Lorenzo responde algumas perguntas

Piloto comenta sua transferência da categoria 250cc para MotoGP.

Por Bruno Rocco

Depois de conquistar seu segundo título na categoria 250cc, Jorge Lorenzo retornou à Espanha e participou de uma sessão de perguntas e respostas sobre seus bons resultados desse ano e sobre a sua mudança para a Yamaha na MotoGP em 2008.

Como você se sentiu ao cruzar a linha de chegada na Malásia?
Ao terminar a corrida eu pensei em todos que eu conheço. A adrenalina não parava de correr em mim, mesmo quando fui cumprimentar todos no Box. O que eu conquistei foi ótimo para a Espanha e para o esporte espanhol em geral.

Agora que você já está com o título nas mãos, quais são seus próximos planos na Espanha?
Eu acho que estarei bastante ocupado. Eu já notei algumas diferenças esse ano, em comparação com o ano passado. Na Malásia, por exemplo, havia muitos fãs que estavam pedindo meu autógrafo e isso não aconteceu na ultima temporada.

Como você se sente deixando a Aprilia?
Dizer adeus à Aprilia vai ser triste, porque lá trabalham pessoas ótimas que me ajudaram muito a ser campeão mundial e uma melhor pessoa em geral. Eles me deram uma moto vencedora e a melhor época da minha vida.

Quais são os momentos mais especiais que você vai levar com você para a MotoGP? Quais foram os melhores momentos que você teve nos últimos três anos?
Eu lembrarei dos dois títulos, de algumas pessoas em particular da equipe e dos fãs que me ajudaram tanto e que vão continuar me dando suporte durante o resto de minha carreira. Ocorreram alguns momentos inesquecíveis durante esses três anos, principalmente com as grandes amizades que fiz nas 250cc. 

Será muito difícil vencer na MotoGP, e depois de vencer tanto nas 250cc como você vai reagir à isso?
Eu não tenho expectativas de vencer corridas no próximo ano. Vai ser muito difícil estar entre os oito primeiros colocados, por isso eu pretendo curtir. Na MotoGP tem uns cinco ou seis pilotos que foram campeões mundiais, e ganhar deles vai ser uma tarefa muito difícil.

Você acha que vão colocar mais pressão em você, já que Casey Stoner venceu dez corridas e conquistou o título mundial em seu segundo ano na MotoGP?
Eu já quebrei muitos recordes, principalmente quando era mais novo. Fui o mais novo piloto a vencer o Aprilia Cup, o mais novo piloto no campeonato mundial, um dos mais novos a conquistar o Grand Prix e um dos mais novos na categoria 250cc. Mas logo você percebe que o que é realmente importante são os fãs, vencer é importante, mas sem os fãs você não se sente bem.

Eu acho que eu fui muito bem nas 250cc, mas com certeza o nível da MotoGP é maior. Terei que trabalhar muito para me tornar competitivo na MotoGP e estamos apenas começando.

O que você espera ao dividir o Box com Valentino Rossi?
Nós dois temos nossos próprios trabalhos para fazer. Nós estaremos bem juntos.

Você acha que a atenção será bastante focada na batalha entre você e Dani Pedrosa? E você está preocupado em causar uma divisão entre os fãs espanhóis?
No meu ponto de vista, isso pode até ser uma coisa boa. Se os fãs estiverem divididos entre eu e Dani Pedrosa pode ocorrer uma briga amistosa na pista que será boa para a MotoGP.

O que você precisa trabalhar para ser bem sucedido na MotoGP?
Eu preciso conhecer melhor a moto da Yamaha, preciso aprender sobre os pneus, preciso ter mais experiência e preciso de um pouco de sorte.


Fonte:
Equipe MOTO.com.br

Compartilhe:

Receba notícias de moto.com.br