Mike Doohan analisa o Mundial de MotoGP

O detentor de cinco títulos consecutivos faz suas previsões para a temporada 2008.

Por Adilson

O campeão de cinco títulos consecutivos da maior categoria das motos, entre as temporadas de 1994 e 1998, Mick Doohan, certamente conhece os caminhos para chegar ao título e faz suas previsões, depois de um empolgante começo de temporada do mundial de MotoGP.

Tendo grande domínio do mundial nos anos 90, o ex-piloto conhece muito bem o mundo da motovelocidade. É um assíduo seguidor do esporte, acompanhando de perto as batalhas nas pistas, principalmente o seu compatriota, Casey Stoner, atual detentor do título, e o duelo entre as rivais fabricantes, Yamaha e Honda.

A lenda da MotoGP, obteve 54 vitórias na carreira, assegurando 5 títulos consecutivos, antes de se aposentar em 1999.

Depois de ver Stoner fazer um turbulento início de temporada, Doohan ainda espera que a Ducati e o piloto briguem pelo título.

“Eu não conversei com Casey ou qualquer outra pessoa da equipe, então não sei o que está acontecendo, mas é obvio que há algum problema lá, seja com os pneus ou com algum simples acerto que elas tenham feito. É estranho pensar que eles dominaram a temporada passada e este ano eles tenham mudado tudo”, declarou.

“Stoner ganhou a primeira corrida do ano e foi mal nas outras duas, mas isso não quer dizer nada, pois nada está decidido e ainda tem o campeonato inteiro pelo frente”, disse Doohan.

Já na Fiat Yamaha, tem o bicampeão das 250cc, Jorge Lorenzo, que está fazendo um sensacional começo de ano, liderando a categoria máxima com três pódios em três corridas. 

“Nos últimos anos estamos vendo grandes talentos das 250cc vindo para a MotoGP. Eles se adaptam muito bem com as motos de 800cc. Acho que isso reflete a força que esses pilotos tem nessas categorias inferiores, como aconteceu também com Valentino (Rossi), quando veio para a MotoGP”, analisou.

“A Yamaha conseguiu superar a pressão para voltar ao topo e a Michelin vem brigando forte para se manter na frente, então eu acho que é a combinação. Mas o espanhol também tem um árduo caminho pela frente, e não pode ser indiferente com um companheiro de equipe do gabarito de Rossi”, disse.

Esse ano, Rossi poderá recuperar o título que já não vem há duas temporadas, como Doohan, que ganhou cinco títulos seguidos depois de dois anos de espera.

“É muito difícil ter certeza do que vai acontecer. Vai depender se ele consegue adaptar a moto junto com os pneus durante toda a prova, ou então a Bridgestone terá que produzir pneus que o leve até o fim da corrida”, comentou.

“Acho que só começaremos a ter uma melhor projeção depois de mais umas três corridas. Tudo pode acontecer, pois são 18 provas ao todo”, finalizou o ícone da motovelocidade.

Fonte:
Equipe MOTO.com.br

Compartilhe:

Receba notícias de moto.com.br