Motovelocidade vista da garupa

O Projeto Twin Racers chegou para apimentar as competições em todo o Brasil. Quem nunca participou de uma corrida de moto vai ter a oportunidade de sentir toda a adrenalina de correr nos melhores autódromos do país na garupa do experiente piloto Leandro Mello.

Para que a sensação seja completa, a moto, uma Suzuki GSX R 1000, foi toda preparada pela Spiga Racing para competição. Como resultado, quase 30 cavalos a mais que o modelo de rua e muita tecnologia em equipamentos de ponta.  Para receber o garupa, o tanque original foi trocado e a moto ganhou alças de segurança para o acompanhante.

Antes de sentar na moto, o acompanhante recebe um briefing com recomendações de segurança e dicas de como se comportar na garupa. O equipamento de segurança Alpinestars é o mesmo do piloto e inclui, além do macacão de couro, luvas, protetor de coluna, botas e capacete Arai, de última geração.

A partir daí, é só segurar firme e aproveitar a corrida! São três voltas a mais de 200 km/h! Como uma montanha russa, depois que entrou na pista tem que segurar. Porque só pode sair quando o passeio acaba.


Preparação da Moto

A preparação foi feita no tempo recorde de duas semanas pela equipe Spiga Racing, responsável pela preparação das motos mais rápidas do Brasil. Para entrar na pista, a Suzuki GSX R 1000 já teve que passar por alterações, como trocar o fluido do radiador por água, para que em caso de vazamentos, a pista não fique escorregadia para os outros pilotos. São retirados também faróis e retrovisores e o câmbio é invertido para facilitar as trocas de marcha na curva. Tudo como nas motos de corrida. Mas para deixar a moto ainda mais rápida, a Spiga Racing ainda fez outros ajustes:

FREIOS – Os originais tiveram o fluido, DOT 4, substituído por um de especificação Racing, com a temperatura mais alta de ebulição, DOT 5. O que impede que o óleo ferva e os freios deixem de funcionar corretamente. As mangueiras originais de borracha também foram substituídas por outras
do tipo Aeroquipe, que são revestidas por uma malha de aço que e não permite dilatação com a alta temperatura o fluido.

SUSPENSÃO – Teve que ser recalibrada para manter o comportamento de pista, mesmo com o garupa, que pode pesar até 100 quilos.

PNEU – Os pneus street foram trocados por outros racing, de composto bem mole, para dar mais aderência na pista. Esses pneus são feitos para virar tempo e têm a duração média de 200 quilômetros, contra os 5 mil de um pneu street.

MOTOR – Para ganhar mais potência, o motor original perdeu o catalisador. Assim, a alimentação fica mais rica, mais combustível explode e gera mais potência. Foi trabalhado todo o sistema de alimentação, um escapamento completo da Akrapovic, acessórios para injeção Power Commander e filtro K&N. Além disso, eles encurtaram a relação de transmissão final para ter uma retomada e uma aceleração mais rápidas.

Mais informações: www.motorsco.com.br



Fonte:
Equipe MOTO.com.br




Compartilhe essa notícia

Receba notícias de moto.com.br