BRASILEIRO QUER SER CAMPEÃO

Barros testa a Klaffi Honda de 2006 nesta terça-feira.

Por Thiago Fuganti

Depois da demora na confirmação de sua ida para o Mundial de Superbike, oficializada apenas na última sexta-feira, Alexandre Barros se mostrou bastante veloz em apontar suas pretensões na nova categoria. Para a temporada de estréia, um único objetivo: lutar pelo título.

“Meu objetivo é ser campeão e me divertir”, afirmou o brasileiro da Klaffi Honda, que trocou de certame após 16 anos na MotoGP. “Eu quero brigar pelo titulo e tenho uma chance real para realizar o meu sonho. A Honda e a equipe Klaffi estão me oferecendo as condições perfeitas para isso”, destacou o piloto de 35 anos.

Sobre os novos desafios — que terão início no dia 25 deste mês, com a abertura do Mundial, no Qatar —, Barros apontou o atual campeão da categoria como o nome mais difícil a ser batido. “Pessoalmente eu só conheço alguns deles, mas não posso deixar de lembrar também do Noriyuki Haga, do Troy Bayliss e do Ruben Xaus”, listou.

No Superbike, Barros guiará uma Honda CBR1000RR, de 4 cilindros e 998cc, com peso de 165 kg e aproximadamente 200 cv potência, que ultrapassa os 300 km/h. “Em 2002 foi a última vez que corri com uma Superbike, no Japão, e terminei a corrida em terceiro lugar. Não faz tanto tempo assim. A CBR1000RR é nova para mim, mas se trabalharmos todos juntos acredito que conseguiremos bons resultados”.

Uma comparação entre as duas principais categorias de motovelocidade seria inevitável por parte do experiente competidor. “Acho que o mais difícil será a mudança de pneus porque eu não tenho experiência com os Pirelli.

Também há algumas pistas que são novas para mim. Este ano será a primeira vez que andarei em Brands Hatch, EuroSpeedway Lausitzring e no novo circuito de Silverstone”, lembrou Barros.

Em sua primeira aparição na mídia em 2006, Barros aproveitou também para falar sobre sua saída da MotoGP. “Recebi algumas propostas para continuar na categoria, mas as diferentes possibilidades não eram muito satisfatórias para mim ou para minha carreira”. Traduzindo, o piloto teria de se contentar em correr numa equipe intermediária caso quisesse continuar a trajetória no certame “top” do motociclismo.

Quanto à nova casa, o brasileiro acredita na possibilidade do WSBK ganhar a mesma popularidade da MotoGP num futuro próximo. “O ambiente é maravilhoso e a competição é acirrada. Com um pouco de mais promoção e cobertura das emissoras de TV, acredito que isso seja possível”.

Barros terá apenas dois dias de testes com a nova moto da Klaffi antes do início do campeonato. Nesta terça-feira, o piloto irá testar a CBR1000RR na pista da cidade de Sicília, na Itália. Na quarta, guiará a máquina com a nova suspensão oficial da HRC. “Eu só tenho que me concentrar e fazer o meu melhor”, completou.

O chefe da Klaffi, Klaus Klaffenböck, se disse ciente do pouco tempo de preparação de Barros, mas garantiu ao brasileiro uma moto bastante competitiva. “Ainda temos muito trabalho a fazer e pouco tempo, mas nossa meta é dar o melhor material e o melhor apoio ao Alexandre. Sua Klaffi Honda será uma das melhores e mais rápidas motos do campeonato”.

A temporada 2006 terá 12 etapas. A primeira delas será no circuito de Losail, em Doha, no Qatar.

Confira o calendário do WSBK:

25/02:  Doha (Qatar)
05/03:  Phillip Island (Austrália)
30/04: Valência (Espanha)
14/05: Monza (Itália)
28/05: Silverstone (Inglaterra)
25/06: Misano (San Marino)
23/07: Brno (Rep. Tcheca)
06/08: Brands Hatch (Inglaterra)
03/09: Assen (Holanda)
10/09: Lausitz (Alemanha)
30/09: Ímola (Itália)
08/10: Magny Cours (França)




Fonte:
Equipe MOTO.com.br

Compartilhe:

Receba notícias de moto.com.br