Lorenzo: "Não sou mais o piloto que eu era"

Espanhol declarou que não será fácil perder o medo da moto para o restante da temporada.

Por Adilson

Jorge Lorenzo declarou que não é mais a mesma pessoa que era no começo da temporada e admite que está se esforçando muito para correr no limite, depois de uma série de graves acidentes nos últimos três meses.

O novato da MotoGP fez um sensacional começo de ano, vencendo uma prova, fazendo três pole positions e conquistando mais dois pódios nas primeiras três corridas da temporada, antes de fraturar os tornozelos em uma queda na China, em maio.

Lorenzo ainda se acidentou mais vezes. Sofreu uma séria concussão e uma lesão na mão em Barcelona, em junho e quebrou três ossos do pé em acidente espetacular na primeira volta em Laguna Seca há duas semanas atrás.

O espanhol revelou que agora fica receoso ao pilotar e quer muito recuperar a confiança para a parte final da temporada da MotoGP.

“As circunstâncias mudaram. Infelizmente sofri muitos acidentes e isso me causou um certo medo da moto. Não sou mais a mesma pessoa que eu era no começo da temporada”, disse Lorenzo.

“Nesse nível de competitividade, se você estiver com um pouco de medo da moto e perder um pouco que seja da confiança, então você está acabado. Normalmente eu não tenho medo de cair e me machucar, mas estou passando por uma crise e estou trabalhando muito para me livrar desse medo”, declarou.

“A melhor solução é passar o máximo de tempo em cima da moto e pilotá-la sempre da melhor maneira possível, para que eu possa recuperar a confiança e entender que isso não é perigoso como estou achando agora. É um esporte perigoso, mas quando o piloto tem confiança em si mesmo e na moto, ele pode controlar a relação com o medo. Eu preciso voltar a essa condição”.

“Eu caí na China e doeu muito. Em Le Mans me acidentei duas vezes com meus tornozelos já fraturados. Caí mais uma vez em Mugello e em Barcelona, onde me machuquei seriamente, pois bati minha cabeça com força. Nesse momento pensei comigo mesmo, não posso continuar desse jeito, caindo violentamente a toda hora”, disse.

Lorenzo acredita que começou sua campanha muito forte e acabou pagando o preço por isso. O piloto da Yamaha disse que precisa ser um pouco mais conservador na pilotagem para o resto da temporada.

“Quando você começa a temporada com três poles, está sempre no pódio e vence uma corrida, você pensa: ‘Posso ser ainda mais rápido do que estou sendo’, então pensei que tinha uma confiança que na verdade não tinha. Agora preciso achar o meio termo em ter muita confiança no começo e muito pouca agora”.

Os medos que assombram o espanhol podem atrapalhar seriamente a performance no recomeço do campeonato se isso permanecer.

“Acho que as pessoas sabem como posso ser rápido quando as condições estão certas para mim, mas não posso ficar satisfeito porque as pessoas esquecem disso rápido. Se não começar a andar rápido de novo é fácil duvidarem de mim. Todos querem que eu seja veloz, mas agora não posso satisfazer essas expectativas, então não fiquem felizes”.

“Estou trabalhando duro para voltar à velha forma. Estou tentando correr com mais segurança e acho que um dia colherei os frutos do meu trabalho para todos verem”, finalizou.

A próxima e 12ª etapa, de um total de 18, do Mundial de MotoGP acontece dia 17 de julho em Brno, na República Tcheca.


Fonte:
Equipe MOTO.com.br

Compartilhe:

Receba notícias de moto.com.br