EMPRESÁRIO DE ROSSI CUTUCA HAYDEN

Davide Brivio fala sobre o desfecho da temporada 2006 da MotoGP.

Por Leandro Alvares

Nicky Hayden não conquistou o título da MotoGP, foi Valentino Rossi que perdeu a taça. Esta é a opinião de Davide Brivio, empresário do heptacampeão de Motovelocidade.

Entrevistado pela assessoria de imprensa do Salão de Milão, evento realizado entre os dias 14 e 19 deste mês, o também amigo e torcedor do italiano fez um balanço sobre a temporada deste ano e falou dos trabalhos da Yamaha e do “Doutor” na luta por uma revanche sobre o adversário da Honda em 2007.

“Fiquei surpreso ao ver o Valentino deixar o campeonato escapar num erro bobo, especialmente por se tratar dele, um piloto que não costuma fazer aquele tipo de coisa. Mas isso acontece apenas com quem compete, mesmo sendo um Rossi, que não fazia algo do gênero desde o GP do Japão de 2005”, afirmou Brivio.

Para quem não se lembra, Rossi chegou à última etapa do certame, em Valência, na condição de líder do torneio e de favorito absoluto a mais uma vitória. Com a conquista da pole position, poucos acreditavam que Hayden conseguiria reverter o quadro da competição, pois dependeria de uma combinação de resultados para destronar o multicampeão.

Na corrida, porém, tudo mudou. “Vale” largou mal e, como se não bastasse, sofreu uma queda inexplicável na quarta volta, indo parar na grama. Ao voltar à pista, passou a ocupar o último posto e partiu para um tudo ou nada. Entre ultrapassagens e abandonos, Rossi cruzou a linha de chegada em 13º, posição insuficiente para lhe garantir o octocampeonato. Com Hayden em terceiro, ele teria de ser pelo menos oitavo para faturar a taça. No entanto, o incidente nas voltas iniciais e o visível desequilíbrio de seu equipamento impediram-no de escalar mais colocações.

“Estávamos tensos para a decisão, afinal de contas sabíamos que era a última oportunidade para ganhar o caneco. O Hayden, por outro lado, não tinha nada a perder, enquanto nós largávamos na ponta do grid com uma enorme responsabilidade”, comentou o empresário.

Sobre a afirmação de que não foi Hayden quem ganhou o título, Brivio usou como argumento a série de problemas enfrentados pela Yamaha durante a competição. “Deixamos de pontuar em várias provas. Todos na equipe foram derrotados, pois sempre trabalhamos em união; não foi um simples errinho que nos custou o campeonato. As coisas saíram erradas desde a primeira etapa, quando fomos atingidos pela moto do Toni Elias logo após a largada”, recordou.

“É bom lembrar do tempo em que apanhamos até solucionar a forte vibração da moto e também do acidente que o Rossi sofreu nos treinos do GP da Holanda, que o deixaram combalido por um bom tempo. Somando todos os percalços, temos que admitir ter sido uma surpresa a virada que conseguimos no Mundial, constituída graças a um trabalho de equipe e lealdade. E manteremos essa filosofia em 2007”, ressaltou.

Em relação ao próximo ano, Brivio se mostrou confiante nos trabalhos já em andamento. “Estamos bastante focados no desenvolvimento dos pneus Michelin e, claro, no acerto do equipamento”.

Nos testes de pré-temporada, a Yamaha tem utilizado uma versão híbrida de seu novo modelo, empurrado por um motor de 800cc. “O design final da moto será conhecido apenas entre os meses de janeiro e fevereiro. Posso adiantar que mantivemos os quatro cilindros em linha no propulsor e que o quadro parece ser muito bom”, finalizou.

Os últimos testes da MotoGP neste ano acontecem entre hoje e quinta-feira, em Jerez de La Frontera. Rossi, agora na condição de vice-campeão da categoria, será um dos pilotos em atividade na pista espanhola.

Fonte:
Equipe MOTO.com.br

Compartilhe:

Receba notícias de moto.com.br