Moto Dica: sete dicas da Harley-Davidson para viajar em julho

 
Para qualquer viagem de moto é preciso tomar diversos cuidados antes encarar uma estrada, no Brasil ou no exterior. Pensando na preparação completa que deve ser realizada pelos clientes, a Harley-Davidson do Brasil apresenta dicas importantes para quem pretende viajar com segurança e tranquilidade durante as férias escolares de julho.
 
A segurança na pilotagem deve ser sempre a principal preocupação de todo motociclista e é um tema abordado constantemente pela H-DB, visando garantir sempre uma experiência completa com a marca. É sempre importante preparar o roteiro da viagem com muita atenção e utilizar as vestimentas apropriadas para a pilotagem – sem esquecer dos dias de frio, calor e chuva –, itens fundamentais para garantir o sucesso dessa aventura, além da manutenção adequada da motocicleta e um kit básico para qualquer emergência técnica.
 
 
1. EQUIPAMENTOS DE SEGURANÇA
Antes de ligar sua Harley-Davidson, verifique itens essenciais para a segurança pessoal, tais quais luvas, capacete (sem danos, com adesivos refletivos e selo de homologação do Inmetro), calçados apropriados, como botas resistentes, por exemplo, jaqueta com protetores internos e capa de chuva (dependendo das condições climáticas) para piloto e garupa. Esses equipamentos garantem que, em uma possível queda, os danos sejam minimizados.
 
2. REVISÃO
Este item, assim como o primeiro, é extremamente relevante. A motocicleta precisa estar com todas as revisões em dia, pneus em bom estado e calibrados seguindo as recomendações do manual do proprietário, tanque abastecido com combustível de alta octanagem, bom nível de óleo e todas as lâmpadas funcionando perfeitamente (faróis, lanternas, luzes de freio, sinalizadores de direção e luz da placa). Caso qualquer um desses itens não esteja em perfeitas condições, o destino escolhido não deve ser a estrada, mas sim a concessionária Harley-Davidson mais próxima.
 
3. LIMPEZA
Quando for cuidar da limpeza da sua H-D antes de sair em viagem, é importante garantir que o modelo será lavado com os produtos corretos. Na ausência deles, o uso de água e sabão neutro ajudam a resolver o problema. Desta maneira, nenhuma peça será danificada durante a limpeza por produtos abrasivos que podem causar danos às motocicletas.
 
 
4. FERRAMENTAS
É sempre bom estar preparado para quaisquer imprevistos. Por isso, é importante carregar um kit de ferramentas básicas para ajudar na realização de algum reparo de emergência durante o passeio. Antes de qualquer coisa, é preciso verificar quanto espaço existe na motocicleta para carregar as ferramentas. Em alguns modelos, o espaço é limitado e isso pode afetar a seleção das ferramentas. Por outro lado, os motociclistas com baggers têm condições de carregar mais itens.
 
Vale ressaltar, também, que cada motocicleta é única e necessita de um conjunto diferente de ferramentas. Ou seja, não adianta carregar uma chave fixa de 5/8” se não houver nenhum parafuso correspondente na moto. Outro fator para determinar exatamente quais ferramentas levar é a familiaridade com o modelo e seus requisitos técnicos específicos, além, é claro, do conhecimento de quais ações tomar para um possível reparo de emergência.
 
5. MANUAL DO PROPRIETÁRIO
Conhecer muito bem o manual do proprietário pode fazer toda a diferença para o motociclista em algum momento inesperado. Ou seja, entender o máximo possível da operação de cada um dos componentes principais da motocicleta ajudará caso algo não saia como planejado. Desta forma, será mais fácil diagnosticar o problema para o reparo ou na hora de solicitar auxílio profissional para a moto. É possível também baixar uma cópia do manual do proprietário no celular para economizar um espaço valioso em sua motocicleta.
 
 
6. ROTAS
Verifique se existem postos de abastecimento e restaurantes em sua rota antes de pegar a estrada. Além do GPS, recomenda-se ter na mochila o mapa ou um roteiro impresso com as estradas e as saídas que serão utilizadas durante a viagem, caso o aparelho de GPS ou o celular fiquem sem bateria. É recomendável que o piloto faça uma parada a cada 90 minutos para poder esticar as pernas, alongar-se, movimentar os músculos e garantir a alimentação e hidratação. Isso ajuda a evitar os desconfortos de viagens longas e também auxilia na concentração de piloto e garupa, além de despertar em casos de fadiga.
 
7. LIMITES DE VELOCIDADE
Não é necessário ter pressa. Respeitar sempre os limites de velocidade da estrada garante que o trajeto escolhido poderá ser bem aproveitado e a viagem transcorrerá com tranquilidade e toda a segurança, fazendo com que boas histórias sejam contadas no retorno.
 
Durante o período de garantia, os clientes da Harley-Davidson têm acesso ao serviço do Rider Assistance. Para acionar, basta ligar para 0800 131 854.
 
Fotos: Divulgação


Fonte:
Equipe MOTO.com.br




Compartilhe essa notícia

Receba notícias de moto.com.br