Michelin preparada para trabalho italiano

Jean-Philippe Weber, responsável pelos pneus franceses, está confiante para a corrida em Mugello.

Por Adilson

Os fornecedores de pneus Michelin esperam continuar a obter sucessos no Grande Prêmio da Itália de MotoGP, com três dos atuais cinco primeiros do campeonato, Jorge Lorenzo (Fiat Yamaha), Daniel Pedrosa (Repsol Honda) e Colin Edwards (Tech3 Yamaha) que usam os compostos de borrachas francesas.

A visita a Mugello para a sexta etapa do ano verá também a estréia da estrela italiana Andrea Dovizioso (JiR Team Scot) em casa, com a Michelin fazendo sua parte do trabalho para ajudá-lo a conquistar seu primeiro pódio nas 800cc.

Há também o desafio de tentar bater o Campeão do Mundo Casey Stoner e o líder do campeonato Valentino Rossi e os seus Bridgestone, ainda mais com o italiano sendo responsável pelo sucesso da Michelin nos últimos anos na Itália antes de mudar de fornecedor de pneus no final de 2007.

Na verdade, a Michelin conta com um fantástico conjunto de resultados em Mugello, tendo vencido as últimas 15 corridas da categoria rainha disputadas na pista.

“Estamos muito ansiosos por ver Dovizioso andar na sua primeira corrida em casa pela MotoGP”, disse Jean-Philippe Weber, responsável do departamento de competição em duas rodas da Michelin. “Ele fez um início de carreira de MotoGP muito bom. Apesar da falta de sorte, ele mostrou ser capaz de terminar entre os cinco ou seis primeiros, isto apesar de ser um estreante e de não ter uma moto de fábrica”.

"O estilo de pilotagem dele é um desafio interessante para nós – é suave e agressivo e passa mais tempo na inclinação máxima que a maioria dos pilotos, por isso estamos trabalhando para lhe dar aderência e equilíbrio no pneu dianteiro”, avaliou.

Sobre as exigências da pista italiana Weber afirma: “Mugello é uma grande pista, com muitas mudanças de elevação, que é sua grande característica, tanto em termos de pilotagem, como em termos de pneus.

"O circuito não é um dos mais exigentes para os pneus, é um pouco mais duro que Le Mans, mas o interessante é a forma como as seções ascendentes afetam o pneu traseiro e as descendentes o pneu dianteiro”, afirma Weber.

“O outro grande fator em Mugello é a potência, pois a reta é uma das mais longas do calendário da MotoGP”, finalizou.

Fonte:
Equipe MOTO.com.br

Compartilhe:

Receba notícias de moto.com.br