Nova chicane em Interlagos é impraticável

A obra que era para resolver os problemas da Curva do Café, em Interlagos, foi finalmente finalizada. Porém, a chicane que foi construída no local pelo engenheiro responsável, Artemis de Oliveira, está equivocada.

Segundo a reportagem dessa quarta feira (20) do jornal “O Estado de São Paulo”, a obra, que custou cerca de R$ 100 mil, foi feita ao contrário. É, ao contrário mesmo. A saída é na entrada e a entrada é na saída.

A nova chicane era para ser utilizada no último fim de semana durante o campeonato Brasileiro de Marcas, mas nem pilotos e nem a CBA (confederação Brasileira de Automobilismo) aprovaram a obra e por isso vetaram o uso da chicane durante a prova.

A reformulação da Curva do Café é algo pedido pelos pilotos há muito tempo, mas só foi levada a sério depois da grande repercussão do acidente que matou Gustavo Sondermann, em abril deste ano, durante prova da Copa Montana. O motociclista João Lisboa também foi uma das vítimas da Curva do Café.

A São Paulo Turismo (SP Turis), que é a responsável pela gestão do autódromo paulistano, anunciou que o coordenador-técnico do Autódromo José Carlos Pace, o engenheiro Artemis de Oliveira, foi exonerado de seu cargo.

Clique aqui para ver Nota Oficial do autódromo a respeito das intervenções na Curva do Café.



Fonte:
Equipe MOTO.com.br




Compartilhe:

Receba notícias de moto.com.br