FIM DA HEGEMONIA DE ROSSI

Capirossi vence em Jerez, após duelo com bicampeão das 250cc.

Por Thiago Fuganti

Pela primeira vez em cinco anos não deu Valentino Rossi na etapa de abertura do Mundial de Motovelocidade. Neste domingo, aliás, o heptacampeão esteve longe de ameaçar os ponteiros do GP de Jerez de La frontera, na Espanha, o palco de uma corrida marcada por belas disputas entre a velha e a nova geração de competidores. No primeiro “round”, a vitória ficou com um veterano, Loris Capirossi.

Comprovando o bom rendimento apresentado pela Ducati desde os testes de inverno, o italiano ganhou evidência logo no sábado ao cravar a pole position. Na corrida, teve de usar a experiência para segurar o ímpeto de Daniel Pedrosa, um dos estreantes na MotoGP, que impressionou ao levar a Honda ao segundo lugar. Atrás do espanhol bicampeão das 250cc terminou Nicky Hayden, seu companheiro de equipe na escuderia oficial da marca japonesa.

Quanto a Rossi, um fim de semana para ser esquecido. Com uma Yamaha visivelmente inferior aos equipamentos concorrentes, o italiano amargou um modesto nono lugar no grid e, para complicar ainda mais a situação, caiu na largada, após sofrer um toque de Toni Elias na freada para a primeira curva.

O “Doutor” ainda conseguiu permanecer na corrida, embora com quase um minuto de desvantagem para os líderes. Ao final, recebeu a bandeirada em 14º, garantindo dois singelos pontos na classificação. “Sabíamos que a prova seria difícil, mas não achávamos que fosse tanto assim”, disse Rossi. “Eu vi o Toni se aproximar e atingir minha moto. Isto é corrida, essas coisas acontecem. De qualquer forma, pude voltar à pista e tive uma boa batalha com o Alex Hofmann”, destacou o multi-campeão, sem esconder a indignação por não ter lutado pela vitória.

“Eu queria vencer a corrida, mas não há nada que possamos fazer agora. Somente trabalhar duro para evitar que novos incidentes voltem a acontecer e garantir uma boa preparação para a próxima etapa, no Qatar”, completou.

Elias, que se desculpou com Valentino ainda na pista, levou a Fortuna Honda ao quarto posto, sendo seguido pelo companheiro de time e atual vice-campeão da categoria, o italiano Marco Melandri. Outro nome vindo das 250cc, Casey Stoner, fechou a lista dos seis primeiros. Shinya Nakano, com a Kawasaki, completou o GP espanhol em sétimo.

A festa da Ducati só não foi completa por conta de um problema na moto de Sete Gibernau, que havia garantido a dobradinha para a escuderia italiana na classificação. Uma falha no câmbio causou o abandono e a irritação do espanhol. “Não tenho palavras para descrever quão chateado estou. Foi uma pena, porque tínhamos totais condições para fazer primeiro e segundo”, lamentou.

Lá na frente, enquanto isso, a comemoração era a palavra de honra para Capirossi. “Este é o meu quarto ano de Ducati e foi a melhor maneira de iniciar uma temporada. A equipe fez um excelente trabalho na pré-temporada e esse resultado só veio para coroar o esforço de todos”, ressaltou o vencedor, líder do campeonato com 25 pontos.

A próxima etapa da MotoGP, no Qatar, está marcada para o dia 8 de abril. Nos ensaios de inverno, o domínio no traçado de Losail foi das motos amarelas, de Rossi e Colin Edwards, o que deixa mais apimentada as expectativas para a corrida.

Espanhóis vencem em casa

Se na principal categoria os espanhóis ficaram sem comemorar a vitória, o mesmo não se pôde dizer da corrida das 250cc e 125cc. Na de menor cilindrada, Álvaro Bautista tomou conta do GP, que marcou a sua primeira vitória na categoria.

O espanhol da Aprilia largou em segundo, atrás do italiano Mattia Pasini, mas assumiu a ponta na segunda volta para não perdê-la mais. Lukas Pesek, da República Checa, terminou em segundo com a Derbi, seguido por Pasini.

Nas 250cc, o dia também ficou na história pelo registro de uma primeira vitória; esta de Jorge Lorenzo. O jovem de 18 anos saiu da pole para uma corrida tranqüila, sem sofrer grandes ameaças dos adversários. Alex de Angelis, quem mais se aproximou do vencedor, obteve o segundo posto, à frente de Andrea Dovizioso, o terceiro e detentor da melhor volta da prova.

