ROSSI TENTA INICIAR VIRADA EM BRNO

Italiano precisa descontar 51 pontos para sonhar com o oitavo título da MotoGP.

Por Leandro Alvares

Há um ano, Valentino Rossi conquistava na República Tcheca a sua nona vitória em 11 corridas disputadas na temporada 2005 da MotoGP. O resultado praticamente deixava o multicampeão da categoria com as mãos em mais um título, o quinto consecutivo — feito que se concretizou pouco depois, no GP da Malásia.

Em 2006, porém, o italiano da Camel Yamaha desembarca em território tcheco numa situação completamente oposta: de caça a caçador, e o “Doutor” sabe da importância em conseguir um bom resultado para se manter na luta pelo oitavo troféu de campeão.

Concluídas 11 etapas, Rossi aparece no quarto lugar da tabela de classificação, com 51 pontos a menos em relação ao líder do torneio, o norte-americano Nicky Hayden. Para complicar ainda mais o quadro, o heptacampeão vive uma fase de azar, que já o prejudicou em três corridas neste mundial.

O exemplo mais recente aconteceu no último GP, realizado nos EUA, quando o motor da YZR-M1 impediu o piloto de completar o páreo. A vitória, para o desespero de “Vale”, ficou com a Repsol Honda de Hayden.

A história da competição mostra, no entanto, situações de viradas impressionantes no certame. Em 1992, faltando cinco rodadas para o encerramento do campeonato, o lendário Wayne Rainey descontou uma diferença de 62 pontos sobre Michael Doohan e conquistou o caneco para a Yamaha.

No caso de Rossi, há mais seis GPs para se tentar uma reação. “Eu tenho sido muito azarado neste ano, mas ainda bem que tive 20 dias de descanso para poder esquecer os dias ruins e me preparar para a nova corrida”, afirmou o astro da motovelocidade.

“Estou ansioso para conseguir um bom resultado no circuito tcheco de Brno que, apesar de não ser um dos meus locais favoritos para pilotar, me garantiu um passo importante para o título do ano passado”, lembrou.

Quanto à possibilidade de se sagrar octocampeão, o competidor admitiu estar numa situação delicada. “Não sei o que dizer, para ser honesto. Temos seis corridas pela frente e a diferença do líder é muito boa. Mas eu só quero me divertir e vencer o máximo de provas possíveis. Tenho que encontrar um jeito para extrair o máximo de minha moto e dos pneus, e somente então ver no que vai resultar”, completou Rossi, cuja moto é calçada pelos compostos da Michelin.

O GP da República Tcheca será disputado na próxima semana, entre os dias 18 e 20. A largada da corrida está prevista para as 9h00 (de Brasília), com transmissão ao vivo do canal por assinatura “Sportv”.

Confira a programação:

Sexta-feira (18):
4h00 às 4h45: Treino livre 1 das 125cc
5h00 às 6h00: Treino livre 1 da MotoGP
6h15 às 7h15: Treino livre 1 das 250cc
8h15 às 8h45: Classificação 1 das 125cc
9h00 às 10h00: Treino livre 2 da MotoGP
10h15 às 11h00: Classificação 1 das 250cc

Sábado (19)
4h00 às 4h45: Treino livre 2 das 125cc
5h00 às 6h00: Treino livre 3 da MotoGP
6h15 às 7h15: Treino livre 2 das 250cc
8h15 às 8h45: Classificação 2 das 125cc
9h00 às 10h00: Classificação da MotoGP
10h15 às 11h00: Classificação 2 das 250cc

Domingo (20):
3h45 às 4h05: Warm-up 125cc
4h15 às 4h35: Warm-up 250cc
4h45 às 5h05: Warm-up MotoGP
6h00: Largada 125cc
7h15: Largada 250cc
9h00: Largada MotoGP

*Horários de Brasília.

Fonte:
Equipe MOTO.com.br

Compartilhe:

Receba notícias de moto.com.br