MotoGP: Okada vai andar com ''wild card'' em Mugello

Veterano japonês irá correr com a Honda para testar a válvula pneumática do motor.

Por Adilson

A participação de Tadayuki Okada como piloto convidado em Mugello foi confirmada para a estréia do motor de válvula pneumática da Honda, com o veterano encarregado de colocar o novo bloco da RC212V a nível competitivo.

Sete anos, 121 corridas e duas mudanças de cilindrada depois do seu último GP, Tadayuki Okada voltará a vestir o macacão e pilotar a Repsol Honda no Grande Prêmio da Itália. O japonês será o primeiro “wild card” da Honda na era das 800cc.

O regresso de Okada à Repsol Honda tem como principal objectivo fazer a estréia competitiva do motor de válvula pneumática da RC212V. O piloto de 41 anos efetuou um extenso programa de testes no Japão. O veterano vai regressar à pista em Mugello pela primeira vez desde 2000, estreand nas 800cc.

“O meu último Grande Prêmio foi em Phillip Island, em 2000, por isso já se vão mais de sete anos desde que fiz a última corrida”, nota Okada, que correu na última temporada das 500cc.

“Estou mesmo ansioso por Mugello. A longa reta deve ser favorável à minha moto e ao motor de válvula pneumática, que está finalmente pronto para correr”, disse o veterano.

O bloco foi alvo de muita especulação e a mudança de direção, com o desenvolvimento prejudicado pela lesão de Dani Pedrosa durante um teste em Janeiro. O trabalho no motor foi deixado para o companheiro de equipe, Nicky Hayden e, depois de muitas deliberações e marcação de novas datas, a primeira corrida vai agora finalmente ter lugar, mas não com os pilotos oficiais.

O resultado na Itália não será o principal foco de Okada, mas o veterano conta com respeitável história em Mugello, como ele próprio recorda.

“Consegui alguns bons resultados nas 500cc. Terminei no pódio em 1999, mas em 1998 lutei pela liderança com o Mick Doohan quando sofri forte queda e quebrei um pulso. Sei que a pista é muito técnica, com traiçoeiras curvas para a direita e esquerda”, finalizou Okada.

A corrida do próximo fim de semana deverá ser a única participação de Okada no Mundial, se bem que o motor de válvula pneumática poderá vir a marcar presença em mais provas dependendo dos resultados apresentados em Mugello.

Fonte:
Equipe MOTO.com.br

Compartilhe:

Receba notícias de moto.com.br