Outra versão para o início do Brasileiro

Segundo Roberto Corrêa, gestor do Autódromo de Interlagos, o Campeonato não começou em São Paulo por falta de patrocínio.

Por André Jordão

Toda a negociação envolvendo o Brasileiro de Motovelocidade, foi feita diretamente entre o presidente da Confederação Brasileira de Motociclismo (CBM), Sr. Alexandre  Caravana, e a administração do autódromo, comigo.

Recebi no dia 16 de fevereiro, solicitação da CBM para que fosse reservada a seguinte data: 12 de Abril e 20 de Dezembro (abertura e fechamento da competição). Neste ofício além da solicitação das datas e outros detalhes, foi colocada a importância da abertura e do fechamento do campeonato em Interlagos.

Estas datas foram destinadas a CBM e publicadas em nosso calendário oficial. Conjuntamente abrimos internamento, o processo administrativo para elaboração do contrato entre as partes. Lembramos que em função do exposto no ofício, liberamos a 1º sem ônus para a CBM.

Entretanto poucos dias antes deste evento, a CBM nos informou da impossibilidade de elaborar esta etapa, por problemas de patrocinadores, e nos solicitou uma outra opção de data. Informei que como temos um calendário extremamente apertado, somente teria como alternativa a data de 15 e 16 de maio (sexta e sábado).

Posteriormente, a CBM nos informou da impossibilidade de utilização da mesma e ficou a CBM, desta forma, sem data para a realização da abertura do Brasileiro em Interlagos. Quem acabou se utilizando destas datas foi a Federação Paulista de Motociclismo.
 
Roberto Henrique de Seixas Corrêa,
Gestor Autódromo de Interlagos
.


Fonte:
Equipe MOTO.com.br

Compartilhe:

Receba notícias de moto.com.br