Confira os resultados em Jerez de La Frontera:

MotoGP
1) Loris Capirossi (ITA/Marlboro/Ducati), 27 voltas em 45min57s733
2) Daniel Pedrosa (ESP/Repsol/Honda), a 4s375
3) Nicky Hayden (EUA/Repsol/Honda), a 9s996
4) Toni Elias (ESP/Fortuna/Honda), a 10s135
5) Marco Melandri (ITA/Fortuna/Honda), a 19s547
6) Casey Stoner (AUS/LCR/Honda), a 21s237
7) Shinya Nakano (JAP/Kawasaki), a 21s372
8) Kenny Roberts (EUA/Team Roberts/KR211V), a 32s414
9) John Hopkins (EUA/Rizla/Suzuki), a 32s659
10) Makoto Tamada (JAP/Konica Minolta/Honda), a 35s983
11) Colin Edwards (EUA/Camel/Yamaha), a 37s930
12) Chris Vermeulen (AUS/Rizla/Suzuki), a 39s514
13) Carlos Checa (ESP/ Tech 3/Yamaha), a 42s829
14) Valentino Rossi (ITA/Camel/Yamaha), a 1min05s766
15) Alex Hofmann (ALE/Pramac d´Antin/Ducati), a 1min23s300

250
1) Jorge Lorenzo (ESP/Fortuna/Aprilia), 26 voltas em 45min57s390
2) Alex de Angelis (RSM/MVA Aspar/Aprilia), a 4s919
3) Andrea Dovizioso (ITA/Humangest/Honda), a 8s865
4) Yuki Takahashi (JAP/Humangest/Honda), a 8s922
5) Hector Barberá (ESP/Fortuna/Aprilia), a 9s915
6) Hiroshi Aoyama (JAP/Red Bull/KTM), a 23s622
7) Roberto Locatelli (ITA/Team Toth/Aprilia), a 34s520
8) Martín Cardenas (COL/Wurth/Honda), a 50s898
9) Sylvain Guintoli (FRA/GP de France/Aprilia), a 56s314
10) Arnaud Vincent (FRA/Arie Molenaar/Honda), a 1min04s082
11) Manuel Poggiali (RSM/Red Bull/KTM), a 1min09s312
12) Arturo Tizón (ESP/Wurth/Honda), a 1min27s801
13) Chaz Davies (ING/Campetella/Aprilia), a 1min30s466
14) Álvaro Molina (ESP/Andalucia/Aprilia), a 1min34s877
15) Dirk Heidolf (ALE/Kiefer-Bos/Aprilia), a 1min39s114

125cc
1) Álvaro Bautista (ESP/MVA Aspar/Aprilia), 23 voltas em 41min42s761
2) Lukas Pesek (TCH/Derbi), a 3s072
3) Mattia Pasini (ITA/MVA Aspar/Aprilia), a 6s491
4) Mika Kallio (FIN/Red Bull/KTM), a 6s693
5) Julian Simón (ESP/Red Bull/KTM), a 6s877
6) Héctor Faubel (ESP/MVA Aspar/Aprilia), a 7s137
7) Sérgio Gadea (ESP/MVA Aspar/Aprilia), a 7s291
8) Gabor Talmacsi (HUN/Humangest/Honda), a 19s931
9) Joan Olive (ESP/SSM Racing/Aprilia), a 22s886
10) Pablo Nieto (ESP/Multimedia Racing/Aprilia), a 27s176
11) Simone Corsi (ITA/Metis/Gilera), a 28s951
12) Tomoyoshi Koyama (JAP/Ajo Corse/Malaguti), a 37s653
13) Lorenzo Zanetti (ITA/I.S.P.A./Aprilia), a 42s814
14) Federico Sandi (ITA/SSM Racing/Aprilia), a 42s909
15) Andrea Iannone (ITA/Campetella/Aprilia), a 42s998
 
Campeonato:

MotoGP
1) Loris Capirossi, 25 pontos
2) Daniel Pedrosa, 20
3) Nicky Hayden, 16
4) Toni Elias, 13
5) Marco Melandri, 11
6) Casey Stoner, 10
7) Shinya Nakano, 9
8) Kenny Roberts, 8
9) Makoto Tamada, 7
10) John Hopkins, 6
11) Colin Edwards, 5
12) Chris Vermeulen), 4
13) Carlos Checa, 3
14) Valentino Rossi, 2
15) Alex Hofmann, 1

250cc
1) Jorge Lorenzo, 25 pontos
2) Alex de Angelis, 20
3) Andrea Dovizioso, 16
4) Yuki Takahashi, 13
5) Hector Barberá, 11
6) Hiroshi Aoyama, 10
7) Roberto Locatelli, 9
8) Martín Cardenas, 8
9) Sylvain Guintoli, 7
10) Arnaud Vincent, 6
11) Manuel Poggiali, 5
12) Arturo Tizón, 4
13) Chaz Davies, 3
14) Álvaro Molina, 2
15) Dirk Heidolf, 1

125cc
1) Álvaro Bautista, 25 pontos
2) Lukas Pesek, 20
3) Mattia Pasini, 16
4) Mika Kallio, 13
5) Julian Simón, 11
6) Héctor Faubel, 10
7) Sérgio Gadea, 9
8) Gabor Talmacsi, 8
9) Joan Olive, 7
10) Pablo Nieto, 6
11) Simone Corsi, 5
12) Tomoyoshi Koyama, 4
13) Lorenzo Zanetti, 3
14) Federico Sandi, 2
15) Andrea Iannone, 1



Fonte:
Equipe MOTO.com.br

Compartilhe:

Receba notícias de moto.com.br