Líder da Hornet almeja mais conquistas

Carlos Cruz aponta Doca, Pamonha e Peasson como seus rivais na luta pelo título de 2007.

Por Leandro Alvares

Leandro Alvares

Nove dias após a realização da segunda etapa do Campeonato Brasileiro de Motovelocidade, Carlos Cruz segue comemorando a vitória e liderança da classificação conquistadas na categoria Hornet.

O piloto de Jundiaí foi o vencedor da corrida de Santa Cruz do Sul (RS), considerada pelos competidores muito mais acirrada do que a prova paulista de Interlagos, que abriu a temporada 2007, no mês de março.

“As trocas de posições foram intensas durante toda a disputa, e até recebermos a bandeira quadriculada foi difícil saber quem chegaria na frente”, comentou o corredor da equipe Motonil. “Qualquer um dos quatro primeiros poderiam ter vencido”.

Segundo colocado no grid, Cruz teve o pole-position Alecsandre Brieda — mais conhecido como Doca —, William Pontes (Pamonha) e Fabio Peasson como principais adversários na briga pelo lugar mais alto do pódio.

No fim das 16 voltas, conseguiu a suada consagração com uma pequena vantagem de 0s997 sobre Pontes, o rival mais próximo, e não poupou fôlego na vibração pelo resultado. “Estar na liderança do torneio significa uma enorme recompensa pelo longo e intenso trabalho de todos os integrantes do meu time”, ressaltou Carlos Cruz, que ponteia a tabela com 45 tentos, três a mais do que Doca, o vice-líder.

“A competitividade da Hornet é muito forte. Prova disso foi a minha diferença de apenas 1s254 em relação ao Peasson, que terminou em quarto. Por isso, tenho de comemorar muito o ótimo começo de campeonato”.

Fábio Buzo, mecânico-chefe da Motonil, também destacou o equilíbrio existente na estreante categoria das motos Honda de 600cc. Para ele, o desafio de extrair o máximo da motocicleta tem sido um dos pontos mais interessantes na competição.

“A Hornet é uma novidade para todos, uma verdadeira escola de aprendizado. Então, vencer a concorrência se torna mais saboroso, mas ao mesmo tempo aumenta as cobranças e a responsabilidade de se seguir em constante evolução”, disse Buzo.

Um fator que contribuiu decisivamente para a vitória no Rio Grande do Sul, segundo declarações do mecânico e do piloto, foram os treinos extras realizados na semana da corrida. “Graças aos testes encontramos o acerto ideal para a moto. Deu tudo certo, felizmente, e espero que também consigamos treinar em Cascavel”, projetou Buzo, já se referindo à próxima etapa do certame, agendada para o fim de julho, no Paraná.

Para a terceira prova do calendário, aliás, Carlos Cruz terá um motivo extra para lutar por mais uma vitória. “Meu filho deve nascer no começo de julho, portanto, seria um sonho poder dedicar a conquista a ele”, declarou.

“Confesso que não esperava estar na liderança do campeonato após essas duas rodadas, mas sempre corri pensando em brigar pelo título e é o que almejo para este ano. Vejo o Doca, o Pamonha e o Peasson como meus maiores adversários...Não vai ser fácil, mas eu brigarei até o fim”, completou.

A etapa paranaense acontecerá nos dias 28 e 29 de julho. Na seqüência, no mês de setembro, o Brasileiro de Motovelocidade seguirá para Campo Grande (MS). O encerramento da temporada será em Interlagos, em novembro.

Fonte:
Equipe MOTO.com.br

Compartilhe:

Receba notícias de moto.com.br