1 ainda vem sofrendo problemas de vibração. Nos testes da última semana, realizados no Qatar, porém, o multi-campeão se disse satisfeito com os avanços feitos no modelo.

Os próximos ensaios de pré-temporada de “Vale” nas duas rodas serão retomados nesta semana, em Sepang, na Malásia.


Fonte:
Equipe MOTO.com.br

Compartilhe:

Receba notícias de moto.com.br