Lorenzo e Yamaha dizem que Rossi foi agressivo

''Deixamos clara nossa posição. Isso não se faz, especialmente considerando a situação do campeonato''.

Por Roberto Brandão

A Fiat Yamaha disse a Valentino Rossi que ele foi muito agressivo na defesa da terceira posição contra seu companheiro de equipe e líder do campeonato, Jorge Lorenzo, nos estágios finais do Grande Prêmio do Japão, no circuito de Motegi, no domingo.

Lorenzo estava mais rápido que Rossi no fim da prova e os pilotos trocaram de posição por seis vezes nas duas últimas voltas – e fizeram contato diversas vezes – ante de Rossi garantir o último lugar do pódio.

“Acredito que as ações de Valentino na corrida não foram corretas para com Lorenzo”, disse o diretor da Yamaha Motor Racing, Lin Jarvis. Depois da corrida, o Jorge veio pedir-nos a opinião. Éramos quatro - dois responsáveis da Yamaha, Furusawa e eu - e todos tínhamos a mesma ideia: não era necessário um duelo assim entre dois companheiros de equipe. Esperamos que nossos pilotos pilotem com uma margem de segurança, o que não aconteceu hoje (ontem)", assegurou.

"O Furusawa falou depois com Rossi e disse-lhe para se portar de outra forma para com o Lorenzo, deixou clara a nossa posição e explicou-lhe que a corrida foi muito tensa e difícil, especialmente nesta fase do Mundial", continuou Jarvis.

"Não houve ordens de equipe e nem podem haver. O que queremos provoca menos espetáculo mas não desejamos ver os nossos pilotos não chão. É necessário haver concorrência, porém com respeito", finalizou.

Lorenzo também “reclamou” de Rossi: “Foi uma grande batalha entre Rossi e eu. Dois guerreiros com instinto assassino. Devo dizer que em alguns momentos creio que ele não foi muito justo. Ambos estávamos no limite, mas algumas de suas manobras foram excederam um pouco do limite”.

“Somos companheiros de equipe, estou lutando pelo campeonato e nós dois estamos na briga pelo campeonato das Fabricantes e temos que nos lembrar bem disso”, acrescentou.

“O espetáculo é ótimo para o mundo do motociclismo. Mas quando se é um piloto e está numa moto da MotoGP a quase 300 km/h na reta e de 180 a 200 km/h nas curvas e sente ser tocado pela motocicleta do rival, não é muito bom. Você sabe que está colocando sua vida em risco”, exaltou Lorenzo.
 
“Três ou quatro manobras que fiz em Rossi foram corretas e limpas. Suas manobras foram legais, mas no limite, no meu ponto de vista. Acredito que seja esse o jeito que gosta de disputar – antes com Gibernau e Stoner, e agora comigo. Talvez no futuro, seus rivais fiquem bravos e ajam como ele”, finalizou o espanhol.

Lorenzo, que permanecerá na Yamaha por mais duas temporadas, pode levar o título de 2010 na próxima etapa, em Sepang. Rossi, que está fora da luta pelo campeonato porque fraturou sua perna no começo da temporada, irá para a Ducati em 2011.

Assista ao vídeo das duas últimas voltas da prova:


Fonte:
Equipe MOTO.com.br

Compartilhe:

Receba notícias de moto.com.br