Lorenzo pode estragar festa de Rossi na Itália

Mesmo ainda se recuperando de lesões, Lorenzo quer brigar pela 2ª vitória na MotoGP.

Por Adilson

Jorge Lorenzo soma 94 pontos no Mundial de MotoGP, sendo o piloto estreante que mais pontuou nas primeiras cinco etapas do campeonato e,  qualquer que seja o resultado na Itália no próximo domingo, o jovem de 21 anos planeja fazer mais história ainda, como o piloto mais jovem da história a completar 100 Grandes Prêmios.

Lorenzo que continua se recuperando das lesões nos dois tornozelos chegou na segunda posição na última etapa em Le Mans, ficando atrás apenas do seu companheiro de equipe, Valentino Rossi. O espanhol pode quebrar a seqüência de sete vitórias consecutivas do heptacampeão no traçado Italiano.

“Estou bastante agradecido pelo fato de ter me recuperado rápido das contusões, pois tive grandes profissionais ao meu lado durante esse tempo. Obviamente ainda não estou 100% para Mugello, mas a cada corrida que passa me sinto mais forte”, disse Lorenzo.

“Estamos ansiosos para a prova da Itália, pois é um dos meus traçados favoritos, com curvas bem rápidas. Eu gosto muito dos circuitos que virão agora, mas temos que focar sempre no próximo, porque nas corridas de moto você nunca sabe o que pode acontecer”, declarou.
 
“Essa é uma corrida especial para mim, pois será meu centésimo Grande Prêmio. Tudo aconteceu muito depressa e se eu conseguir chegar nas 200 corridas, espero que seja rápido assim também, pois significa que me diverti bastante”, acrescentou Lorenzo.

“Esse é o centésimo Grande Prêmio de Jorge, que é uma marca espetacular para sua idade”, disse o chefe de equipe da Fita Yamaha Daniele Romagnoli. “Mas o conheço bem, sei que estará focado em coletar o máximo de informações, aprendendo cada vez mais sobre a moto e querendo melhorar cada vez mais na MotoGP”.

“Ele ainda não está na sua melhor forma física, então não será fácil para ele andar junto dos líderes como vem se acostumando, mas vimos em Le Mans a sua capacidade de reação e de lhe dar com momentos difíceis”, disse Romagnoli.

“Os dois acidentes que sofreu durante os treinos na França dificultaram ainda mais as coisas, mas ele trabalhou muito forte, reagiu bem e ainda fez algumas mudanças no ‘warm up’, provando sua imensa capacidade mesmo quando não esperamos esse nível de performance dele", acrescentou Romagnoli. 

"Em Mugello trabalharemos bastante, pois sabemos que a Yamaha e Michelin são uma boa combinação neste traçado, haja visto Rossi ano passado, então estamos confiantes que podemos fazer mais uma bela corrida”, finalizou.

Fonte:
Equipe MOTO.com.br

Compartilhe:

Receba notícias de moto.com.br