Energia alternativa para as motos

Federação Internacional de Motociclismo quer colaborar no combate ao aquecimento global.

Por Leandro Alvares

Numa época em que a nação mundial discute temas ligados ao aquecimento global, a FIM (Federação Internacional de Motociclismo) também resolveu demonstrar sua preocupação com as questões ambientais.

A entidade suprema das competições em duas rodas anunciou nesta semana a criação de um grupo de trabalho que ficará encarregado de estudar energias alternativas para serem adotadas nas categorias do esporte a motor.

Dirigida pelo vice-presidente da FIM, Robert Rasor, a equipe já realizou inclusive a sua primeira reunião, no dia 11 deste mês. A pauta inicial tratou essencialmente de definir quais fontes de combustível seriam viáveis para o motociclismo e, além disso, estabelecer um plano estratégico para concretizar objetivos de curto, médio e longo prazo.

O Conselho Geral da Federação fará uma análise das recomendações iniciais do grupo de estudos no próximo encontro da entidade, marcado para junho, em Geneva, na Suíça.

Este interesse da FIM em utilizar energias alternativas é similar ao que já vem sido debatido pela FIA (Federação Internacional de Automobilismo), que está desenvolvendo amplas pesquisas para introduzir a tecnologia “verde” no Mundial de Fórmula 1, a qual inclui ainda a reutilização do calor dissipado e dos gases expelidos pelos equipamentos.

Fonte:
Equipe MOTO.com.br

Compartilhe:

Receba notícias de moto.com.br