OTIMISMO PARA SILVERSTONE

Barros aposta em pódios no GP da Inglaterra, desde que o controle de largada ajude.

Por Thiago Fuganti

Repetir ou melhorar os resultados da rodada de Monza, na Itália. É com esse pensamento que Alexandre Barros parte para a quinta etapa do Mundial de Superbike, que acontece entre os dias 26 e 28 de maio em Silverstone, Inglaterra.

Apesar de nunca ter andado no tradicional circuito inglês, o brasileiro se diz otimista em buscar novos pódios. O motivo da confiança está nos últimos testes realizados em Brno, na República Tcheca, onde o piloto da Honda conseguiu andar abaixo do recorde da pista.

“O teste foi muito bom, andamos abaixo do recorde com pneus de corrida, pois tivemos tempo de trabalhar com calma nos acertos da moto e o acerto dessas máquinas é muito, muito importante”, destacou o ex-competidor da MotoGP.

“Tenho de dizer que estou feliz com o que conseguimos até agora. Também fizemos alguns ajustes na estrutura da equipe e o clima está muito bom. Em outras palavras, nós estamos, passo a passo, seguindo na direção certa”, avaliou.

Em Brno, Barros também buscou soluções para resolver o seu calcanhar de Aquiles, a embreagem da moto, que o tem feito perder várias posições nas largadas. “Nós não temos um controle de largada, uma pena, mas podemos escolher entre dois tipos diferentes de sistemas. Testamos ambos muitas vezes e fizemos algumas melhorias. Ainda não está perfeito, mas acreditamos que não deva repetir o mal desempenho de Monza”, apostou.

Na rodada italiana, Barros caiu para o fundo do grid nas duas baterias, mas ainda assim deixou o circuito com um segundo e um quarto lugar. “Monza é uma pista bastante desafiadora, não e fácil tirar a diferença quando se está lá atrás, como eu cheguei a andar nas duas corridas. Isso significa que a moto estava andando muito bem e que se tivesse largado melhor eu provavelmente poderia ter lutado pela vitória, pelo menos na primeira bateria”, ressaltou.

Certo de que tem “braço” para lutar pelas vitórias, Barros lamentou a falta de apoio da HRC, equipe oficial da Honda, que não lhe oferece um dispositivo de largada eficiente. “É fato que a eletrônica é uma grande vantagem e estou um pouco desapontado com eles. Afinal, a CBR1000RR tem um ótimo potencial para brigar por vitórias”.

“De qualquer forma estou desfrutando esse momento de bons resultados e darei o meu melhor a cada domingo porque eu amo correr e porque eu sinto a grande paixão que envolve todo o circo da Superbike. O público em Monza estava realmente fantástico e foram corridas eletrizantes. Espero que seja igual, ou melhor, em Silverstone, mesmo sabendo que será um grande desafio para nós”, completou.

Após quatro rodadas, Barros ocupa a quarta posição no campeonato, com 95 pontos. O líder do certame é o australiano Troy Bayliss, com 175 tentos marcados.


 


Fonte:
Equipe MOTO.com.br

Compartilhe:

Receba notícias de moto.com.br