MotoGP: Retrospecto de Donington Park

A vitória de Andrea Dovizioso na classe rainha do motociclismo não poderia ter vindo em melhor hora para o italiano. Após ficar três vezes consecutivas sem terminar uma prova, seu futuro na Repsol Honda estava em debate, mas ao terminar uma prova difícil no lugar mais alto do pódio, sua situação fica um pouco mais confortável.

“Esta corrida foi muito difícil. Com essas condições, a temperatura dos pneus era muito baixa, e a leve chuva que caiu durante toda a corrida fez uma cenário para se pilotar. Nós não podíamos trocar de moto e isso deixou as coisas ainda mais difíceis”, disse Dovizioso após uma grande celebração no pódio.

Ele liderou a corrida a partir da 19ª volta quando o hexa-campeão da MotoGP, Valentino Rossi, foi ao chão no “S” Fogarty. “Antes de Rossi cair estava mais fácil porque não é muito difícil quando você segue alguém nessas condições, já que o líder é quem tem que tomar cuidado para ver onde está seco e onde não está. Mas quando Rossi caiu, percebi que os pneus estavam frios e que deveria tomar muito cuidado, já que eu ditaria o ritmo” explicou o piloto da Repsol Honda.

“Usar um visor claro também fez com que visse melhor as linhas que estavam mais secas. No final, Randy De Puniet e Colin Edwards estavam num ritmo muito bom e me alcançaram e foi complicado segurá-los. Penso que nas duas últimas voltas me esforcei tanto que eles não conseguiram arriscar para chegarem até mim” completou.

E será que a vitória alterou os objetivos de Dovizioso para a temporada? Não exatamente. Falando de forma pragmática declarou: “Hoje (domingo) não foi uma situação normal, temos que compreender como é que podemos tirar o melhor proveito do potencial do conjunto que temos. Ainda temos que encontrar algumas soluções” concluiu.

Edwards, que já viu todos os tipos de condições de corrida em sua longa história nas competições, colocou o GP da Inglaterra 2009 como um dos mais difíceis de sua carreira. “Eu não desejo que ninguém corra nestas condições. Se eu já corri em condições piores? Sim, talvez... só quando óleo cai na pista ou coisa do tipo” disse Edwards, após seu primeiro pódio da temporada.

O piloto da Monster Yamaha Tech 3 finalizou a prova na segunda colocação, tomando a posição de Puniet na ultima curva da corrida. Tudo isso após largar em sexto. “Nós utilizamos um pneu que ainda não havia sido usado e eu estava me sentindo bem, mesmo com tais condições. E então, alguns foram para o Box, e eu pensei ‘porque estão todos com tanta pressa?’. Tudo parecia bem para mim e estava bem estável, então eu apenas comecei a forçar mais minha moto e percebi que passava vários pilotos. Pensei que ou eu estou indo rápido demais e daqui a pouco vou cair, ou a galera está pirando. Acho que eu julguei melhor as condições da pista” completou o americano, que agora ocupa a quinta posição no campeonato.

O terceiro lugar de Puniet levou a LCR Honda ao seu segundo pódio na MotoGP. O francês sempre foi um piloto que se arrisca, uma estratégia que às vezes causa mais abandonos que um lugar entre os melhores, mas no domingo sua tática mais conservadora no final da corrida deu a ele boas recompensas por uma ótima largada.

“Foi como um sonho para mim e para a equipe. Foi uma corrida muito estressante e eu estava muito nervoso no grid com as condições da pista. Larguei muito bem com os pneus slick e fui bem agressivo nas primeiras voltas” explicou.

“Consegui um sexto lugar, mas a distancia para os ponteiros era grande e achei melhor manter meu ritmo sem arriscar muito. Toni Elías caiu em minha frente e Daniel Pedrosa não parecia muito confiante em cima de sua moto. Quando ele começou a perder tempo, eu aproveitei para tentar ultrapassá-lo e nós disputamos a posição por diversas voltas. Eu pude passá-lo, pois minha moto parecia um pouco mais rápida, e de repente, percebi que já estava na terceira posição” finalizou.

Com a queda dos pilotos lá na frente, Puniet ficou numa posição ainda melhor, mas ele tinha um motivado Edwards atrás dele tentando ultrapassá-lo nas últimas voltas. No fim, ele perdeu a segunda posição para o americano e mesmo assim ficou muito feliz com seu primeiro pódio desde 2007.

Um dia nada comum para a fábrica Yamaha em Donington Park, viu Valentino Rossi fazer uma corrida de recuperação ao levantar sua M1 de uma queda e cruzar a linha de chegada na quinta posição. Seu companheiro de equipe, Jorge Lorenzo não terminou a prova após uma espetacular queda quando liderava a prova.

“Pilotar na chuva com pneus slick é sempre arriscado. As curvas para a esquerda estavam molhadas o que fez com que o lado esquerdo do pneu esfriasse fazendo com que eu caísse. Após isso, eu me recuperei bem. Mesmo com a chuva, escolhi continuar com os pneus slick e os onze pontos que conquistei foram muito importantes para aumentar minha vantagem na liderança” explicou Rossi.

Para Lorenzo, contudo, seu segundo abandono do ano foi difícil de engolir. O espanhol caiu ao tocar na linha branca da curva na nona volta. “Larguei muito bem e as primeiras voltas foram boas. Me senti muito confortável na liderança. Infelizmente, na última curva da nona volta eu cometi um pequeno erro. Meu traçado estava errado e toquei na linha branca, que estava extremamente escorregadia, com o pneu traseiro. Eu estava bem e queria continuar, mas minha moto estava muito danificada” disse Lorenzo.

Os pilotos fazem agora uma pausa para as férias, e retornam às pistas no dia 16 de agosto, no autódromo de Brno, na República Tcheca.



Fonte:
Equipe MOTO.com.br




Compartilhe essa notícia

Receba notícias de moto.com.br